A ‘Musa do Congresso’ não faz quase nada na Câmara. Shéridan é um bom produto de mídia. E revela: ‘estou encalhadona’.

Compartilhe nosso conteúdo!
*** A Coluna de Hoje //// Publicada 00h13 ***
Shéridan é a ‘queridinha’ da grande imprensa e sempre ganha espaços generosos em jornais e revistas de grande projeção.

Como parlamentar ela tem atuação pífia, baixíssima produtividade na Câmara Federal. Mas como produto de mídia a deputada federal Shéridan Stérfany (PSDB) é uma celebridade permanente nos tapetes verdes da Casa Legislativa, tem notável performance na grande imprensa e ganha espaços generosos nos veículos de projeção nacional de quem, aliás, ganhou o título de ‘Musa do Congresso’.

Agora Shéridan surge em nova historinha contada nas páginas do ‘jornalão’ carioca O Globo – uma das maiores publicações do país – inclusive com direito a um vídeo – para contar algumas lorotas de sua vida pessoal e o entre ócio e o pitoresco, ensina inclusive como se produzir para o dia a dia, lambuzando a cara de alguém com seus produtos de maquiagem, uma verdadeira patuscada.

No filme de quase 6 minutos de duração Shéridan abre o jogo, reclama de machismo na Câmara, fala que houve uma inversão de prioridades na reforma política, e que o financiamento das campanhas virou a parte mais importante. E ainda revela: “Estou encalhadona”.

O GLOBO acompanhou um dia de trabalho da deputada que concilia a vida de mãe de uma adolescente e de uma criança com a correria da deputada no último dia de votação da reforma na Câmara. A relatora da proposta que ficou conhecida como PEC da Shéridan – que a partir do ano que vem cria uma cláusula de barreira e, nas eleições seguintes, põe fim às coligações partidárias – diz que está solteira, mas neste momento não está com foco na vida pessoal, e sim na política.

Ela conta, rindo, que seu nome tem como raiz o nome da mãe Éridan, que acrescentou um ‘Sh’ formando o da filha. E ainda adicionou outro nome próprio em seguida para compor Shéridan Estérfany.

À vontade em seu gabinete, a deputada mostra a tatuagem que fez no tornozelo reproduzindo o mapa de seu estado. Chamada de “gostosa” no plenário da Câmara, afirma que esta é uma forma de diminuir a mulher. Material adquirido: Fonte | O Globo.

Jucá rebate Fantástico: ‘canalhas’.

Mesmo doente Jucá gravou vídeo de repúdio e chamou de ‘canalha’ o jornalismo da Globo.

Vestido de roupa hospitalar, sentado em um leito do hospital paulista Sírio Libanês, para tratar de uma diverticulite, o senador Romero Jucá mesmo assim, debilitado, partiu para ataque e rebateu uma matéria do Fantástico, da Rede Globo de domingo passado, 8, sobre suposto desvio de dinheiro na construção do residencial Vila Jardim, do programa Minha Casa, Minha Vida.

Jucá gravou, em vídeo, uma mensagem de ‘contragolpe, ao que ele chamou de ‘canalhice da Rede Globo’, porque ficou evidente, segundo ele, que a reportagem no quadro ‘Cadê o Dinheiro que Tava Aqui’ não reproduziu a verdade e de forma tendenciosa e absolutamente parcial procurou apenas cunhar o grau de parentesco dos investigados com o senador da República.

A resposta de Jucá veio minutos depois da exibição da matéria e foi imediatamente distribuída feito pólvora nas redes sociais. ‘Uma matéria canalha assim como é canalha o estilo da Rede Globo. Nada daquilo é verdadeiro’, disse ele.

A verdade é que meus filhos não têm nada a ver com a construção do residencial nem com os contratos posteriores com a Caixa Econômica. Eles apenas venderam o terreno e ainda assim abaixo do valor de mercado. Pela avaliação da própria Caixa o lote custaria mais de R$ 5 milhões e foi vendido por R$ 4 milhões. Só querem atingir a mim a minha família. E não divulgaram na integra a entrevista com o meu advogado Emerson Delgado. Editaram e publicaram o que quiseram. Eu estou empenhado em restabelecer a verdade. Não vão me intimidar nem tirar proveito político eleitoral desse fato mentiroso”, disse Jucá no vídeo.

Presta atenção, ô Paulinho! 

Paulinho Linhares assina documentos sem ler o conteúdo, cometendo lambanças pilhéricas.

O dentista Paulo Bastos Linhares, o Paulinho, atual secretário de saúde do Estado, está desleixando naquilo que é mais sagrado exigível a um gestor: o controle e verificação em tudo que faz.

Ele simplesmente está assinando documentos e firmando contratos sem ao menos ler o conteúdo, ocasionando ‘coisas’ bizarras e pilhéricas, publicadas no Diário Oficial do Estado.

Senão vejam o enunciado do contrato Nº. 251/2017 – referente ao processo Nº 020601.001481/16-95 – assinado com a empresa W.M. COMÉRCIO E SERVIÇOS LTDA para a aquisição de medicamentos quimioterápicos: valor R$ 1.707.728,50 (cento e oitenta e cinco mil reaihum milhão, setecentos e sete mil, setecentos e vinte e oito reais e cinquenta centavos).

Prestaram atenção na confusão que está entre a descrição do valor numeral e o nominal, aquele que foi publicado por extenso? Falta de atenção e amadorismo, tudo junto e misturado.

Abrindo o butim

Somente a título de aditivos a Secretaria de Saúde do Estado liberou mais de R$ 18 milhões.

É sempre interessante contemplar a movimentação financeira da Secretaria de Saúde do Estado. Primeiro pelos altos volumes de dinheiro que são mexidos, depois pelo objeto e a destinação de tamanhas somas.

O secretário Paulinho simplesmente resolveu abrir as tampas do butim e a título de aditivo fez jorrar uma montanha de dinheiro para alguns fornecedores de sua predileção.

A Empresa Importação, Exportação Cometa ganhou um ‘aditivozinho’ de R$ 10.938.146,40 (dez milhões, novecentos e trinta e oito mil, cento e quarenta e seis reais e quarenta centavos). E mais outro de R$ 1.982.226,00 (um milhão, novecentos e oitenta e dois mil, duzentos e vinte e seis reais).

E a Amplomed foi agraciada com R$ 5.093.333,64 (cinco milhões, noventa e três mil, trezentos e trinta e três reais e sessenta e quatro centavos).

Escondendo o leite, né Selma?

Os contratos assinados por Selma listam apenas os cachês pagos a artistas locais.

A secretária de Cultura do Estado, Selma Maria de Souza e Silva Mulinari está combinando esperteza e soberbia, desdenhando mesmo do povo roraimense ao relacionar os contratos assinados com artistas locais que estão se apresentando na ‘natimorta’ Expopferr.

Em relação aos ‘locais’, nome e valores, que variam entre 2 e 6 mil reais. Nana além disso. Mas não fez referência nenhuma ao contrato pujante com o sertanejo Michel Telô que passará certamente dos R$ 200 mil.

Se por acaso o Ministério Público quiser investigar a tramóia basta acessar o Diário Oficial do Estado, N° 3097 com data de 4 de outubro.

Flamarion ‘pendura as chuteiras’

Flamarion anunciou esta semana que não pretende mais se candidatar na eleições de 2018.

Com vasta experiência no Parlamento, governador e secretário de vários governos, o deputado estadual Flamarion Portela, agora filiado ao PDT, anunciou que vai ‘pendurar as chuteiras’.

Atualmente ele ocupa o mandato emprestado de Oleno Matos, que é chefe da Casa Civil do Governo e, talvez por não ser o titular da cadeira, nem tido uma performance um tanto quanto circunspecta, bem discreta.

Mas sempre que é chamado a se pronunciar, o faz com eloquência e maestria. Flamarion, contudo, anunciou esta semana que não disputará as eleições do ano que vem. Vai empregar seu tempo e experiência na campanha de reeleição de sua esposa, a senadora Ângela Portela (PDT).

A pedido da senadora Ângela, me filiei para ajudá-la a montar o partido. Ele já está montado em todos os municípios, faltando apenas Pacaraima e Iracema, se não me falhe a memória. Temos uma convenção estadual programada com a convenção nacional em novembro, para que realmente seja eleita, não mais provisória, a presidência regional”, disse Flamarion.

Expoferr: desmoronando igual o Governo

A estrutura espacial da Expoferr desabou com a ventania do último sábado. Foto | Internet

A 40ª Exposição Feira Agropecuária do Governo – que de feira te só o nome – desabou literalmente. E não é por conta do vendaval de sábado que arrastou suas estruturas, mas pela desorganização, falta de investidores e nem produtores há a oferecer a possíveis compradores.

E naquilo que é mais apelativo para o Governo, o público também está em falta. Quem tem ido à Expoferr conta que a apatia e a sonolência tomaram conta do lugar.

Talvez apareca alguém no encerramento, no próximo domingo, 15, por conta do show do sertanejo Michel Telô.

 Somente 35 dias de angústia na TV

A propaganda eleitoral do ano que vem terá duração de apenas 35 dias no Rádio e TV.

Tem várias novidades positivas no arremedo de reforma política, aprovada no Congresso no apagar das luzes e publicada no Diário Oficial da União no último momento do prazo legal.

Mas a principal delas é que a ladainha do “vote em mim”, no horário gratuito de rádio e TV, vai durar apenas 35 dias. A propaganda eleitoral ainda será longa, ninguém merece, mas já foi pior: até 2016, a campanha durava 90 dias.

Participarão de debates no rádio e na TV somente os candidatos de partidos que tenham um mínimo cinco deputados federais. A duração total da campanha nas ruas não pode exceder os 45 dias. A essa boa notícia acrescente-se a redução de custos.

Outro aspecto positivo é a cláusula de barreira. Não é ainda o que se esperava, mas a partir da eleição de 2018 cairá o número de partidos.

Os cassinos estão chegando | Marcado para o próximo dia 18, o lançamento da frente parlamentar pela legalização do jogo no Brasil terá a presença de investidores portugueses e americanos. Cerca de 50 deputados também já confirmaram que estarão no plenário em apoio ao projeto. Tudo indica que a volta dos cassinos ao país acontece ainda este ano.

 ALE: Projeto Crescendo é expandido

A diretora da Escolegis, Leila Perussolo, ressalta a expansão das atividades para os municípios.

A Escola do Legislativo da Assembleia Legislativa do Estado de Roraima estará nesta terça-feira, 10, e na quarta-feira, 11, na Vila Bom Jesus, no município de Amajari, a 164 km de Boa Vista, com o projeto Crescendo e Empreendendo, que trabalha o autodesenvolvimento, a criatividade e a inovação, três elementos importantes no empreendedorismo. Nos dias 20 e 21 serão atendidos os moradores do município de Bonfim, a 124 km de Boa Vista.

“O Sebrae viu um grande potencial nas nossas unidades da Escola do Legislativo, potencializando o empreendedorismo ao nosso público interno, alunos e comunidades, como também quis ampliar para os municípios onde existe a Escola do Legislativo implantada”, disse a diretora da Escolegis, Leila Perussolo, ao explicar que os multiplicadores deste projeto são os servidores da Assembleia, que foram treinados pelo Sebrae.

A meta da Escola do Legislativo, conforme Leila Perussolo, diretora da Escolegis, é realizar seis edições do projeto no decorrer deste ano, atendendo um público de 25 participantes em cada edição como jovens do ensino médio, da Educação de Jovens de Adultos (EJA), além de associações e líderes comunitários e organizações não-governamentais (ONGs).


CONTATOS DO AUTOR | www.peronico.com.br – e-mail: peronico.27@gmail.com – Facebook: Peronnico Expedito – Blog do Expedito Peronnico.
Compartilhe nosso conteúdo!
By peronico

Expedito Perônico, jornalista e colunista de política. Este blog cobre os bastidores do poder em Roraima e em Brasília. Já atuei nos principais veículos de comunicação de Roraima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts