A casa caiu: Guilherme Campos é preso por chefiar esquema de corrupção no Governo da mãe, Suely Campos.

A Coluna de Hoje | Publicada 00h13

Viaturas da Polícia Federal estacionadas na calcada dos escritórios da família da Governadora Suey Campos.

O que era esperado, comentado, mas que ninguém acreditava mais, por fim aconteceu: uma operação da Polícia Federal, batiza de “Escuridão”, prendeu ontem o filho mais novo da governadora Suely Campos, Guilherme Campos, como ‘capo’ de uma organização criminosa que desviou mais R$ 70 milhões do Governo de Roraima, entre 2015 e 2018, através de contratos superfaturados com a empresa Qualigourmet, que fornece comida para o Sistema Prisional.

Por ironia, o nome da operação [Escuridão] faz referência à nona praga bíblica do Egito, que veio após aos Gafanhotos – nome do maior escândalo de corrupção investigado em Roraima, comandado justamente pelo pai de Guilherme, Neudo Campos, já condenado e que atualmente cumpre pena em regime domiciliar.

Guilherme foi preso em Brasília, onde morava e uma bela mansão no lago Sul, mas a PF o encontrou em um hotel de luxo da capital federal. A PF prendeu também os ex-secretários de Justiça e Cidadania, Ronan Marinho e Josué Filho, em Boa Vista. Josué é sogro de uma das filhas de Suely. Ao todo, foram cumpridos 11 mandados de prisão e 20 de busca e apreensão em Boa Vista e Brasília.

Foi preso também o ‘dono’ da empresa Qualigourmet, João Kleber Martins e o deputado estadual eleito Renan Filho (PRB), o Renazinho, que se entregou à PF em Boa Vista no final da manhã de ontem, após ter sido considerado foragido. Os outros presos são: Simone de Oliveira Cruz, Cloves de Castro machado, Breno Lampert, Guderian Marsielle Pacheco Rodrigues, Wesley Adley Gomes de Queiroz e Marco Antônio Rodrigues de Barros.

De acordo com a PF, o esquema de desvio de dinheiro aconteceu entre 2015 e 2017. A fraude foi descoberta após um inquérito, instaurado em 2017, apurar irregularidades em contratos de fornecimento de alimentação para presídios em Roraima.

O inquérito policial foi instaurado em 2017, após investigações apurarem informações de supostas irregularidades em contratos de fornecimento de alimentação para presídios em Roraima.

O esquema teve início no começo de 2015, com a contratação emergencial de uma empresa constituída há apenas 8 dias para cuidar da alimentação dos presos no estado e contava com a participação de agentes públicos e políticos, os quais também são alvos das medidas que estão sendo cumpridas.

A vida nababesca de Guilherme

“Gui” posa ao lado de um de seus brinquedinhos: uma Ferrari.

Guilherme Campos, o ‘Gui’, caçula da família Silva Campos, levava uma vida nababesca e fazia questão de ostentar. Tem verdadeiro fascínio por carros de luxo importados, com preferência para os esportivos: já teve Mustang, Ferrari, Mercedes, BMW e ultimamente exibia veículos da marca Audi.

Metido a roqueiro, vivia viajando para o exterior e não escondia de ninguém o gosto pela vida luxuosa que tinha, pois postava tudo no Facebook.

Em Roraima ‘todo mundo’ sabia das traquinagens do filho mais novo da governadora. Como não havia provas, não havia como denunciá-lo. Mas a casa um dia cairia. E caiu…

Interessante que na relação de negócios com a própria mãe, Guilherme chegou a cortar o fornecimento de comida para os presos poque não recebia a fatura. Parece que faz parte do dna da família Silva Campos, né!

Guilherme e Renanzinho: os ‘capos’

‘Renazinho’, deputado eleito: envolvido  no esquema criminoso.

Os responsáveis pela empresa Qualigoumert, uma verdadeira ‘fábrica’ de dinheiro sujo, são na verdade o deputado estadual eleito Renan Filho e Guilherme Campos, filho da governadora Suely Campos. Essa afirmação foi feita pelo delegado da Polícia Federal, Anderson Alves, que conduziu as investigações da Operação Escuridão.

Mas como não apareciam legalmente no comando da empresa, Guilherme e ‘Renanzinho’ elegeram preposto o amigo João Kleber, que obrava como ‘laranja’.

As investigações mostram que a empresa, responsável pelos fornecimentos desde 26/02/2015 até a presente data, superfaturava o valor da alimentação, além de informar quantitativo superior de refeições ao que era efetivamente providenciado e de fornecer alimentos de baixa qualidade.

A investigação provou que Kleber não tinha recursos financeiros para comprar a empresa, o que aconteceu no ano de 2016, quando a terceirizada mudou de nome, mas ficou com o mesmo CNPJ.

A transição ocorreu de forma fictícia. Os 30% do dinheiro sacados por João Kleber eram repassados aos verdadeiros proprietários: Renan Filho e Guilherme Campos. O dinheiro também era usado para pagar propina a agentes públicos que participavam da associação criminosa”, reforçou o delegado.

Mérito para Jorge Everton

O deputado Jorge Everton apresentou relatório que fundamentou as investigações da PF.

Quando todos pensavam que não daria em nada, o deputado Jorge Everton (MDB) provou o contrário. Foi por meio do relatório que ele conclui na CPI do Sistema Prisional, que a Polícia Federal alcançou o esquema de desvio milionário na distribuição de comida para o sistema penitenciário.

Jorge apontou uma sequência de crimes no âmbito da Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc), mas os implicados não acreditavam em punição e continuaram a praticar crimes.

Everton apontou à época o desvio de R$ 20 milhões e indicou crime de responsabilidade por Suely Campos, que teria conhecimento das irregularidades, mas não impediu as fraudes ou puniu os responsáveis.

Além de pedir o indiciamento de 13 pessoas envolvidas nos crimes, inclusive o secretário da época, Uziel de Castro, Jorge protocolou um pedido de Impeachment de Suely que só não prosperou porque o presidente da ALE, Jalser Renier, sentou o ‘traseiro’ sobre o processo.

O pessoal de Suely chegou a desdenhar do relatório, afirmando que não passava de factoide criado pela oposição da Assembleia Legislativa na tentativa de desestabilizar o governo, ai deu no que deu!

Ontem o parlamentar comemorou o resultado da operação da PF, e defendeu que os bens e o dinheiro dos envolvidos sejam confiscados e com isso ajustar sobretudo os salários de servidores que se encontram atrasados.

Tudo superfaturado

Material apreendido na cozinha industrial do Governo onde era preparada a comida.

No Relatório de Jorge Everton, constatou-se que a Sejuc superfaturou em mais de R$ 15 milhões os preços de alimentações fornecidas aos presos.

As fraudes, conforme o parlamentar, se iniciaram em fevereiro de 2015, após o governo decretar emergência no sistema prisional. À época, uma empresa de pequeno porte, com apenas oito dias de criação assumiu de forma direta o fornecimento de alimentações dentro das unidades prisionais.

O relatório cita que no período de emergência, a mesma empresa mudou o nome, fez alterações cadastrais e venceu licitação para continuar fornecendo alimentação nas unidades prisionais.

De acordo com Everton, o estado pagou por 23 meses de serviço, quando a situação de emergência foi de 180 dias.

Pagamento irregular de R$ 3,5 milhões

CPI do Sistema Prisional apuou diversos crimes cometidos no âmbito da Sejuc.

A CPI constatou também o pagamento irregular de R$ 3,5 milhões sem nota fiscal a duas empresas.

Em depoimento, servidores afirmaram que a Sejuc repassou R$ 3 milhões para uma empresa de segurança eletrônica que deveria ter instalado cerca, câmeras e concertina na Penitenciária Agrícola, o que não ocorreu.

O restante foi pago a uma empresa de locação de carros pelo aluguel de 28 veículos durante dois meses.

Ao final, como viu que não lograria êxito na Assembleia, Jorge Everton encaminhou o relatório ao Ministério Público Estadual, Ministério Público Federal, Tribunal de Contas do Estado, Polícia Federal e Ministério da Justiça. E o que tanto pretendeu, agora veio.

Carros de luxo são apreendidos

Este Camaro foi recolhido pela Polícia Federal. Está entre os bens dos investigados.

A Polícia Federal apreendeu carros de luxo, lancha, joias e dinheiro durante a operação Escuridão. A operação investiga um desvio milionário em contratos de R$ 70 milhões para fornecimento de quentinhas para presos de Roraima. Entre os presos pela PF também estão:

Ao todo foram recolhidos 10 carros de luxo, entre eles um camaro, um audi A3 e três SW4. Diversos deles, segundo a PF, não estavam efetivamente nos nomes dos envolvidos, mas com a quebra do sigilo bancário e a perícia foi descoberto que os bens não eram compatíveis com as rendas dos supostos donos.

TJ: Almiro é eleito corregedor

O desembargador Almiro Padilha será o corregedor do TJ na próxima gestão.

Na manhã ontem ocorreram as eleições para os cargos de corregedor-geral de justiça, diretor da Escola do Poder Judiciário e juízes titulares do Tribunal Regional Eleitoral, na classe desembargador, em sessão extraordinária do Tribunal Pleno.

Foram eleitos os desembargadores Almiro Padilha para o cargo de corregedor-geral de Justiça, Cristóvão Suter, que será reconduzido ao cargo de diretor da Escola do Judiciário, por mais dois anos e os desembargadores Jefferson Fernandes da Silva e Leonardo Cupello, eleitos juízes eleitorais na classe de desembargador do Tribunal Regional Eleitoral de Roraima.

As eleições para escolha dos juízes eleitorais para atuarem como desembargador, ocorrem no TJRR para validar os nomes dos interessados em concorrer aos cargos de presidente e vice-presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Roraima, porém, a eleição para os cargos diretivos ocorrem em data posterior, determinada pelo TRE.

Mais uma árvore de Natal | O clima natalino vai contagiar as famílias na zona oeste da capital com o acendimento da segunda grande árvore de natal, que acontecerá nesta sexta-feira, 30, às 19h na Praça Germano Augusto Sampaio, Pintolândia. O evento também vai contar com a chegada do Papai Noel e, segundo a prefeita Teresa Surita, o objetivo será promover o renascimento do sentimento de amor, cuidado, de paz e o reencontro de amigos e famílias. A árvore de 18 metros de altura é revestida por festões brancos, dando um diferencial visual muito impactante. Guirlandas, estrelas, anjos, bolas, outros adornos e uma grande estrela na ponta dão o destaque para as árvores pelos efeitos luminosos produzidos em sistema programado. A apresentação musical do evento ficará por conta da Banda Infantojuvenil do Instituto Boa Vista de Música (IBVM).


CONTATOS DO AUTOR www.peronico.com.br – e-mail: peronico.27@gmail.com – Facebook: Peronnico Expedito – Blog do Expedito Peronnico.

Mais Noticias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: