Fórum Nacional da 1ª Infância lota o teatro Municipal de Boa Vista.

A Coluna de Hoje | Publicada 00h07

O Teatro ficou lotado na abertura do Fórum. Foto | Secom/RR

Boa Vista está sediando desde ontem e pela primeira vez o Fórum Nacional da Primeira Infância que traz o tema: “O poder transformador do cuidado nos primeiros anos de vida”. O evento de abertura no Teatro Municipal não foi apenas de exposição e discussões a respeito do tema, mas também de emoção entre o público composto por mais de mil pessoas.

O fórum começou bem diferente. Com as luzes apagadas, olhos fechados e cheirinho de bebê por todo o ambiente, os participantes passaram uma experiência sensorial auditiva, na qual puderam vivenciar os seis primeiros anos de vida de uma criança. Tudo isso em um minuto.

Em seguida, foi a vez da experiência visual. Crianças da rede municipal de ensino, de 3 anos de idade fizeram uma apresentação no palco com cantigas, brincadeiras de roda, promovendo a interação e integração entre elas, professores e cuidadores, o que já ocorre no dia a dia delas no ambiente escolar.

Mais de mil pessoas, entre autoridades, profissionais e estudantes de diversas áreas participam do fórum, que pela primeira vez acontece em Boa Vista e tem o objetivo de sensibilizar e compartilhar as melhores práticas em diversas áreas de atuação e estimular a sociedade a atuar na promoção contínua e responsável do desenvolvimento da primeira infância, fase que vai da gestação aos seis anos de vida.

 “Boa Vista, hoje, é um exemplo para o Brasil e para o mundo. Eu fico muito feliz em poder falar isso e agradecer muito humildemente às pessoas que estão aqui hoje, que aceitaram o convite para vir nos visitar e trazer suas experiências. Nós temos hoje uma política integrada entre saúde, educação, social, comunicação, finanças e muitos parceiros, que nos trazem o conhecimento e nós colocamos esse conhecimento em prática”, garantiu a prefeita.

O evento contou com a presença de autoridades, como o governador do Estado, Antônio Denarium, secretários municipais, acadêmicos, o presidente do MDB, Romero Jucá, profissionais de diversas áreas, convidados, entre outros, além do ministro da Cidadania, Osmar Terra, que esteve entre os palestrantes.

Teresa mostra os resultados

Teresa palestrou sobre a importância da 1ª Infância. Fotos | PMBV

A prefeita de Boa Vista, Teresa Surita fez a abertura oficial do evento e foi a primeira a palestrar, mostrando o trabalho voltado à primeira infância desenvolvido em Boa Vista e os resultados de obtidos ao longo dos anos.   

“Nós temos hoje uma política integrada entre saúde, educação, social, comunicação, finanças, porque nós trabalhamos com recursos próprios e, muitos parceiros, porque esses parceiros nos trazem os conhecimentos e nós, colocamos o conhecimento em prática. Você tem toda uma estratégia trabalhada, integrada para poder atender às famílias, principalmente as mais pobres”, disse a prefeita.

O ministro Osmar Terra foi homenageado e convidado a ser padrinho da “Capital da Primeira Infância”. O convite foi prontamente aceito. “Fiquei muito emocionado com a receptividade, com a homenagem, com o carinho da prefeita em suas palavras. E isso é um compromisso, é o que fica em nossa vida. A gente não dura muito. O que fica da vida é isso”, frisou Osmar.

Estamos vivendo um momento de conscientização sobre a importância da primeira infância na vida do ser humano. No ano passado o Prêmio Nobel de Economia foi sobre esse tema. Cada um dólar investido na criança investido você recebe nove quando adulto. Porque a criança quando cresce fica mais equilibrada, com emoções mais saudáveis, fica mais segura, aprende melhor. Então a consequência para a vida adulta com esse cuidado na primeira infância ela faz a diferença em toda uma geração. Nós estamos recebendo especialistas de uma fundação da Holanda. É a fundação mais importante nessa área, cobre o mundo todo e estão trazendo experiências importantes para o desenvolvimento das famílias e das crianças de Boa Vista. Se a gente cuidar da primeira infância, certamente teremos uma vida adulta melhor, porque o equilíbrio emocional é formado na primeira infância. Boa Vista é um exemplo para o Brasil e para o mundo”, Teresa Surita, prefeita de Boa Vista.

A capital da 1ª Infância

O cuidado com a 1ª infância é prioridade na gestão de Teresa Surita.

A prefeitura iniciou a política de cuidados com a primeira infância em 2013, ao criar o programa Família que Acolhe (FQA), hoje referência no Brasil e em outros países como Estados Unidos. C

om foco no desenvolvimento infantil, o FQA integrou os serviços nas áreas de saúde, educação, gestão social e comunicação para mulheres e crianças, da gestação até os seis primeiros anos de vida.

Em seis anos, o FQA atendeu 14.490 famílias e atualmente são 4.398 participando ativamente do programa.

Desde 2017, por meio do programa de Visitação Domiciliar, as famílias recebem os profissionais em casa e nos Centros de Referência da Assistência Social (Cras), ampliando o número de pessoas atendidas.

São 72 profissionais envolvidos, sendo 60 visitadores que atendem às famílias em casa a cada 15 dias. Duas vezes ao mês, as famílias participam de encontros da primeira infância nos Cras. 

O foco do programa é o acompanhamento de crianças da gestação aos 3 anos de idade.

Especialistas renomados

Osmar Terra aceitou ser o ‘padrinho de Boa Vista’. Foto | Gov/RR

Autoridades e especialistas de renome nacional e internacional, passaram pelo evento. Nesse primeiro dia, a pediatra Mary Eming Young, foi uma dos que dividiram conhecimentos sobre o que hoje é considerado excelência no cuidado com a primeira infância.

Atualmente, ela é consultora sênior do Centro de Desenvolvimento Infantil da Fundação de Pesquisa para o Desenvolvimento da China e assessora sênior do Centro para o Desenvolvimento da Criança da Universidade de Harvard.

A professora do Departamento de Enfermagem em Saúde Coletiva e membro do Comitê Científico do Núcleo Ciência pela Infância, Anna Maria Chiesa palestrou sobre “A contribuição da saúde no fortalecimento da parentalidade positiva”, seguida pelo presidente da Associação de Jornalistas de Educação (Jeduca), Antônio Goisque falou sobre “Comunicação em favor da primeira infância”.

A mesa redonda do primeiro dia teve como moderador o secretário Nacional de Articulação e Parcerias do Ministério da Cidadania, Eduardo Queiroz, com direito a participação da plateia e troca de experiências.

Denarium e Teresa: sintonia fina

Teresa e Denarium: Governo e Prefeitura em sintonia. Foto | Gov/RR

Por décadas Governo e Prefeitura sempre estiveram de costas um para o outro. Uma rivalidade fingida que não resultou em benefício algum para a comunidade.

Os tempos mudaram e agora o governador Antônio Denarium e a prefeita Teresa Surita estão se entendendo e usufruem de uma espécie de ‘sintonia fina’.

Ontem o governador prestigiou a abertura do Fórum Nacional da 1ª Infância, promovido pela Prefeitura e que denota bem como os mandatários estão prendidos para os mesmos propósitos.

E que ganha com isso? Os cidadãos roraimenses, claro. Pena que essa parceria esteja com os dias contatos. Teresa deixa a Prefeitura já no ano que vem.

É ouro em abundância

O ouro que sai de Roraima é extraído em garimpos ilegais.

Roraima não tem nenhuma mina de ouro legalizada em seu território. Porém os organismos de controle da venda do metal atribuem ao nosso Estado uma parcela significativa pela exportação do ouro mundo afora.

Segundo o Comex Stat, portal do Ministério da Economia sobre comércio exterior, desde setembro de 2018, 194 kg de ouro originário de Roraima foram exportados para a Índia.

Desde 2018 as vendas de ouro oriundo de Roraima já renderam US$ 7,8 milhões (o equivalente a R$ 30,2 milhões) e tiveram um salto a partir de janeiro, após Jair Bolsonaro assumir a Presidência e o Exército desativar bases que dificultavam o acesso de garimpeiros ao território Yanomami.

O grande trabalho da Polícia Federal e de técnicos da Agência Nacional de Mineração é decifrar justamente um enigma que envolve a questão: “como o ouro se tornou em 2019 o segundo maior produto de exportação de Roraima sem que o Estado tenha uma única mina operando legalmente?”.

Intervenção no HGR: demorou

A situação no Hospital Geral é de caos total.

O procurado do Ministério Público de Contas de Roraima, Paulo Sérgio de Sousa, protocolou ontem no Ministério da Saúde e à Procuradoria Geral da República, representações com pedidos de Intervenção Federal nas unidades de saúde pública do Estado.

Ele justificou que tomou a decisão depois de realizar diligências Hospital Geral de Roraima (HGR), no último dia 05 de junho, onde constatou inúmeras irregularidades e problemas graves como falta de material de proteção adequada aos servidores, roupas de camas insuficientes aos leitos, tomógrafo quebrado, falta de medicamento, limpeza precária, além de falhas estruturais no prédio, como goteiras, rachaduras, mofo nas enfermarias e nos corredores do hospital. 

Durante a fiscalização, alguns pacientes conversaram com o procurador e relataram a situação de risco de infecções que todos correm diante do abandono do HGR.

“É público e notório que, já não é de hoje, que a situação da saúde pública em Roraima está imersa em profundo caos e, se encontra assim diante a irresponsabilidade dos gestores públicos do Estado. Mesmo decretado estado de calamidade pública, a população não tem sentido nenhuma melhoria nesta área”, disse o procurador.

Educação abandonada no interior

Indígenas relatam na Assembleia o abandono das escolas.

Na manhã de ontem(12), a Comissão de Educação, Desportos e Lazer, da Assembleia Legislativa de Roraima, se reuniu professores, gestores e tuxauas de comunidades indígenas da região do Baixo Cotingo, na terra indígena Raposa Serra do Sol, município de Normandia. Os representantes relataram que crianças e adolescentes da localidade estão estudando em locais improvisados por falta de estrutura nas escolas.

O relatório de visita apontou ainda uma situação preocupante: na Escola Estadual José Bacaba, por exemplo, localizada na comunidade Perdiz, as aulas estão sendo ministradas no posto de saúde e no malocão da localidade, porque as paredes da instituição desabaram.

Em outras comunidades, o relato é que os alunos estudam embaixo de árvores e em barracões construídos pelos próprios moradores. A ausência de professores e a falta de planejamento das aulas também comprometem o aprendizado dos estudantes. 

O eleitorado por partido

O PRP é o partido com maior número de filiados em Roraima.

Pouca gente sabe, mas é em Roraima onde há o maior percentual proporcional de eleitores filiados em partido políticos.

Segundo dados do TSE existem hoje registrados 145.918.245 eleitores em todo o país e 16.870.717 são filiados a partidos políticos, o que representa 11,5% do total. Entre as 33 legendas legalizadas o Movimento Democrático Brasileiro (MDB) continua sendo a maior do país, com 2.391.148 membros.

Mas em Roraima o percentual de eleitores filiados a partidos políticos é maior do que o percentual nacional. Dos 331.487 eleitores, 57.947 têm filiação partidária, o que corresponde a 17,4% do total.

No Estado com menor percentual de eleitores brasileiros, a sigla com maior número de filiados é o Partido Republicano Progressista (PRP).

CONTATOS DO AUTOR

www.peronico.com.br – emails: peronico.27@gmail.com / blogdoperonico@gmail.com / expeditoperonico@gmail.com Facebook: Peronnico Expedito – Blog do Expedito Peronnico.

Mais Noticias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: