Assembleia Legislativa em chamas: Áudio da conspiração gera bate-boca e enfrentamento entre deputados.

A Coluna de Hoje | Publicada 00:07

Catarina na Tribuna: ‘não sou traidora’. Fotos | SupCom/ALE

A Assembleia Legislativa viveu momentos de tensão e pura ebulição na sessão de ontem. Troca de insultos, bate-boca entre as mulheres deputadas, redes de intrigas expostas, egos apurados e excessivos e na terminação disso tudo, o desgaste de todos, deputados e instituição.

Catarina Guerra (Solidariedade) pivô de toda a vozearia foi pedir clemência e negar que tenha sido autora do famigerado áudio que vazou de um conversa dela com o governador Antonio Denarium (PSL), onde estariam tramando a derrubada do deputado Jalser Renier da Presidência da Casa.  

Ela clamou por respeito, afirmou que não é oportunista tampouco age por interesse ou conveniência, mas não assegurou-se do básico: afinal, ela participou ou não daquele diálogo crespo com o governador? A voz é dela e não há como negar. Mas queixou-se de que o vazamento constitui crime e é pura covardia.

O fato gerador da crise que opõe grupos políticos e domina o noticiário político e as altercações histéricas nas redes sócias, está consumado. A conspiração, conluio, maquinação, trama, arranjo, complô, conchavo, essas coisas repulsivas e condenáveis, estão provados na fala de Catarina e Denarium.

Mas a deputada valeu-se de sua fragilidade feminina e foi cantarolar por compreensão. ‘Ruídos largados ao vento, atos de covardia, não sou traidora, estão me colocando como vilã’, protestou Catarina. Ela tentou impor uma inflexão de vítima, o que tornou o ambiente ainda mais tórrido.

“Não estou aqui para me esquivar, mas gostaria de contextualizar o fato. Posso me colocar insatisfeita sobre atitudes políticas. Não me caracteriza como traidora. É importante deixar claro que não tenho procuração para absolutamente ninguém falar em meu nome. Acredite quando eu mesma falar. Hoje sou aliada ao governo, mas amanhã não posso ser. Eu mereço respeito”, disse Catarina.

“Bafão”: de mulher pra mulher…

Betânia Almeida: ‘eu não defendo safadezas’.

A deputada Tayla Peres (PRTB) – ela confessou sua presença na desgraçada reunião com Denarium – negou que o diálogo da ocasião tenha girado em torno da deposição do presidente Jalser. O contexto foi outro, segundo ela. Mas o clima ardeu quando a deputada Betânia Almeida (PV) ocupou a tribuna.

Betânia esticou o dedo na direção de Catarina e a repreendeu por seu comportamento reprovável. “Inaceitável que um governador e uma deputada ajam sorrateiramente, construindo tramas diabólicas para derrubar um presidente de outro Poder.

Novamente Tayla Perez tentou abafar a fala de Betânia, reivindicando “que mulher tem que defender mulher”, ao que assanhou ainda mais a situação: “Eu não defendo safadezas”, retrucou Betânia gerando novo bate-boca.

E como as mulheres estavam no comando do debate naquele instante, Yonni Pedroso (Solidariedade) aplicou o maior pito na colega de Partido. “A postura de Catarina é indecorosa e reprovável”. E moeu a colega de partido sem dó nem piedade.

Jalser abre fogo contra Denarium

Jalser: ‘vergonhosa postura de um chefe de poder’.

Se já existia aliança alguma entre Denarium e Jalser, o clima azedou de vez. O presidente da Assembleia apontou o canhão na direção do Palácio do Governo, e detonou geral.

Jalser ouviu no silêncio as discussões no Plenário – ele era a figura central dos debates – mas no final resolveu se pronunciar, embora não tenha agendado nenhuma manifestação para aquela ocasião.

Ele reclamou do áudio em questão, embora tenha feito pouco caso da trama ocorrida no Palácio. “É vergonhoso esse tipo de postura de um chefe do executivo. Denarium brinca de administrar e não cumpre suas funções básicas de governador”.

– Roraima enfrenta crise na saúde, na educação, na segurança, tá tudo um caos. No entanto o governador reúne deputados para conspirar.

Jalser disse que Denarium não conhece o povo de Roraima, porque não abre as portas do Palácio para as massas. “Das vezes que estive lá me senti em uma casa abandonada”.

Disse que o maior índice de violência está no governo de Antonio Denarium, maior índice de criminalidade. Ele se deixou levar por pequenas pessoas que o rodeia. Ele não conhece o povo”, sustentou.

E finalizou: ” Quero paz, equilíbrio e que o governo faça o trabalho dele e me deixe em paz”.

Denarium reclama do Legislativo

Denarium: Legislativo ignora projetos do Governo. Foto | Secom/RR

No instante em que na Assembleia o fogo ardia por conta do tal áudio da conspiração, do outro lado da praça, o governador Antonio Derarium se queixava do relacionamento com a Assembleia, sobretudo das dificuldades de aprovar projetos de interesse do Estado.

Denarium reclamou que o deputado Jalser Renier não está pondo em pauta os projetos apresentados pelo Governo em retaliação, já que o governador não permite que o Legislativo interfira de forma direta nas ações executadas por sua gestão. 

“Trabalhamos respeitando a independência dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. Mas desde que assumimos a gestão atual do Governo, percebemos que o presidente da Assembleia não mede esforços para impedir a realização do nosso trabalho”, disse.

Afirmou que não cederá às pressões do presidente da ALE para que sejam executados contratos de empresas com o Governo por indicação parlamentar. Mas não citou quem seria os parlamentares beneficiários desses contratos. Nem tocou no episódio do vazamento do áudio.

Diálogo áspero e ardente

Jalser e Sampaio: enfrentamento áspero. Foto | SupCom/RR

Jalser ainda travou, na sessão de ontem, um diálogo nada suave com o líder do governo, Soldado Sampaio (PC do B).

Inicialmente Sampaio ocupou a tribuna e foi incivil com o presidente ao lhe fazer questionamentos desaforados e foi ríspido ao afirmar que não aceitaria qualquer tipo de retaliação contra deputados da base por conta do episódio.

E Sampaio sugeriu também que o vazamento do áudio fosse apurado como caso de polícia, por se tratar de crime. Ai Jalser desdenhou:

“Queria que o deputado Sampaio me respondesse: estava tu [Sampaio], deputado Jeferson Alves, deputada Aurelina Medeiros, deputada Catarina Guerra, deputada Tayla Perez, deputado Éder Lourinho e o governador do Estado, e se vazou o áudio, de quem foi a culpa? Minha que não foi. Eu não estava lá”

Por fim, Jalser disse que a partir do momento em que Soldado Sampaio afirma que a divulgação do áudio será investigada, ele aponta uma arma para o peito dos próprios deputados aliados do governador. “Quem será atingido?”, perguntou Jalser.

Jalser lembrou ainda que na legislatura passada – enquanto estava preso – foi o mesmo Sampaio que tentou arrancá-lo da presidência, igual querem agora.

Nasce o G4: Governo enfraquecido

Deputados que abandonaram a base e criaram o G4.

Na esteira da crise política que se viu consolidada ontem, Denarium saiu enfraquecido.

Se antes os aliados da base cantavam de galo certificando a existência de um time de 16 deputados, esse número foi reduzido significativamente.

Ainda no calor dos enfrentamentos os deputados Neto Loureiro, Renan Filho, Renato Silva e Evangelista Siqueira anunciaram a formação do G-4, um bloco independente, portanto fora da base do governo.

E logo em seguida a deputada Ângela Portela também se manifestou desligada do time governista.

Ou seja, na fritura dos ovos, nem mesmo o governo sabe com quantos deputados poderá contar realmente para os embates que virão.

Mas o líder Sampaio anunciou a permanência na base, alem dele, mais Aurelina Medeiros (Pode), Catarina Guerra (SD), Tayla Peres (PRTB), Chico Mozart (Cidadania), Coronel Chagas (PRTB), Éder Lourinho (PTC), Gabriel Picanço (Republicanos), Jeferson Alves (PTB), Jorge Everton (MDB) e Marcelo Cabral (MDB).

Ranking: Teresa entre os melhores

Teresa Surita: no topo do ranking dos prefeitos.

O Índice de Popularidade Digital, ferramenta desenvolvida pela Quaest – empresa de pesquisa e inteligência de dados – acompanha desde janeiro, mês a mês, a popularidade de governadores, congressistas, prefeitos e personalidades nas redes digitais. 

Em setembro, o ranking digital aponta o crescimento da prefeita Teresa Surita (MDB) entre os prefeitos de capitais, subindo três posições em relação a agosto e chegando ao pódio com Marcelo Crivella e ACM Neto, prefeitos do Rio de Janeiro e Salvador, respectivamente. 

O crescimento da popularidade da prefeita nas redes está associado ao fato de Boa Vista estar entre as dez capitais mais bem avaliadas do país, pelo conjunto de obras executadas e em execução. E pelas ações sobretudo em educação e 1ª Infâcia

Surita aborda com frequência em suas redes assuntos como limpeza urbana e conservação. Em setembro, um dos posts com maior engajamento foi sobre o tema. Com o crescimento, a prefeita ultrapassou outro prefeito bastante popular nas redes, o mineiro Alexandre Kalil, prefeito de Belo Horizonte. Fonte | Quaest

Criada a CPI da Energia | Foi anunciado ontem no Plenário da Assembleia Legislativa a CPI da Energia, apara apurar o precário fornecimento de energia e os abusos cometidos pela Roraima Energia na cobrança das contas. Na primeira reunião do grupo, a deputada Betânia Almeida (PV) foi eleita a presidente da CPI, Gabriel Picanço (Republicanos) vice-presidente e Lenir Rodrigues (Cidadania) relatora. Éder Lourinho (PTC) e Evangelista Siqueira (PT) compõem o grupo como membros. Hoje conforme anunciado pela presidente da CPI, haverá reunião para definição dos próximos passos a serem tomados.

CONTATOS DO AUTOR

www.peronico.com.br – emails: peronico.27@gmail.com / blogdoperonico@gmail.com / expeditoperonico@gmail.com Facebook: Peronnico Expedito – Blog do Expedito Peronnico.

Mais Noticias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: