Fechamento da fronteira: Ministra do STF marca nova data para audiência de conciliação.

Compartilhe nosso conteúdo!
A Coluna de Hoje | Publicada 00h13
O STF decidirá no próximo dia 30 se atende ou não pedido de fechar a fronteira com a Venezuela.

Uma nova data foi marcada pela ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), Rosa Weber, para a audiência de conciliação entre o Governo de Roraima e a União, onde a governadora Suely Campos pede o fechamento da fronteira com a Venezuela para estancar a entrada imigrantes. Na mesma ação Suely reivindica ressarcimento por gastos com os venezuelanos.

O objetivo do novo encontro é fazer com que Roraima desista da ação, uma vez que o próprio presidente Michel Temer que não pode fechar a fronteira, pois tal medida contraria acordos internacionais. A ação tramita desde abril, mas a própria ministra Rosa Weber já negou uma vez, em agosto, o desejo do governo roraimense.

A nova audiência foi marcada para o dia 30 deste mês, às 14h30, na sala de audiências do STF. O pedido para a nova discussão acerca do tema partiu das duas partes envolvidas no processo, conforme informou a ministra, em despacho.

No processo há o pedido inusitado, feito por Suely, em que o Estado reivindica ressarcimento de R$ 180 milhões que teriam sido gastos nos últimos três anos com serviços públicos prestados a imigrantes venezuelanos. Fonte | STF

Cadê o conselheiro do TCE
Jalser não decidiu ainda se abre o processo de escolha do conselheiro esse ano.

Desde a morte de Essen Pinheiro Filho, em janeiro deste ano, o Tribunal de Contas do Estado continua desfalcado.

A vaga de direito pertence ao Poder Legislativo, a quem cabe abrir processo, através de edital, para seleção de candidatos que queiram participar da escolha.

Mas é óbvio que o ungido ao tão ambicionado posto virá dos quadros da própria Assembleia.

Tudo depende da vontade do presidente Jalser Renier a quem compete dar o start. Lembrando os trabalhos no legislativo neste ano acabam antes do Natal.

Menos médicos para indígenas
Somente em Roraima 26 médicos do programa do Governo deixarão de atender os indígenas.

A Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) perderá 301 dos seus 372 médicos com o fim da participação cubana no programa Mais Médicos, ou 81% total.

As reservas indígenas de Roraima perderão 26 médicos do programa, segundo informou o Ministério da Saúde.

Para especialistas, o êxodo repentino colapsará o atendimento ao segmento da população com alguns dos piores índices de saúde do país.

Os médicos cubanos estão alocados em Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEIs) espalhados por 19 estados.

Volta para casa
Venezuelanos estão voltando para casa, segundo informa o Governo de Nicolás Maduro.

O governo de Nicolás Maduro informou ontem que 9.400 venezuelanos que deixaram o país por causa da crise, retornaram para casa por meio do programa ‘Vuelta a la Patria’ (Volta à Pátria). Desse total aproximadamente 260 estavam em cidades de Roraima.

O último registro de retorno foi no dia 13 de novembro, quando 98 venezuelanos embarcaram num voo pago pelo governo de Nicolás Maduro e deixaram Lima, capital do Peru.

Conforme o Ministério, no mês de agosto 147 estrangeiros retornaram ao país. Todos de Roraima, sendo 111 indígenas Warao.

Três mortes a cada hora
Venezuelanos sofrem nas ruas de Caracas em busca de comida. São 3 mortes a cada hora.

Como se já não houvesse angústia suficiente pela falta de comida e de remédios, os venezuelanos têm que lidar com uma insegurança alarmante: a cada hora três pessoas morrem violentamente em seu país.

A ONG OVV (Observatório Venezuelano de Violência) registrou 26.600 homicídios em 2017, uma taxa de 89 para cada 100.000 habitantes, 15 vezes acima da média mundial.

“Os venezuelanos tomam medidas cotidianas sustentadas no medo ou no desejo de se proteger. Eles se adaptam à situação de insegurança, mas isso implica uma perda de liberdade”, explicou Roberto Briceño, diretor do OVV.

Polícia Civil: acabou o prazo
A Polícia Civil vai abir 330 vagas com salários que vão de R$ 3 mil a 18 mil.

O prazo para realização de inscrições do Concurso da PCRR (Polícia Civil de Roraima) termina nesta terça-feira, 20. Os candidatos, que vão disputar as 330 vagas oferecidas no certame, podem pagar a taxa, que varia de R$120,00 a R$260,00, para validação da inscrição, até quarta-feira, dia 21.

As inscrições podem ser feitas por meio do site da Fundação Vunesp (www.vunesp.com.br). A data do concurso, que inicialmente estava previsto para os dias 15 e 16 de dezembro, foi alterada. Agora, as provas serão realizadas nos dias 16 e 17 de fevereiro de 2019.

Os candidatos que tiverem problemas na hora de efetuar a inscrição devem fazer o registro da reclamação no site da Vunesp, no link Fale Conosco; guardar o registro de protocolo e, se o problema não for solucionado, entrar em contato com o Departamento Administrativo da Polícia Civil para demais providências.

O certame dispõe de 330 vagas distribuídas da seguinte forma: 35 vagas para o cargo de delegado classe substituta; seis para médicos legistas; duas vagas para odontolegista; 14 vagas para perito criminal; 120 vagas para escrivão de polícia; 100 vagas para agente de polícia; 15 vagas para perito papiloscopista; 23 vagas para auxiliar de perito e 15 vagas para auxiliar de necropsia. Todas as vagas são para a classe inicial.

De acordo com o edital, o subsídio inicial, após a conclusão do curso preparatório, varia entre R$ 3.035,16 até R$ 18.387,42. Do total de vagas, 10% são reservadas para pessoas com deficiência. Cada etapa do concurso terá um edital específico com as datas de convocação. Todas as fases serão realizadas na cidade de Boa Vista. As provas objetivas contarão com 60 questões, sendo 20 de conhecimentos gerais e 40 de conhecimentos específicos.

Ficha Limpa mais branda
O Senado vota projeto que propõe diminuir o período de perda de direitos políticos.

Alguns senadores tentaram aprovar ontem (19), em regime de urgência, o projeto que flexibiliza a Lei da Ficha Limpa.

No entanto, o esforço esbarrou na resistência de parlamentares que discordavam da urgência e da possibilidade de reduzir o período de inelegibilidade para políticos condenados por abuso de poder econômico pela Justiça Eleitoral antes de 2010.

Em meio a polêmicas, a discussão e votação ficaram para a amanhã (20). Com a urgência, o projeto tem prioridade e passa na frente de outros para ser votado.

O projeto que altera a Lei da Ficha Limpa foi proposto pelo senador Dalírio Beber (PSDB-SC) e já está na pauta da sessão desta terça-feira (20).

Uma nova sede | Mesmo em tempos de crise econômica, a prefeitura tem mantido os investimentos em obras e infraestrutura em Boa Vista. Dentre elas, em destaque está a construção do novo prédio da Secretaria Municipal de Segurança Urbana e Trânsito (SMST), que já está bastante avançada e logo será entregue à população e aos servidores da pasta. A nova sede está localizada na avenida Capitão Júlio Bezerra, bairro 31 de Março. A obra foi projetada levando em consideração questões como acessibilidade, funcionalidade, economia de energia elétrica com uso materiais mais eficientes e iluminação natural, além de atender melhor os serviços oferecidos à população. As instalações vão abrigar as superintendências de Trânsito (Smtran) e Guarda Civil Municipal (GCM). Haverá auditório, estacionamento privativo e público, quadra poliesportiva, academia, vestiário, depósito, garagem, além das salas administrativas, corregedoria e central de monitoramento de câmeras.


CONTATOS DO AUTOR www.peronico.com.br – e-mail: peronico.27@gmail.com – Facebook: Peronnico Expedito – Blog do Expedito Peronnico.

Compartilhe nosso conteúdo!
By peronico

Expedito Perônico, jornalista e colunista de política. Este blog cobre os bastidores do poder em Roraima e em Brasília. Já atuei nos principais veículos de comunicação de Roraima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts