Ibope divulgará última pesquisa de intenção de voto para prefeito de Boa Vista na sexta-feira, dia 30.

A Coluna de Hoje | Pubicada 00h30
lll

A prefeita Teresa fez campanha nesse final de semana em comunidades indígenas, nas cercanias de Boa Vista.

Já está registrada no Tribunal Regional Eleitoral de Roraima sob o protocolo RR- 09945/2016, a metodologia do Ibope Inteligência, Consultoria e Pesquisa para realização e divulgação da última pesquisa de intenção de voto na corrida sucessória em Boa Vista. A coleta de dados teve início no sábado, dia 24 – data que que a Pesquisa foi registrada – e será divulgada com o percentual de cada candidato e a respectiva rejeição na próxima sexta-feira, dia 30.

Contratado pela Rede Amazônica de Televisão, o Ibope divulgará os números finais da amostragem no Jornal de Roraima (o principal telejornal TV Roraima, afiliada da Rede Globo). Pela metodologia apresentada ao TRE serão ouvidos 602 eleitores entre os dias 24 e 30 – em vários bairros da capital – e custou R$ 55.350,00 ao canal de TV. O nível de confiança estimado é de 95% e a margem de erro máxima estimada considerando um modelo de amostragem aleatório simples, é de 4% para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra.

Como não aconteceu nada tão extraordinário entre a divulgação das outras duas pesquisas e o momento atual da campanha, a não ser a exasperação dos adversários tentando desconstruir a imagem da prefeita Teresa, é provável que a peemedebista apareça mais uma vez disparada na frente. A pesquisa deve retirar a obscuridade sobre o processo eleitoral para prefeito de Boa Vista e definir um quadro determinante para a eleição de outubro que ocorrerá no domingo, 2.

A grande expectativa é quanto aos índices aferidos, se houve variações e em quais percentuais, já que nas pesquisas anteriores de 29 de agosto e 16 de setembro, Teresa Surita (PMDB) surgiu com vantagem astronômica em relação aos demais, com 70% de intenção de votos na 1ª pesquisa e 74% na 2ª. E mostrou dados relevantes: primeiro, o crescimento da prefeita Teresa Surita (PMDB) – que disputa a reeleição – que foi de 70% para 74%, o que faz projetar uma vitória em primeiro turno, com uma margem considerável de votos. Segundo a impressionante rejeição ao candidato Abel Galinha (DEM) de 50% dos entrevistados.

Sem dinheiro. Não tem 13º
lll

Reunião do Confaz (em Boa Vista) onde secretários de Fazenda analisaram a crise financeira nacional.

A pouco mais de três meses para o final do ano, a maioria dos estados chegou ao ponto de não ter como garantir aos seus servidores públicos se haverá dinheiro para pagar o décimo 13º salário de todos os funcionários.

A constatação foi feita por integrantes do Conselho Nacional de Política Fazendária, o Confaz, que se reuniu em Boa Vista até sexta-feira (23). A situação é muito ruim principalmente nas regiões do Norte – entre estes estados com dificuldades financeiras está Roraima –  e Nordeste, que diante da crise já cortaram investimentos em segurança, pública, saúde e educação.

Segundo dados do Tesouro Nacional até abril, 17 estados já tinham estourado o limite prudencial da lei de responsabilidade fiscal. Com isso já estão proibidos de fazer novas contratações ou dar reajustes. Antes de decidir se vão mesmo decretar estado de calamidade os governadores querem mais uma reunião com o presidente Michel Temer. O encontro ainda não tem data para ocorrer.

Reflexão da crise
llh

Segundo Shiská somente neste exercício de 2016 as perdas de Roraima chegam a R$ 240 milhões.

Ao final da reunião do Confaz, em Boa Vista, na última sexta-feira, o secretário de Fazenda de Roraima, Shiská Pereira, fez uma reflexão sobre a atual crise que assola a maioria dos estados brasileiros, principalmente Roraima.

A dificuldade de repassar o duodécimo de forma integral aos Poderes, por exemplo, decorre da grave crise econômica no Brasil, que afeta Roraima de forma significativa, uma vez que 80% da receita provêm do Fundo de Participação dos Estados.

Ocorre que as transferências originadas no FPE vêm registrando quedas desde o ano passado em todos os Estados. Roraima já acumula, por exemplo, perda de R$ 240 milhões entre o valor previsto pela Secretaria do Tesouro Nacional e o que foi efetivamente repassado até maio deste ano.

O déficit agrava-se mês a mês

Segundo o secretário Shiská o déficit nas contas vem se agravando mês a mês, pois o valor do duodécimo aos Poderes é fixo e não acompanha a variação dos repasses do FPE.

Atualmente, o duodécimo representa 200% da arrecadação líquida do ICMS (Imposto sobre circulação de mercadorias e serviços) de Roraima, percentual incompatível com a fragilidade da economia local, fortemente dependente dos repasses federais.

No Amazonas, por exemplo, um Estado rico, com economia baseada na produção industrial, o duodécimo aos Poderes compromete apenas 40% da arrecadação líquida do ICMS.

Poupança caseira
lll

O candidato Kalil Coelho (de camisa vermelha) em reunião de sua campanha em bairro de Boa Vista.

O candidato Kalil Coêlho (PV) não conseguiu colher nada de doções de terceiros para sua campanha. Nem foi brindado com o dinheiro do fundo partidário.

Ai não teve outra saída senão quebrar o cofrinho, dele e da esposa. Tanto que o dinheiro arrecadado para a campanha de Kalil veio de transferências próprias.

Ele se doou R$ 136.300,00 e sua esposa Elaci Cicilia de Melo Lima Coelho lhe transferiu R$ 30 mil.

O passo-a-passo da PEC 199
llll

Os deputados Maria Helena e Hiran Gonçalves comandam a comissão especial do enquadramento.

Instalada na semana passada, a Comissão Especial criada para tratar da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 199/16 terá 40 sessões plenárias para analisar o texto que tem a deputada federal Maria Helena (PSB) como relatora. O grupo conta com 27 parlamentares e tem o deputado federal Hiran Gonçalves (PP) como presidente.

A PEC altera o art. 31 da Emenda Constitucional nº 19, para enquadrar ex-servidores do ex-território de Roraima na folha de pagamento da União. A proposta é de autoria do senador Romero Jucá (PMDB) e foi elaborada com a colaboração da Advocacia Geral da União.

As 40 sessões plenárias necessárias correspondem 3 a 4 meses, numa média de 3 sessões semanais. Nesse tempo, o relatório apresentado pela deputada Maria Helena tem que ser aprovado pelos parlamentares que compõem a comissão e depois ser votado pelo Plenário da Câmara em dois turnos.

Vale lembrar que PEC já foi apreciada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara que aprovou relatório da deputada estadual Laura Carneiro (PMDB-RJ).

Agendando o voto
ll

Equipe do TRE já está reinada para atender e informar ao eleitor o endereço atual das seções de votação.

Para melhor orientar os eleitores sobre alterações nos locais de votação, a Justiça Eleitoral identificará por meio de faixas os novos endereços. Nas eleições municipais de 2016, nas quais serão eleitos vereadores e prefeitos, 38 locais de votação mudaram de endereço.

Para tirar dúvidas da população em relação aos locais de votação, o TRE-RR disponibiliza o Disque-Eleitor. O serviço funciona no número 3628-0178, todos os dias, das 8h às 19h, no cartório da 5ª Zona Eleitoral. Além do telefone, o cidadão também pode acessar o link www.tre-rr.jus.br/eleitor/titulo-e-local-de-votacao, e consultar sua situação.

Após as eleições realizadas em 2014, ocorreram muitas mudanças de endereço dos locais onde funcionam as seções eleitorais, em virtude de agregações (seção incorporada à outra devido ao número de eleitores) ou em razão de reformas nos prédios públicos. Por isso é importante que os eleitores se certifiquem do endereço para não encontrar problema no dia da votação.

O zoneamento avança
ll

Ademir Passarinho é quem coordena o trabalho de finalização do Zoneamento Econômico Ecológico.

A Secretaria Estadual de Planejamento de Desenvolvimento está trabalhando na finalização do Zoneamento Econômico Ecológico de Roraima. O projeto, que estará pronto no primeiro semestre de 2017, irá indicar quais atividades produtivas poderão ser desenvolvidas em cada região do Estado sem que haja riscos ambientais e quais devem ser protegidas devido à fragilidade da natureza.

Coordenador do ZEE, Ademir Passarinho afirmou que o projeto, iniciado no ano de 1999, irá servir para desenvolver o Estado de forma sustentável. Segundo ele, após aprovação na Assembleia Legislativa, o próximo passo será a divulgação nos municípios, mostrando a importância do ZEE para o desenvolvimento de cada um.

Terminando os estudos, será enviado para a votação na Assembleia e em seguida vamos a todos os municípios para mostrar em que ele pode ajudar no desenvolvimento de Roraima, na elaboração de políticas públicas. Ele faz com que os governos tenham subsídios para elaborarem suas políticas públicas para os diversos setores da economia”, disse.

TRE auxilia eleitor deficiente
ll

Eleitores com deficiência visual contarão com acessórios para auxiliar na hora da votação.

O eleitor com deficiência visual pode requerer um fone de ouvido para votar em sua seção eleitoral. Ao todo TRE-RR adquiriu 600 desses acessórios. Em todo o Estado existem 308 locais de votação e cada um deles terá um fone de ouvido a disposição do eleitor deficiente.

Além disso, todas as urnas eletrônicas têm teclado em braile. Essas são algumas medidas da Justiça Eleitoral para garantir a acessibilidade.

É importante lembrar que, no momento da votação, se não tiver sido feito nenhum requerimento, o eleitor ainda poderá informar ao mesário suas limitações, a fim de que o mesário providencie as soluções adequadas no momento.

Desmatamento cai em Roraima
ll

O desmatamento em Roraima caiu mas em outros estados aumentou 24% de 2014 a 2015.

Dados do próximo relatório oficial do Instituto Nacional de Pesquisas mostram que o desmatamento na Amazônia cresceu 24% de 2014 para 2015. Os números são do Prodes, Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal.

Os dados devem ser divulgados oficialmente num seminário do Ministério do Meio Ambiente nos dias 5 e 6 de outubro. Eles revelam que no período de agosto de 2014 a julho de 2015, foram desmatados 6.207 quilômetros quadrados. O estado que mais desmatou foi o Pará. Seguido de Mato Grosso e Rondônia.

Numa comparação com o mesmo período do ano anterior, nem todos os estados da Amazônia tiveram aumento do desmatamento. O quadro piorou mais em Rondônia, onde o desmatamento cresceu 51% de 2014 para 2015. Em Mato Grosso, o aumento foi de 49%. No Amazonas, 42%. O Pará, estado campeão em área total desmatada, cortou 14% a mais do que no período anterior.

O desmatamento caiu em Roraima, Amapá, Maranhão e Acre. Mas a queda nesses estados não compensou o aumento nos outros.


CONTATOS: www.peronico.com.br – e-mail: peronico.27@gmail.com – Facebook: Peronnico Expedito – Blog do Expedito Peronnico.

Mais Noticias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: