Energia insegura: ‘Roraima pode ser engolido pela escuridão’, alerta deputado.

Compartilhe nosso conteúdo!
A Coluna de Hoje | Publicada 00h10
Chagas teme por um apagão geral deixando tudo no escuro. Foto | SupCom/ALE

Os apagões recentes e a falta de transparência na comunicação da empresa fornecedora de energia para Roraima, levou o deputado estadual Coronel Chagas (PRTB) a fazer um alerta ontem de que estamos vivendo um possível racionamento, com a ameaça real de sofremos um apagão geral nos próximos meses em função da pressão por conta do alto consumo e da falta de manutenção nos parques térmicos que abastecem o Estado.

Ao usar a tribuna da Assembleia Legislativa, ontem de manhã, Chagas a atenção para a atribuição da Roraima Energia, que tem a obrigação, segundo ele, de fornecer a energia aos roraimenses de forma segura e ininterrupta, independentemente do fato de a linha de transmissão que liga Roraima ao sistema nacional de energia elétrica, o Linhão de Tucuruí, ainda não ter saído do papel.

“Se a energia a ser distribuída vai ser de Guri [Complexo de Guri na Venezuela], de Tucuruí ou de usinas termelétricas, a nós não interessa. Queremos energia de qualidade, sem racionamento, porque estamos pagando a energia mais cara do Brasil”, protestou o parlamentar.

Demonstrando indignação com o racionamento praticado pela distribuidora, que remonta as décadas de 80 e 90, quando cada bairro passava até quatros sem energia elétrica, o deputado usou uma expressão popular para criticar a empresa. “Quem não pode com o pote, não segura na rodilha. A Roraima Energia que coloque mais geradores, de forma paliativa, até se resolver Guri ou a construção do Linhão de Tucuruí, pois pagamos muito caro e não temos segurança”.

O deputado relatou que o consumo de Roraima gira em torno de 175 megawatts, para uma produção total das três fontes geradores que está entre 170 a 175 megawatts. Roraima dispõe de três fontes geradoras de energia: Usina de Monte Cristo [produzindo 90 megawatts], Usina do Jardim Floresta e a do Distrito Industrial (juntas com 80 megawatts). “Se uma dessas duas últimas quebrar, vamos ter um terço da cidade às escuras. E se for a de Monte Cristo, metade da cidade no escuro”, alertou.

Bolsonarismo: Chico emprega Léo Índio
Léo Índio é primo dos filhos mais velhos de Bolsonaro. Foto | Reprodução Facebook

Já ganhou as páginas da grande imprensa do Planalto Central a contratação do primo dos filhos do presidente Jair Bolsonaro, o administrador de empresas Leonardo Rodrigues de Jesus. Foi nomeado ontem como assessor parlamentar do senador roraimense Chico Rodrigues (DEM).  Léo Índio, como é conhecido, terá remuneração bruta de R$ 22.943,73, de acordo com a assessoria de imprensa do Senado.

Segundo Chico, ele vai “mexer com tudo” na nova função. “Vai ajudar no que precisar no meu gabinete”, diz. Até há pouco tempo, o agora assessor parlamentar trabalhava vendendo calças jeans em uma loja de grife no Rio de Janeiro. Ele também já comercializou cachaça, café e abriu um hostel no centro do Rio.

O senador garante que a indicação partiu de uma pessoa do seu gabinete e que não houve interferência da família presidencial. “Conversei muito com ele, achei ele muito desenvolto. Um cara jovem, cheio de energia. Vi que ele conhece muita gente. Ter um assessor parlamentar com essa desenvoltura seria muito bom para mim”, explicou Chico Rodrigues. “Você tem que procurar os melhores”, acrescentou.

Léo Índio é filho de Rosemeire Nantes Braga Rodrigues, que, por sua vez, é irmã de Rogéria Nantes, a mãe dos três filhos políticos de Bolsonaro: Flávio, Carlos e Eduardo. Dos três, ele é mais próximo de Carlos, que o indicou como uma espécie de ” informante ” no Palácio do Planalto no início do governo. De acordo com o jornal “O Estado de S. Paulo”, Léo Índio esteve 58 vezes ao Planalto nos primeiros 45 dias de governo, mais do que o próprio presidente (que esteve lá em 16 dias). Fonte | Crusoé

Demarcações ficam com a Agricultura
Indígenas protestaram contra a decisão do Governo. Foto | Divulgação

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou um pedido de medida liminar do Partido Socialista Brasileiro (PSB) contra medida provisória do Governo Jair Bolsonaro que retirou da Fundação Nacional do Índio (Funai) e transferiu para o Ministério da Agricultura o processo de demarcação de terras indígenas.

“A União, por meio do Mapa, está obrigada a promover tais demarcações, e a recusa em realizá-las efetivamente implicaria um comportamento inconstitucional. Não se pode, contudo, presumir que o Poder Público atuará de forma conflitante com a Constituição e que se desviará de tal finalidade”, observou Barroso em sua decisão.

O ministro apontou que é fundamental que a atuação do ministério na demarcação “seja acompanhada com cuidado”, comparando-se a série histórica desde a Constituição de 1988 até as novas demarcações empreendidas pela pasta. Fonte | STF

Mercosul: Debate sobre diplomas
Haroldo quer mais debate sobre a revalidação de diplomas.

O deputado federal deputado Haroldo Cathedral (PSD) subscreveu o requerimento que solicita a realização de Audiência Pública para aprofundar o debate sobre o acordo de revalidação de diplomas do Mercosul e a revalidação de diplomas simplificada entre seus países signatários.

O acordo de revalidação foi firmado em 18 de dezembro de 2018, na 53º Cúpula dos Chefes de Estado do Mercosul e Estados Associados, que define critérios simplificados, mediante verificação documental, coloca em risco a  qualidade e a fidelidade da educação superior.

Para o parlamentar, a implementação do sistema de revalidação simplificado é importante não apenas no âmbito econômico e comercial, mas também no campo do desenvolvimento educativo, cultural e científico.

O setor educacional tem se destacado pela busca de mecanismos que promovam a equivalência e, assim, o reconhecimento mútuo. No entanto, nossa preocupação é que não haja prejuízos na qualidade da formação desses profissionais”, salientou.

Parque do Rio Branco 
As obras do Parque do Rio Branco seguem avançando no antigo Beiral.

O Parque do Rio Branco vai tomando formas e todas as obras da primeira fase estão dentro do cronograma elaborado pela Prefeitura de Boa Vista.

E hoje para relatar o andamento da execução do Projeto, a prefeita Teresa Surita dará entrevista coletiva, às 10h30 – no canteiro de obras.

Na ocasião, a prefeita fará o percurso por todo o trecho em obra. O ponto de encontro será na avenida Sebastião Diniz, próximo à canalização do Igarapé Caxangá.

Catando bandidos em Roraima 
A Policia Civil cumpriu ontem vários mandados de prisão em Roraima.

A Polícia Civil de Roraima participa ontem da operação Nacional #PC 27, desencadeada em todo o Brasil, com o objetivo de cumprir mandados de prisão em aberto, oriundos de trabalhos investigativos das Polícias Civis.

O delegado Geral, Herbert de Amorim Cardoso, revelou que a operação #PC27 faz parte do plano de trabalho delineado pelo Conselho Nacional de Chefes de Polícia Civil, deliberada no início deste ano, visando promover e integrar o Sistema Único de Segurança Pública, coordenado pelo MJSP [Ministério da Justiça e Segurança Pública].

Em Roraima o trabalho é coordenado pela Delegacia Geral de Polícia e conta com a atuação das equipes formadas por policiais civis das delegacias da Capital e do Interior.

O foco principal é o cumprimento de mandados de prisão de suspeitos da prática de crimes graves, tais como roubo, estupros, homicídios e latrocínios.

O nome Operação #PC27 é uma referência à união e padronização de atuação de todas as Polícias Civis do Brasil.

Desertores na Venezuela
Militares da Guarda Nacional estão fugindo para a Colômbia.

Militares da Venezuela estão desertando para o Brasil e a Colômbia em número cada vez maior por discordarem das ordens de superiores para reprimirem protestos contra o governo do presidente Nicolás Maduro. Seis deles confirmaram essa tendência.

Uma tenente e cinco sargentos da Guarda Nacional Bolivariana (GNB), a principal força de repressão do governo de Maduro, disseram que a maioria está indo para a Colômbia, por ser a fronteira mais acessível. Eles mesmos e outros preferiram partir para o Brasil.

As autoridades de imigração colombianas disseram que cerca de 1.400 militares da Venezuela desertaram para a Colômbia neste ano. O Exército brasileiro informou que mais de sessenta membros das Forças Armadas venezuelanas emigraram para o Brasil desde que Maduro fechou a fronteira, em 23 de fevereiro, para frustrar um esforço da oposição para levar ajuda humanitária ao país.

Autoridades dos dois países disseram que o ritmo das deserções aumentou nos últimos meses, quando os tumultos políticos e econômicos na Venezuela se agravaram. Fonte | Agências Internacionais.

Escolegis abre vagasA Escola do Legislativo – Cursos Preparatórios, Unidade Silvio Botelho, está com inscrições abertas para cursos de idiomas e capacitação, na capital e no interior do Estado. Só em Boa Vista, a Escola do Legislativo está disponibilizando mais de 400 vagas. Ontem foi iniciado o curso de inglês, mas ainda há vagas disponíveis. De acordo com a diretora da Unidade, Cristina Mello, os cursos são a oportunidade que a população tem para aprimorar o currículo. “Vale a pena ressaltar que todos esses cursos são gratuitos, incluindo os materiais.” Para o núcleo de Mucajaí, a Escola do Legislativo está com inscrições abertas para os cursos de informática, inglês e espanhol. Conforme Cristina, os preparatórios visam atender tanto crianças e adultos. “Para esses municípios, estamos levando a oportunidade para toda população”, destacou.


CONTATOS DO AUTOR www.peronico.com.br – emails: peronico.27@gmail.com / blogdoperonico@gmail.com / expeditoperonico@gmail.com Facebook: Peronnico Expedito – Blog do Expedito Peronnico.
Compartilhe nosso conteúdo!
By peronico

Expedito Perônico, jornalista e colunista de política. Este blog cobre os bastidores do poder em Roraima e em Brasília. Já atuei nos principais veículos de comunicação de Roraima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts