Índios Waimiri-Atroari enviam carta a Sérgio Moro: ‘não somos obstáculos ao linhão de tucuruí’.

Compartilhe nosso conteúdo!

A Coluna de hoje | Publicada 00h17

Índios Waimiri-Atroari querem dialogar e ter direitos respeitados.

No embate do Governo com o aparato ambientalista/indigenista na questão do Linhão de Tucuruí, surge um detalha, se não é novo, surge como alento para todos nós que sonhamos com a energia que virá da interligação.

É que um documento envido pela Associação Comunidade Waimiri-Atroari ao ministro da Justiça, Sergio Moro, rebate a acusação de que os indígenas são os principais obstáculos à efetivação da linha de transmissão Manaus–Boa Vista.

O documento destaca a existência de diversos dados oficiais na Funai que comprovam a disposição dos indígenas em colaborar com as etapas de estudos e levantamentos e abrir espaço para o diálogo com o governo e com os responsáveis pela obra.

“A única condição imposta pela Comunidade Indígena Waimiri-Atroari foi a de que seja respeitado o direito de consulta prévia”, reforça trecho da nota, assinada pelo diretor gerente da ACWA, Mario Parwe Atroari.

Na conclusão do documento, a associação convida Moro e o futuro presidente da Funai – ainda não nomeado – para fazerem visita à terra indígena Waimiri-Atroari, conhecerem de perto a realidade da comunidade e ratificarem o compromisso com o respeito aos diretos assegurados em lei.

Os kinja, como são conhecidos os Waimiri, já entregaram seu protocolo de consulta e, em diversas ocasiões na última década, declararam estarem abertos ao diálogo com o governo brasileiro, o que nunca ocorreu na forma da lei. O início das obras, no entendimento do MPF, depende diretamente da consulta com respeito ao protocolo.

R$ 1,2 bilhão de economia

As termelétricas abastecem Roraima com 100% de energia a diesel.

Pelas contas do Governo estadual, a construção do Linhão de Tucuruí, que vai interligar Roraima ao Sistema Interligado Nacional, o Brasil vai deixar de gastar cerca de R$ 1,2 bilhão ao ano com óleo diesel, que atualmente sustenta as termelétricas no Estado.

Esse valor é diluído em todas as contas de energia elétrica de brasileiros dos outros Estados da Nação.

Este foi um dos pontos defendidos pela PGE (Procuradoria Geral do Estado) durante a sessão de julgamento que ocorreu na semana passada TRF1 (Tribunal Regional Federal da 1ª Região) em Brasília, em que deu ganho de causa ao Governo de Roraima, decidindo pela continuidade das obras do linhão.

Segundo a Roraima Energia, que abastece Roraima com geração térmica, por dia são necessários 1 milhão de litros de óleo diesel para o funcionamento das termelétricas.

Isso equivale a 100 caminhões que transportam o combustível na BR-174 por dia. Conforme a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), o custo diário é de R$ 3,5 milhões, totalizando os R$ 1,2 bilhões ao ano.

Zé Monteirão: campeão 2019

A vibração dos integrantes da Zé Monteirão após o resultado.

Com o tema: “E agora José?” a Quadrilha Zé Monteirão comemorou seus 30 anos e conquistou o título de campeã do grupo especial do Boa Vista Junina 2019.

Zé Monteirão conquistou 119,6 pontos, empatando com a segunda colocada do grupo especial, Eita Junino, que também fez uma grande apresentação.

Após sorteio, os quesitos casal de noivos e animação foram usados como critérios de desempate e a Quadrilha Zé Monteirão levou o título do concurso para casa.

A quadrilha campeã terá a chance de competir nacionalmente pela Confederação Brasileira de Quadrilhas, com as passagens pagas pela Prefeitura de Boa Vista.

Recorde: a maior paçoca do mundo

A paçoca deste ano pesou 1 tonelada e 50 quilos: novo recorde.

A fila dos boa-vistenses esperando ansiosos pela maior paçoca do mundo começou a se formar cedo na noite do último sábado, 22, na Praça Fábio Marques Paracat. E assim como em todos os anos, mais um recorde foi quebrado no Maior Arraial da Amazônia. Neste ano, o “paçocão” pesou 1 tonelada e 50 quilos, servindo mais de 20 mil pessoas.

A nova marca superou em 27 kg o próprio recorde, registrado no ano de 2018. Na edição anterior do Boa Vista Junina, foram produzidos 1.023 kg da iguaria indígena.

No Boa Vista Junina é assim: uma comprometida em oferecer um evento magnífico, tanto para quem mora em Boa Vista quanto para quem visita a capital. A prefeita Teresa Surita destacou que a paçoca já é um prato muito conhecido e que se tornou símbolo da gastronomia local. 

“A ideia surgiu da nossa equipe, que pensou em algo que chamasse o turismo e se tornasse um símbolo local, o que funcionou muito bem porque imediatamente tivemos parceiros, tendo se tornado uma brincadeira muito divertida que há quatro anos reúne a população no nosso arraial”, disse Teresa.

Público aprova e curte

A banda Magníficos foi a grande atração do Boa Vista Junina.

Uma festa verdadeiramente pensada para toda a família. Esse foi o Boa Vista Junina 2019, que em cinco dias trouxe atrações para todos os gostos, fazendo jus ao tema “A chama que aquece o coração”.

A preferência do público começa pela escolha das atrações incluindo a nacional, este ano com a Banda paraibana Magnificos, assim como a valorização de artistas locais que deram verdadeiro show no palco principal do evento e no espaço caipirão.

Falando em alimentação, as opções oferecidas principalmente na maior área de alimentação coberta da história do Boa Vista Junina deram um show a parte. Teve comida para todos os gostos, desde comidas típicas, até as mais moderninhas e gourmet como os food trucks.

E o que foi aquele recorde da maior paçoca do mundo? Mais de 20 mil pessoas vieram prestigiar e se deliciar com esse prato tipicamente regional. O Mercado Junino também foi um diferencial neste ano. Lá o visitante encontrou todos os produtos relacionados ao tema arraial.

A magia das quadrilhas

Meninos do Dedo Verde foram destaque no encerramento.

A magia das quadrilhas no tablado ganhou ainda mais brilho na noite de encerramento do Boa Vista Junina, com a apresentação dos integrantes do projeto Crescer e Cabelos de Prata.

Além da apresentação das quadrilhas vencedoras e convidadas, os jovens do projeto Crescer também subiram no tablado.

E para mostrar que para ser feliz não tem idade, os idosos integrantes do projeto Cabelos de Prata dançaram e emocionaram o público nas arquibancadas.

180 mil nas 5 noites

A multidão lotou a praça em todas as noites do arraial.

O Boa Vista Junina encerrou a programação ontem, 23, superando expectativas e emocionando o público. As cinco noites de festa atraíram cerca de 180 mil pessoas e movimentou aproximadamente 12 milhões de reais na economia local.

Famílias, jovens, crianças, gente daqui e de fora. O maior arraial da Amazônia aqueceu o coração do público e ofereceu o que há de melhor em cultura, entretenimento e gastronomia. Por noite, foram mais de 35 mil pessoas circulando pelas praças.

Para o arraial deste ano, a Fundação de Educação, Turismo, Esporte e Cultura (Fetec) disponibilizou mais de 300 espaços para comerciantes de produtos diversificados, incluindo barracas de alimentação, espaços para food truck, pipoqueiros, ambulantes, espaços para brinquedos infláveis, dentre outros.

Jalser constata o caos no HGR

Jalser vistou o HGR: no corredor a constatação do caos.

É possível que no decorrer desta semana haja notícias sobre a CPI que os deputados estaduais querem instalar para abrir a ‘caixa preta’ na Secretaria Estadual de Saúde.

Ontem, em pleno domingo, o presidente da Assembleia Legislativa, Jalser Renier, fez uma ‘visita-surpresa’ ao Hospital Geral de Roraima (HGR) foco de todos os problemas na saúde pública estadual.

Jalser visitou todos os setores e pôde constatar o caos que se instalou na maior unidade de atendimento do Estado. “Situação preocupante na maior unidade de saúde do Estado”, disse Jalser.

Depois da verificação, Jalser almoçou com alguns deputados e prometeu providências. Mas não falou de CPI.

Falta quase tudo no Hospital

Jalser é abordado por paciente que aguarda na fila de cirurgia.

Jalser constatou a falta de itens hospitalares e medicamentos básicos para atendimentos de urgência como o AAS, utilizado para aliviar a dor. Pela falta de materiais, mais de 500 pacientes esperam por procedimento cirúrgico no Estado. A ortopedia representa 40% da demanda da unidade.

Jalser Renier solicitou um levantamento imediato sobre a quantidade exata de pacientes que precisam ser submetidos a cirurgias e propôs uma força-tarefa para realização de mutirões cirúrgicos.

A visita do parlamentar foi acompanhada pelo adjunto da Secretaria Estadual de Saúde, Elias Carvalho, e da diretora-geral da unidade, Débora Maia.

Na ocasião, Jalser disse ainda que o momento é de unir forças para solucionar a questão. “Estamos buscando através da LDO, que será discutida ainda essa semana na Assembleia, pra que a gente possa nortear as ações”, afirmou.

População cresce com migração

Os venezuelanos continuam chegando a Roraima, aos montes.

Dados do IBGE apontam que em três anos, a população venezuelana em Roraima deve chegar a 79 mil pessoas. Os dados foram divulgados na última sexta-feira, (21).

Segundo a pesquisa, entre os anos de 2015 e 2017 mais de 20,5 mil imigrantes chegaram a Roraima.

O número deve aumentar em 185,4% ao considerar a projeção de 58,5 mil venezuelanos entre 2018 e 2022. Eles fogem da fome, falta de remédios e demais consequências do governo de Nicolás Maduro.

Roraima será um dos oito estados brasileiros a continuar com crescimento populacional até 2065, quando chegará a quase um milhão de habitantes.

Em 2045, a população brasileira começa a diminuir, mas além de Roraima, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Santa Catarina, Amapá, Amazonas e Acre devem permanecer em crescimento.

Maduro prende militares

Maduro mandou prender militares considerados traidores.

A ditadura venezuelana de Nicolás Maduro prendeu seis membros das forças militares e policiais neste fim de semana, segundo familiares e ativistas de direitos humanos.

As prisões ocorreram durante a visita da alta comissária para os Direitos Humanos da ONU, Michelle Bachelet, a Caracas.

Em reunião com Maduro na última sexta-feira, Bachelet pediu que a Venezuela liberte os mais de 700 presos políticos no país.

CONTATOS DO AUTOR

www.peronico.com.br – emails: peronico.27@gmail.com / blogdoperonico@gmail.com / expeditoperonico@gmail.com Facebook: Peronnico Expedito – Blog do Expedito Peronnico.

Compartilhe nosso conteúdo!
By peronico

Expedito Perônico, jornalista e colunista de política. Este blog cobre os bastidores do poder em Roraima e em Brasília. Já atuei nos principais veículos de comunicação de Roraima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts