Denarium tenta atrair eleitor com promessa demagógica. Diz que vai renunciar ao salário de governador.

A Coluna de Hoje | Publicada 00h13

Antônio Denarium (D) foi o entrevistado da da TV Roraima e do G1RR, ontem.  Foto | Reprodução TV Roraima

O investidor Antônio Denarium, candidato ao Governo de Roraima pelo PSL, foi o entrevistado da TV Roraima e G1, ontem de manhã. Um recruta na disputa eleitoral, Denarium não distinguiu-se das velhas práticas, mostrou-se um político que, igual os demais, quer atrair o eleitorado para seu projeto de poder, com promessas absurdas, irrealizáveis e muitas vezes demagogas.

Disse de cara que se eleito renunciará ao salário de governador. Isso soa excessivamente teatral cujo interesse é seduzir as massas, algo que gera desconfiança no eleitorado, porque não se caracteriza como proposta de gestão. Trata-se de algo pessoal, individualizado como forma de encantar o povo.

Denarium manifestou-se favorável ao garimpo em terras indígenas, algo irrealizável para o momento e que certamente não será materializado em seu governo, caso seja leito, porque há impedimentos legais além de haver resistência de organismos internacionais poderosos que vetam essa possibilidade com a fantasia de que as terras indígenas são invioláveis e precisam ser mantidas incólumes e preservadas.

No mais Antônio Denarium foi igual aos demais postulantes ao Governo, entrevistados no decorrer da semana. Fartura de juramentos, soluções ostentosas, ausência absoluta de um projeto prático de gestão, fundamentado naquilo que de fato poderia realizar. Não falou de educação, algo ausente no discurso de todos, nem em projetos de desenvolvimento a curto prazo.

O problema do Denarium é que ele não consegue empolgar. Embora seja posto na prateleira do mercado político como o novo, excede em falar muito de si mesmo como empreendedor bem sucedido, mas falta-lhe tino político capaz de atiçar uma polarização com seus oponentes.

O discurso de campanha de Denarium mais parece uma homilia, celebrada por um vigário velho nas missas dominicais. Não construiu uma sintonia com o eleitor e quando fala a pronuncia não convence por ausência absoluta de consistência. Para um Estado que se acha afundado na desgraça, Antônio deveria ter sido mais realista, atacar os problemas existentes e mostrar as soluções concretas. Mas não fez isso. Preferiu deblaterar, igual aos outros.

Suely ignora servidores

Servidores da CER cercaram o prédio da TV para conversa com Suely. Foto | Roraima em Tempo

A governadora Suely Campos vai ter que parar de aparecer em locais públicos daqui a alguns dias.

Essa semana, por exemplo, teve que pedir reforço policial para evitar que o protesto fosse maior em frente a TV Roraima.

Eram os funcionários da CERR que estão há mais de 70 dias sem receber salários.

Mas ao seu modo, Suely não deu qualquer tipo de explicação e evitou qualquer contato com os servidores.

Imigrantes são imunizados

Imigrantes foram vacinados enquanto eram entrevistados no posto de triagens da PF.

A Prefeitura de Boa Vista realizou ontem, 13, uma grande ação de vacinação voltada aos imigrantes venezuelanos que entram no Estado e passam pelo posto de triagem da Polícia Federal, localizado na BR 174.

A ação é uma parceria entre a Prefeitura de Boa Vista, Ministério da Saúde e Exército, e faz parte do processo de integração dos imigrantes.

Durante toda a manhã, as equipes de imunização aplicaram 404 doses de vacina, sendo 121 contra o sarampo, 233 contra varicela e 50 contra febre amarela. No período da tarde, as equipes foram até o abrigo da igreja Nossa Senhora da Consolata, no bairro São Vicente, para fazer a vacinação de bloqueio. Mais de 400 pessoas foram atendidas.

‘Situação continua grave’, diz Teresa

Teresa afirmou ontem que a migração continua causando problemas na cidade.

A Prefeita de Boa Vista, Teresa Surita, destaca que esses imigrantes, ao chegar em condições tão precárias, acabam buscando de imediato as Unidades Básicas de Saúde.

Teresa destacou ainda que a situação na Venezuela está a cada dia mais grave. “Boa Vista vem sendo fortemente impactada por essa crise humanitária. Precisamos que o Governo Federal atue de forma mais eficiente na interiorização dessas pessoas, evitando que o caos se instale novamente em nossa cidade”, disse.

A prefeitura tem se desdobrado para manter a qualidade dos serviços públicos e atender a demanda cada vez mais crescente de refugiados venezuelanos na cidade, que em sua grande maioria vem precisando de atendimento médico. Estamos recebendo diariamente cerca de 400 a 500 imigrantes. Essas pessoas precisam de cuidado e imunização. A vacinação é uma prioridade para nós, inclusive para proteger a nossa população de doenças, algumas já erradicadas em nosso País, como o Sarampo”, afirma Teresa.

Mais 190 foram embora

Mais um grupo de imigrantes venezuelanos foi levado para as cidades de Canoas e Esteio. 

Mais 190 venezuelanos foram transferidos ontem (13) de Boa Vista para as cidades gaúchas de Canoas e Esteio na oitava etapa do processo de interiorização de imigrantes. Ontem (12/9), outros 201 deixaram a cidade com destino a Canoas.

Após a operação Acolhida, que também aconteceu na manhã de ontem, cerca de 300 venezuelanos foram retirados das ruas de Boa Vista, levados ao Centro de Triagem em Boa Vista e distribuídos em três abrigos: Latife Salomão, Nova Canaã e Santa Tereza.
De acordo com o governo federal, todos os imigrantes têm documentação como CPF (Cadastro de Pessoas Física) e carteira de trabalho, foram vacinados, submetidos a exames de saúde e aceitaram participar voluntariamente do processo.
Desde o início do processo de interiorização em abril, 1,9 mil imigrantes já foram levados a outros estados. A iniciativa visa ajudar os imigrantes em situação de extrema vulnerabilidade a encontrar melhores condições de vida no Brasil.

 


CONTATOS DO AUTOR www.peronico.com.br – e-mail: peronico.27@gmail.com – Facebook: Peronnico Expedito – Blog do Expedito Peronnico.

Mais Noticias

Deixe uma resposta