Guiana fecha ponte na fronteira com o Brasil devido a nova variante do Covid-19.

 Guiana fecha ponte na fronteira com o Brasil devido a nova variante do Covid-19.

A Guiana avisou que a fronteira com o Brasil está fechada, devido a propagação de nova variante do Covid.

Compartilhe este artigo

O Governo da Guiana decidiu neste sábado (16) fechar a ponte sobre o rio Tacutu, na fronteira com o Brasil, que liga a cidade de Lethem ao município de Bonfim, como medida preventiva contra a nova variante do Covid-19 detectada no país sul-americano no início deste semana.

O fato foi relatado pelo Ministro da Saúde da Guiana, Frank Anthony, que disse que a decisão oficial foi tomada à luz da proibição do Reino Unido de permitir a entrada de serviços aéreos de 14 países sul-americanos, incluindo a Guiana, como medida de segurança.

E como outros países já alertaram, Antônio disse que sua principal preocupação é evitar que a variável detectada no Brasil seja mais transmissível. Anthony também admitiu temer a possibilidade de que a nova variável coronavírus chegue à Guiana, país que compartilha grande parte de sua fronteira não regulamentada com o Brasil, o que poderia causar uma repercussão nos casos de Covid-19 e um completo internações no país.

“Estamos muito preocupados com a nova cepa no Brasil, especificamente por sua proximidade com nosso território, por isso devemos estar atentos”, disse Anthony. “Não queremos que os casos se recuperem”, enfatizou.

No momento, como admitiu Anthony, que disse que o Governo da Guiana não possui a capacidade de testes necessária para detectar a nova variante, embora pudesse exportar testes para conhecer seu resultado.

O ministro da saúde esclareceu que embora os vírus sofram mutações naturais, não há evidências de que a nova variante descoberta cause “doença grave” devido ao coronavírus, embora tenha reconhecido os desafios que a Guiana pode enfrentar em seu sistema de saúde devido à transmissão natural do vírus.

Anthony também disse que com o fechamento de sua fronteira terrestre por vários meses, as forças de segurança continuarão a monitorar a fronteira de ambos os países para monitorar qualquer travessia ilegal.

O governante, porém, esclareceu que os governos da Guiana e do Brasil concordaram em permitir, pelo menos uma vez por semana, a entrada de mercadorias entre os dois países, e cuja tarefa é devidamente fiscalizada pelas autoridades sanitárias dos territórios vizinhos.

peronico

http://peronico.com.br

Expedito Perônico, jornalista e colunista de política. Este blog cobre os bastidores do poder em Roraima e em Brasília. Já atuei nos principais veículos de comunicação de Roraima.

Posts Relacionados

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: