Investimento em educação de qualidade: Teresa empossa 509 novos professores.

A Coluna de Hoje | Publicada 00h07

Teatro Municipal lotado por novos professores e familiares. Foto | Jackson Souza (PMBV)

A prefeita de Boa Vista, Teresa Surita (MDB) deu posse ontem, 24, a 509 novos professores, sendo 444 pedagogos e 65 educadores físicos. Estes profissionais somarão aos mais de 2 mil professores da rede e reforçarão o ensino nas 121 unidades do município.

Para o ano letivo de 2019, a prefeitura criou mais de 1,6 mil vagas de emprego. Foram dois seletivos das áreas rurais, indígenas e urbanas, que juntos ofertaram 620 vagas para cargos de níveis superior, médio e fundamental, e o Concurso Público de 2018, que ofertou mil vagas para cargos de professores pedagogos, de Educação Física e cuidador escolar.

Apesar da crise em Roraima que fez o Estado perder 400 vagas formais de trabalho no final de 2018, a gestão municipal tem honrado os compromissos lançando concursos públicos e seletivos, criando vagas de emprego com o objetivo de manter sempre a qualidade do ensino em Boa Vista.

Segundo a prefeita, a presença de profissionais concursados na rede é importante porque a gestão pode investir ainda mais em capacitação permanente e na valorização profissional.

Mesmo com a crise financeira em todo o país, a prefeita Teresa Surita tem conseguido gerar emprego e criar novos postos de trabalho, honrando os compromissos com os servidores e com a população. Este mês a prefeitura também empossou 342 cuidadores, deste mesmo concurso, que ofertou um total de 1 mil vagas.

É importante falar que geramos mais de 1.600 empregos para este ano letivo. O nosso ensino municipal está estruturado, temos uma boa merenda, robótica, estamos trocando todo o mobiliário das escolas. O dinheiro é investido mesmo na educação de uma forma saudável, temos atrativos onde faz com que as crianças queiram ir para escola. Trabalhamos diariamente para que a qualidade seja reforçada cada vez mais”, disse Teresa.

Educação priorizada

Em 6 anos a Prefeitura já construiu e entregou 33 novas escolas Fotos | Jackson Souza

Há seis anos, a prefeitura tem investido e priorizado a educação municipal, como parte fundamental no desenvolvimento da primeira infância.

Neste período, foram entregues 33 novas unidades de ensino, incluindo creches e escolas. Dos cerca de 4.5 mil servidores empossados desde 2013, quase 3 mil foram para o quadro da educação.

Hoje os professores de sala de aula recebem R$ 600 de Gratificação de Incentivo à Docência (GID). Boa Vista também é a primeira capital do Brasil a implantar a Robótica Educacional, com materiais manipuláveis, em todas as escolas públicas.

Maduro mantém-se no poder

Maduro quer dialogar mas afirma que não deixa o cargo.

A Força Armada da Venezuela deu ontem (24) seu apoio ao presidente Nicolás Maduro, ao qualificar como “golpe de Estado” em andamento a autoproclamação do parlamentar opositor, Juan Guaidó, como presidente interino com forte apoio internacional.

Ao ler um comunicado à imprensa, o ministro da defesa Vladimir Padrino apontou como autores deste “plano criminoso” “setores de ultradireita auspiciados descaradamente por agentes imperiais”, que, disse, buscam gerar “caos e anarquia” no país.

Pouco antes, oito generais que comandam regiões estratégicas do país ratificaram sua “lealdade e subordinação absoluta” a Maduro, em mensagens difundidas pela TV estatal.

A Força Armada, que se define como seguidora do falecido líder socialista Hugo Chávez (1999-2013) e “anti-imperialista”, é considerada a principal sustentação de Maduro.

Bolsonaro não quer intervenção

Jair Bolsonaro encerrou ontem sua viagem a Davos, na Suíça.

“Nós não vamos embarcar o Brasil numa intervenção militar”. De forma categórica, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) negou qualquer possibilidade de enviar tropas brasileiras para a Venezuela, em entrevista publicada ontem (24) no jornal americano “The Washington Post”.

“Nós não temos um histórico de recorrer a intervenções militares para resolver problemas”, respondeu Bolsonaro, em entrevista concedida à jornalista Lally Weymouth.

Lembrado de que a Venezuela é uma “tragédia humanitária”, Bolsonaro disse o Brasil acolheu e acomodou refugiados oriundos do país vizinho, que realocados por todo o Brasil e auxiliados na “transição”.

OEA quer eleições livres

Reunião da OEA sobre a crise na Venezuela. Foto | Juan Manuel Herrera/OAS

A sessão extraordinária da Organização dos Estados Americanos, que discutiu ontem a situação da Venezuela, reuniu maioria favorável à realização de “eleições livres, justas e transparentes” e interinidade de Juan Guaidó na Presidência da República. Porém, aliados do presidente venezuelano, Nicolás Maduro, como México e Uruguai, também foram lembrados.

Por sugestão dos Estados Unidos, foi aprovada uma declaração na qual são exigidas garantias de segurança para o presidente interino, Juan Guaidó. O documento foi subscrito por Argentina, Bahamas, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, Estados Unidos, Honduras, Guatemala, Haiti, Panamá, Paraguai, Peru e República Dominicana.

Na sessão, o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, ressaltou a importância de se preservar a integridade física de Guaidó. “Pedimos às forças de segurança venezuelanas que garantam a integridade física e segurança do presidente interino Guaidó”, disse.
Maduro do lado de cá

Venezuelanos protestam contra Maduro nas ruas de Boa Vista.

As manifestações pela deposição de Nicolás Maduro transpuseram as fronteiras da Venezuela.

Aqui em Boa Vista imigrantes que fugiram das perseguições, da fome e da violência estão protestando todos os dias pela queda do caudilho.

A manifestação feita ontem na Praça do Centro Cívico mostra o desejo de que eles querem voltar ao país de origem e não estão aqui porque querem.

Mais que nunca o primeiro passo para destituir Nicolás Maduro foi dado pelos próprios ‘hermanos’ em todos os cantos do país vizinho.

E foi engrossado com as manifestações do Grupo de Lima e países europeus que querem a queda do ditador.

A ‘vis crúcis’ dos terceirizados

Representantes da terceirizadas com Denarium, no Palácio.

A exemplo de esposas de policiais militares que acamparam na Praça do Centro Cívico até que os salários dos maridos foram pagos, em dezembro do ano passado, famílias e empregados de empresas terceirizadas que não recebem do Governo há mais de 6 meses, decidiram ocupar o gramado da frente do palácio do Governo para reivindicar o mesmo.

Eles cobram seis meses de salários atrasados, além do pagamento do 13º e de férias a quem tem direito de receber.

Mas as perspectivas não são nada animadoras: o governador Antônio Denarium (PSL) mandou avisar que enquanto não houver equilíbrio financeira, o Estado não terá como pagar seus credores, sobretudo os terceirizados. Há uma possibilidade de que algum pagamento seja realizado no dia 4 de fevereiro.

Em sua página no Facebook Antônio Denarium postou uma foto reunido no Gabinete com representantes dos manifestantes. Disse ter explicado a situação de calamidade financeira em que o Estado se encontra, sendo acordado que o governo vai pagar as contas de 2019 em dia, ficando os meses anteriores a serem quitados quando a situação financeira apresentar equilíbrio.


CONTATOS DO AUTOR www.peronico.com.br – emails: peronico.27@gmail.com / blogdoperonico@gmail.com – Facebook: Peronnico Expedito – Blog do Expedito Peronnico.

Mais Noticias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: