‘Climão’ na Assembleia: Suely confirma presença na abertura dos trabalhos legislativos.

Compartilhe nosso conteúdo!
A Coluna de Hoje | Publicada 00h13m
O clima entre Jalser e Suely já foi amistoso no início do Governo, depois ‘azedou’, inclusive com possibilidade de Impeachment.

A ida da governadora Suely Campos ao Plenário da Assembleia Estadual hoje por ocasião do início dos trabalhos legislativos do exercício de 2018 expõe o primitivismo da política que se pratica aqui nos trópicos. Ela confirmou ontem que fará leitura da mensagem governamental na abertura das atividades pôs recesso, causando surpresa inclusive aos servidores da Casa, porque havia a certeza de sua ausência em função dos últimos acontecimentos.

O princípio da harmonia entre os poderes é algo crível, natural, republicano, ocorre que há – ou havia – uma desarmonia risível entre as duas figuras políticas que comandam esses poderes, o que tornava impraticável uma aproximação pública de Jalser Renier e Suely Campos mesmo que protocolar.

Todos sabem que o clima entre Suely e Jalser não é dos melhores há muito tempo. E piorou muito depois da renúncia de Paulo Cesar Quartiero, no dia 26 de janeiro, gerando o rumoroso episódio do cheque de R$ 500 mil que teria sido encontrado na mochila do então do vice.

A questão apimentou ainda mais porque a própria Suely junto com sua secretária de Segurança Giuliana Castro afirmaram em emissoras de TV e para a ‘plateia’ que o cheque seria parte de um esquema montado para ‘comprar’ a renúncia de Quartiero.

Suely e Jalser estarão hoje dividindo o mesmo espaço e torna-se temerário prognosticar o que possa acontecer nessa sessão. Ademais não há muito o que Suely palestrar como realização na mensagem governamental, porque seu Governo é a própria constatação do fracasso, sem qualquer realização expressiva.

É quase certo que a polêmica em torno do cheque reacenda quando começarem os trabalhos no Poder Legislativo Estadual. Ainda mais pela presença de Suely na sessão de hoje.

Mas se há alguma espécie de ‘acordo’ político entre as partes, como sugerem os boateiros de plantão, só saberemos com o passar do tempo. O fato é que os dois lados silenciaram, quando todos aguardavam um posicionamento mais austero de Jalser.

Teresa entrega escola nova no Mecejana

Teresa disse que o investimento em escolas novas revoluciona a educação e forma cidadãos qualificados.

Enquanto o Governo de Suely é vencido pelo sistema penitenciário falido e não conseguiu construir uma sala de aula nos últimos anos, a Prefeitura de Boa Vista segue abrindo escolas.

Ontem a prefeita Teresa Surita inaugurou a escola professora Danúbia Carvalho de Oliveira, no bairro Mecejana, para atender até 300 alunos em uma estrutura moderna e com equipe pedagógica qualificada.

O espaço físico da unidade está dividido em três blocos distintos e um pátio: administrativo, bloco de serviços, bloco pedagógico e o pátio coberto para recreações. O bloco pedagógico conta com sete salas, sendo seis salas de aula e uma sala de recursos multifuncionais. A escola possui uma área de 1.129,64 m2 construídos e cada sala de aula mede 48 m2.

De acordo com Teresa a educação de Boa Vista está sempre avançando e, hoje, a Prefeitura de Boa Vista está criando um currículo para as crianças da pré-escola, acompanhado pela Universidade de São Paulo (USP), pela Universidade Federal de Roraima (UFRR) e por fundações em parceria com Governo Federal.

Segundo ela estudos recentes mostram que a formação da criança na primeira infância fica para o resto da vida. Boa Vista foi uma das capitais escolhidas para implantar este currículo, que estimula a inteligência da criança e mostra a importância que ela tem desde muito pequena, dentro da família e na sociedade.

Fizemos uma revolução na qualidade da educação de Boa Vista, respeitando os funcionários da educação, com uma dinâmica muito inteligente que não permite atrasos de salários e valoriza os servidores, pagando até o 16º salário. Esta é nossa forma de demonstrar respeito e o valor que a educação tem dentro no município”, disse Teresa.

Homenagem à professora Danúbia

Familiares da professora Danúbia participaram ao lado de Teresa do ato de inauguração da Escola.

A Profª Danúbia Carvalho de Oliveira representou muito para a educação em Roraima, como funcionária pública federal. Graduada em pedagogia e com especialização em psicopedagogia escolar, dedicou toda a sua vida profissional à educação, foram mais de 30 anos destinados ao ensino, atuando como professora, coordenadora pedagógica e gestora escolar.

Iniciou seu trabalho de educadora na Escola Frei Arthur Agostini (Projeto Crescer), trabalhou na Escola Francisco Cássio, posteriormente na Escola Criança Feliz, Vovô Dandãe e Vovó Júlia.

A prefeita Teresa Surita falou a comunidade, especialmente, a família da homenageada. “Acredito que quando a família recebe uma homenagem como esta, sente o seu coração aquecido, pois este é o reconhecimento que alguém em vida realizou um trabalho que será sempre lembrado. Esta é uma homenagem feita do fundo do coração, em nome da Profª Danúbia, a toda a educação do município de Boa Vista”, destacou.

Mais 8 casos de sarampo notificados

Venezuelanos são a prioridade da investida vacinal executada pelas autoridades sanitárias.

A Secretaria Estadual de Saúde informou ontem que foram notificados mais oito casos suspeitos de sarampo. São cinco meninos e três meninas com faixa etária entre 7 meses e 10 anos. Sete são crianças venezuelanas e uma brasileira, residentes do município de Boa Vista e sem histórico de vacinação.

Um destes casos suspeitos teve diagnóstico positivo para o sarampo no Lacen-RR, notificado no último dia 14 de fevereiro. A amostra está sendo processada pela Fiocruz, laboratório de referência nacional e somente se ratificado diagnóstico positivo, o caso será considerado confirmado.

No Brasil os últimos casos de sarampo ocorreram entre os anos de 2013 a 2015, sendo confirmados 1.310 casos em todo país. Nesse período, o estado de Roraima confirmou um caso de sarampo, importado do estado de Ceará.

Em setembro de 2016, a circulação do vírus do sarampo na Região das Américas havia sido declarada eliminada.

A ironia bolivariana e a fome

Venezuelanos ocupam a Praça Simon Bolívar, onde fazem do lugar a verdadeira moradia.

Em Boa Vista muitos refugiados venezuelanos estão acampados na Praça Simón Bolívar, onde fazem do lugar sua moradia.

O bolivarianismo de Hugo Chaves e do caudilho Nicolás Maduro é uma ironia trágica. Os ‘hermanos’ estão fugindo do país vizinho justamente pelo fracasso do socialismo bolivariano, incapaz de alimentá-los.

A ironia se dá porque a praça onde habitam é precisamente uma homenagem a Simón José Antonio de la Santísima Trinidad Bolívar y Palacios Ponte-Andrade y Blanco, populamente conhecido como Simón Bolívar, el Libertador. Cultuado, venerado e adorado pelo povo venezuelano.

Mas lamentavelmente lembrado aqui em Roraima como parte de um dos piores momentos já vividos pelos vizinhos.

Casos de violência disparam em Pacaraima 

Venezuelanos ocupam as ruas de Pacaraima, causando problemas sociais e muita violência.

A crise migratória em Roraima fez com que os casos de roubo, furto, tráfico de drogas, armas e combustíveis crescessem vertiginosamente em Pacaraima, por onde entram os venezuelanos.

A Polícia Civil do município divulgou que, em 2017, foram registradas 1.100 ocorrências referentes a esses delitos, número três vezes superior ao de 2016.

Além das ocorrências de delitos diversos em Pacaraima os crimes assombram também a polícia de Boa Vista onde os registros envolvendo venezuelanos se sucedem todos os dias.

A fronteira continua escancarada 

A fronteira aberta possibilita que os venezuelanos continuem chegando ao Brasil sem nenhum entrave.

O ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, reiterou a disposição do Brasil em manter abertas as portas aos refugiados venezuelanos, a exemplo do que fez ao longo de sua história com imigrantes que buscaram acolhimento no país.

A declaração foi feita ontem durante a abertura da Reunião de Consulta da América Latina e do Caribe como Contribuição para o Pacto Global sobre Refugiados.

“Para o ministro, a resposta do Brasil ao drama dos refugiados, em especial no caso dos venezuelanos que buscam refúgio no país, tem sido um “estrito cumprimento” das obrigações do país.

O encontro ocorre no momento em que o Brasil vive uma situação complexa de chegada de alto número de cidadãos venezuelanos na Região Norte, em especial no estado de Roraima. Segundo estimativa da prefeitura de Boa Vista, mais de 40 mil pessoas do país vizinho chegaram à cidade, o que corresponde a mais de 10% da população local.

Acnur quer apoio internacional

Os venezuelanos continuam cruzando a fronteira em direção a Boa Vista em grande quantidade.

O alto comissário das Nações Unidas para Refugiados (Acnur), Filippo Grandi, disse ontem (19) que se comprometeu com o presidente Michel Temer a buscar apoio da comunidade internacional para ajudar o Brasil na resposta à situação da imigração venezuelana para o país. Grandi e Temer se reuniram no Palácio da Alvorada no início da tarde.

“Esperamos que a situação na Venezuela se regularize logo. Estimamos que cerca de 24 mil venezuelanos pediram asilo formal ao Brasil. Esse número não representa o total de venezuelanos [que entraram no Brasil]”, acrescentou Grandi.

O Brasil vive uma situação complexa com a vinda de cidadãos venezuelanos para  a região Norte, em especial no estado de Roraima. Segundo estimativa da prefeitura de Boa Vista, mais de 40 mil pessoas do país vizinho chegaram à cidade, o que corresponde a mais de 10% da população local.

Grandi está no Brasil para participar do encontro de representantes de 36 países em Brasília até hoje (20) para discutir a situação de refugiados na América Latina e Caribe. Fonte | Agencia Brasil

Asfalto no PA Nova Amazônia | A Prefeitura de Boa Vista está atendendo uma das principais reivindicações dos moradores do Projeto de Assentamento Nova Amazônia (Gleba Murupu), na zona rural da capital. As vicinais 1, 3, 4 e 7 estão sendo pavimentadas (foto acima), são 18 km de estradas que irão facilitar o acesso dos moradores e escoamento da produção local. Cerca de 600 famílias moram na Gleba Murupu, elas produzem melancia, milho, batata doce, feijão verde, pimenta de cheiro, macaxeira, soja e melão, além da criação de ovinos, suínos e peixes. “As vicinais interligam polos agropecuários, é por elas que os agricultores escoam a produção até a sede de Boa Vista, onde os produtos são comercializados. Ao pavimentar as estradas, nós estamos dando estrutura para que esses produtores possam fazer o transporte de forma mais rápida e prática, mantendo a qualidade dos produtos, além de fomentar o desenvolvimento do setor agropecuário em nosso município”, ressaltou a prefeita Teresa Surita.


CONTATOS DO AUTOR www.peronico.com.br – e-mail: peronico.27@gmail.com – Facebook: Peronnico Expedito – Blog do Expedito Peronnico.

Compartilhe nosso conteúdo!
By peronico

Expedito Perônico, jornalista e colunista de política. Este blog cobre os bastidores do poder em Roraima e em Brasília. Já atuei nos principais veículos de comunicação de Roraima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts