‘Estamos caluniados’, afirma Romero Jucá sobre políticos citados em delações

 ‘Estamos caluniados’, afirma Romero Jucá sobre políticos citados em delações

ll

Compartilhe este artigo

There is no ads to display, Please add some
A Coluna de Hoje | Boa Vista,RR | Publicada 00h23
ll
O senador Romero Jucá acredita que há muita ficção nos depoimentos de ex-executivos da Odebrecht.

O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB), afirmou ao programa “Moreno no Rádio”, da rádio CBN, que os depoimentos prestados pelos ex-executivos da Odebrecht nos acordos de delação premiada podem ser “ficções” e acrescentou: “Estamos caluniados”. Jucá ainda comentou as denúncias de que pediu à Odebrecht R$ 150 mil para a campanha do filho dele, Rodrigo Jucá, em 2014 em troca de apresentar emendas à Medida Provisória 651/14 sugeridas pela empreiteira.

“Esses R$ 150 mil que entraram foram gastos na campanha, não foram gastos pelo candidato Rodrigo Jucá, meu filho, porque ele era vice-governador. […] Me desculpe a piada que eu vou fazer, mas vou dizer o seguinte: não tem sentido alguém pensar que vai se vender aqui uma medida provisória por R$ 150 mil. R$ 150 mil não se vende medida provisória nem na Feira do Paraguai. É uma piada dizer um negócio desses e sabendo da relação que eu tenho com a classe econômica do Brasil”, disse o líder do governo no Senado.

Em outro trecho da entrevista Jucá acrescentou: “A gente não conhece as delações ainda. As delações, pelo que eu vi até agora, não vieram seguidas de prova. — Pelo que vi até agora, (as delações) não vieram seguidas de provas. Muitas vezes podem ser “ficções premiadas” para alguém ir para casa — disse.

Jucá acrescentou que “aplaude” o ministro Edson Fachin, relator dos processos da Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), por estar “agindo corretamente”. Porém, afirmou que é preciso ter cuidado para não condenar ninguém.

Hoje, eu defendo a Lava Jato porque a Lava Jato, investigada rapidamente, é a única forma de desfazer a calúnia reinante sobre a maioria da classe política, pois todos nós estamos caluniados, todos nós estamos prejulgados. Então, a única forma de dizer que isso [o conteúdo das delações] não é verdade é investigar. Porque, se parar a investigação, isso se torna uma verdade. Então, eu defendo a investigação”, disse o senador.

Buscando a normalidade
ll
Ministros e líderes – em eles o senador Romero Jucá – reunidos com o presidente Temer, no Palácio do Jaburú.

O presidente Michel Temer se reuniu no fim da tarde de ontem (16), no Palácio do Jaburu, com integrantes da equipe econômica e parlamentares da base do governo. Objetivo foi discutir a agenda de votações e buscar uma forma de conseguir as aprovações das reformas previdenciária e trabalhista.

Foram convocados os ministros Henrique Meirelles (Fazenda) e Antônio Imbassahy (Secretaria de Governo), o líder no Senado, Romero Jucá (PMDB), o presidente da comissão da reforma da Previdência na Câmara, deputado Carlos Marun (PMDB-MS), e o relator, deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA)

Temer busca a normalidade e afirmou que o país não pode parar mesmo depois da divulgação das delações da Odebrecht, e das aberturas de 76 investigações pelo relator da Operação Lava Jato do STF, ministro Edson Fachin, contra deputados, senadores e ministros.

Em busca da verdade financeira
hh
Para  conselheiro Netão, governo endividado não tem condições de contratar jatinho executivo.

Preocupado com o endividamento do Estado, segundo ele “estratosférico’, o conselheiro do Tribunal de Contas de Roraima (TCE), Joaquim Souto Maior (Netão) , propôs a realização de uma auditoria nas contas do Governo de Roraima do exercício 2017, com o objetivo de levantar a real situação financeira do Estado.

“Quando se tem notícias de que o Governo não tem honrado seus compromissos mais urgentes, como o pagamento dos serviços prestados, e tantos outros é preciso investigar esses gastos”, disse Netão argumentando que “é preocupante que com tantas dívidas o governo ainda contrata jatinho para transportar a governadora”.

A sugestão de Netão foi aprovada pelo Pleno do TCE na última sessão e ficou estabelecido que os auditores terão 30 dias para apresentar relatório aprofundado da situação.

Quartieiro no comando
ll
O vice Paulo César Quartieiro exercerá o governo interinamente na ausência de Suely até o dia 25.

A governadora Suely Campos anunciou em sua página no Facebook que tirou alguns dias de férias. Até porque ninguém é de ferro, né mesmo?!

Ela disse: “Após mais de 830 dias sem deixar de exercer minha função de governadora, comunico a vocês que, pela primeira vez, vou tirar licença de uma semana. De hoje (ontem, 16) até a próxima segunda-feira (25), o vice-governador Paulo César estará me substituindo. Assim que retornar, darei continuidade à nossa agenda de inaugurações”.

As férias de Suely possibilitaram também que o vice-Paulo Quartieiro assumisse pela vez primeira o governo de Roraima. Suely, no entanto, não deu nem uma pista do lugar para onde viajou.

Manobras travam CPI do Sistema Prisional
ll
Para Everton a CPI está sendo prejudicada porque tem gente do governo sonegando informações.

A CPI do Sistema Prisional está sendo travada por manobras escusas que visam atrapalhar a investigações sobretudo no que diz respeito à distribuição de comida nos presídios.

Segundo o relator da CPI, deputado Jorge Everton (PMDB), o que está travando o andamento dos trabalhos da CPI são as manobras utilizadas, como adiamento de oitiva para outra data e documentos que chegam a CPI com informações erradas.

– Solicitamos da Receita Federal a evolução patrimonial dos sócios da empresa encarregada de distribuir a comida e até agora não foi encaminhada. Vamos ter que entrar na Justiça Federal para requerer algo que é inerente à CPI”, disse o parlamentar.

Nós vamos concluir a CPI com indiciamento e encaminhamento para a Justiça e para o Ministério Público, para que sejam tomadas as providências legais. Não podemos aceitar que recursos públicos sejam dilapidados da forma que está sendo”, disse o relator.

Indicações só não bastam
ll
A Mesa Diretora da Câmara que tem recepcionado dezenas de indicações em todas as sessões.

Indicações são um instrumento que materializa a voz do vereador, servem para recomendar algo ao chefe do executivo, mas não podem ser um utensílio aleatório de reivindicação.

Na Câmara de Vereadores de Boa Vista essas indicações são encaminhadas aos montes, sem critério e sem o devido cuidado de pontuar algo que de fato seja relevante.

Pedem limpeza de vala, conserto de rua, instalação de placas de identificação, construção de canteiros e calçadas, enfim, algo que já se verifica nas ações da Prefeitura no dia a dia.

Até a última sessão da semana passada, os vereadores encaminharam simplesmente 863 dessas indicações. Uma média de 60 por sessão. Se a prefeita Teresa Surita voltasse seus afazeres para atender indicações, não faria outra coisa nos próximos quatro anos.

Suely decide ficar no PP 
No início da relação política de Hiran e |Suely, tudo parecia
Pelo menos por enquanto, Hiran e Suely vão manter o bom relacionamento visando 2018.

A governadora Suely Campos não vai deixar o Partido Progressista, embora tenha que aceitar a condição de filiada apenas.

Ela sustenta que sua relação com o Partido é longa, consistente e por isso não há razão nenhuma para abandonar a sigla.

Apesar de já ter ficado bem claro que o deputado Hiran Gonçalves, agora vice-presidente nacional da agremiação, não abre mão de comandá-lo aqui no Estado.

Há porém um dado a ser considerado: apesar de todas as futricas inventadas sobre o relacionamento de ambos [Hiran vs. Suely], o parlamentar ameniza as tensões e já afirmou que a governadora será a candidata do Partido na eleição de 2018.

Veto prejudica esporte
ll
O deputado Jalser disse que a lei assegura que os recursos cheguem efetivamente ao seu destino.

O projeto de lei 022/17, de autoria dos deputados Jalser Renier (SD) e George Melo (PSDC), que institui no Calendário Oficial Eventos do Estado os Jogos Universitários, recebeu veto parcial do Governo do Estado, que negou a destinação de 5% dos recursos federais arrecadados pelo Estado para investimento no desporto pela Federação Roraimense de Esporte Universitário.

O projeto previa que a Federação tivesse acesso a um percentual do repasse de verbas federais provenientes da Lei Pelé, que já são destinadas ao desporto universitário e repassadas ao Executivo Estadual, anualmente. Na mensagem governamental que explica as razões do veto, o Governo justifica que o projeto estaria violando a competência formal orgânica sobre normas gerais e destinação de recursos federais.

Um dos autores do projeto, deputado George Melo, informou que vai agir para derrubar o veto nas próximas sessões. Jalser Renier reafirmou que o projeto é garantia de que os recursos cheguem até a Federação e por consequência, sejam investidos em atletas locais. Ele também acredita na derrubada do veto.

ll
O general Gustavo Henrique Dutra sucedeu o colega Algacir Polsin no comando da Brigada de Selva em Roraima.

Novo comandante | A 1ª Brigada de Infantaria de Selva tem novo comandante. O general de Brigada Algacir Antonio Polsin, que ocupará o cargo de Chefe do Centro de Operações do Comando Militar da Amazônia sediado em Manaus – AM, foi sucedido pelo também general de Brigada Gustavo Henrique Dutra de Menezes, que estava comandando a Escola Preparatória de Cadetes do Exército (EsPCEx), sediada em Campinas – SP. A passagem de comando aconteceu nas dependências da 1ª Bda Inf Sl, na semana passada.

Aprovada unificação de RG, CPF e título
ll
A nova identidade trará também os números dos principais documentos do brasileiro.

O Senado aprovou a criação de um banco de dados que unificará a identificação de todos os brasileiros, além de um documento que integrará RG, CPF e título de eleitor.

A proposta segue para a sanção do presidente Michel Temer. Caso seja sancionado, o Documento de Identificação Nacional (DIN) terá validade em todos os Estados.

O DIN dispensará a apresentação de todos os documentos que nele sejam mencionados – entre os principais, só a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) não está previamente incluída. Pelo texto, a primeira via do novo registro será gratuita, emitida pela Casa da Moeda.

Torturas na Venezuela
, Venezuela April 15, 2017. The placard reads, "No more dictatorship". REUTERS/Carlos Garcia Rawlins
Venezuelanos continuam protestando nas ruas e pedindo a saída do ditador Nicolás Maduro da presidência do país.

Deputados da oposição venezuelana acusaram ontem o governo do presidente Nicolás Maduro de torturar os irmãos Alejandro e José Sánchez, dois dirigentes do partido Primero Justicia (PJ), que haviam sido presos na manifestação antichavista de quinta-feira.

Os dois irmãos foram ameaçados de morte caso não denunciassem deputados do PJ de “cometer atos falsos”. O partido acusou 37 funcionários públicos, entre eles policiais, de participarem de atos de tortura.

Segundo o governador de Miranda, Henrique Capriles, que perdeu as últimas eleições presidenciais para Maduro, 24 lojas foram saqueadas no Estado durante o fim de semana.

Capriles assegurou que padarias, sapatarias, lojas de bebidas, uma fábrica e pequenos estabelecimentos foram saqueados por agentes do governo. Maduro diz que os saques são culpa de Capriles.


CONTATOS DO AUTOR | www.peronico.com.br – e-mail: peronico.27@gmail.com – Facebook: Peronnico Expedito – Blog do Expedito Peronnico.

peronico

http://peronico.com.br

Expedito Perônico, jornalista e colunista de política. Este blog cobre os bastidores do poder em Roraima e em Brasília. Já atuei nos principais veículos de comunicação de Roraima.

Posts Relacionados

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: