Jalser assume erro por agredir prefeita e decide não recorrer de sentença indenizatória.

A Coluna de Hoje | Publicada 00h22

Jalser pediu desculpas: ‘foi um ato impensado’.

As desculpas certamente não vão restaurar o erro cometido, mas o deputado Jalser Renier (Solidariedades), presidente da Assembleia Legislativa foi ao seu perfil no Twitter pedir escusas pelas agressões à prefeita Teresa Surita (MDB), fato político marcante, ocorrido na véspera das eleições do ano passado.

Jalser foi condenado a pagar uma indenização por danos morais no valor de R$ 40 mil, mas confessou ontem que não vai recorrer da sentença. A confusão ocorreu dia 26 de outubro, dois dias antes do 2º turno das eleições.

Segundo relatou Teresa, à época, Jalser a agrediu verbal e fisicamente com um empurrão e um aperto no braço porque ela havia deixado de apoiar o candidato Anchieta Junior – já morto – na eleição para o Governo.

“Você vai pagar, sua vaca. Você é uma pilantra, você é que rouba. Você rouba. Você é uma puta que rouba. Eu vou te prender, sua puta. Você vai ver o que vai acontecer”, gritava o deputado em meio a uma confusão que se instalou na sede da rádio 93 FM, onde Teresa dava entrevista.

No vídeo divulgado ontem no Twitter, Renier chamou o ocorrido de “episódio infeliz”, pediu desculpas às mulheres e disse que não vai recorrer da sentença por “aceitar como uma prova de que realmente estava errado naquela atitude”.

“Poderia estar certo diante de um momento em que estava defendendo um amigo, mas jamais poderia ter desrespeitado a figura de uma mulher. Foi um episódio que eu realmente confesso como um ato impensado”.

Emendas garantem mais dinheiro para Roraima.

Mais ‘dindin’ para Roraima | Governo e congressistas azeitaram na 3ª feira o que faltava: nos próximos dias serão liberadas as emendas parlamentares ao Orçamento. Isso deve ter impacto positivo no clima interno na Câmara e no Senado.

No ano que vem, os deputados e senadores terão ainda mais dinheiro do Orçamento: até R$ 38,4 milhões em emendas impositivas em 2020.

É a soma das individuais e da fração de cada 1 nas emendas de bancada, que passarão a ser impostas pela Constituição no próximo ano. Só faturam mais do que isso por ano no país 26.011 empresas, 0,18% de todas as registradas na Receita Federal.

As emendas de bancada são de R$ 247 milhões por Estado. O maior quinhão por congressista ficará nas unidades da Federação em que há só 8 deputados (Roraima): R$ 22,5 milhões.

Sampaio não desiste da briga com o presidente Jalser.

Sampaio quer esticar a arenga | O deputado Soldado Sampaio (PC do B), apesar de não ter apoio nem dos parças da base, está determinado a nutrir a arenga entre ele e o presidente da Assembleia Legislativa, Jalser Renier (Solidariedades).

Ontem, inclusive, Sampaio ocuparia a Tribuna onde pretendia requentar o ambiente, que já vive em chamas. Abordaria o pedido de cassação de seu mandato por quebra de decoro parlamentar, por ofensas ao presidente da Casa.

A representação contra Sampaio ao Conselho de Ética foi encaminhada pelo presidente nacional do Solidariedades, o deputado federal paulista Paulinho da Força.

Mas os deputados acharam prudente não ‘fazer sala’ para Sampaio e não deram o ar da graça. E como não havia quórum, não houve sessão.

Nicoletti já anunciou que não deixará PSL.

Vai nessa, Nicoletti? | Deputados federais do PSL “raiz”, como se autointitula o grupo daqueles que romperam com Jair Bolsonaro e se mantiveram ao lado de Luciano Bivar, pretendem destituir Eduardo Bolsonaro da liderança do partido na Câmara na próxima semana.

Ontem, três nomes se movimentam para assumir a liderança: Felipe Francischini, Felício Laterça e Joice Hasselmann.

Na segunda-feira, 2, o diretório nacional do PSL terá reunião para referendar a suspensão das atividades partidárias de 14 deputados, inclusive as de Eduardo.

Como Antônio Nicoletti já afirmou que está alinhado a Bivar, resta saber se o parlamentar roraimense fará parte desse movimento contra a família Bolsonaro, de quem confessa amizade.

Mas já tendo definido sua permanência no PSL, Nicoletti é hoje o deputado federal mais fiel ao governo em votações no Congresso.

De todas as votações que participou no ano, o parlamentar concordou com o governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) em 105 votações (99% das vezes), com apenas 1 voto contrário.

Denarium participou ontem do Fórum em São Luiz. Foto | Secom/RR

Denarium no fórum de governadores | O governador Antônio Denarium – ainda no PSL – esticou até São Luiz (Maranhão) a viagem que começou por Manaus, com a visita de Jair Bolsonaro.

Denarium foi participar do 19º Fórum de Governadores da Amazônia, onde a pauta imperante no encontro foi a oportunidade de receber investimentos e cooperação para uma economia através de baixas emissões de gás carbônico.

Os governadores debateram também questões relacionadas ao desmatamento e queimadas, que será o tema central da reunião Amazon Madri, que acontecerá na Espanha entre os dias 10 e 11 de dezembro deste ano.

Outro tema debatido no consórcio foi a Compra compartilhada de medicamentos através do consórcio da Amazônia legal, que faz com que os valores sejam menores devido ao quantitativo da compra de produtos, o que representa economia de 25%.

Venezuelanos continuam chegando a Roraima todos os dias.

Monitoramento de migrantes | Será criada na quarta-feira (4) no Congresso nacional a Comissão Mista Permanente sobre Migrações Internacionais e Refugiados (CMMIR). Na ocasião, também serão eleitos o presidente, o vice-presidente e o relator do colegiado.

O grupo terá 11 senadores e 11 deputados, escolhidos pelo critério da proporcionalidade partidária. Criada a partir de um ato conjunto dos presidentes do Senado, Davi Alcolumbre, e da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, a CMMIR terá como missão fiscalizar e monitorar, de modo contínuo, questões que tratem de movimentos migratórios nas fronteiras do Brasil e sobre os direitos dos refugiados.

A comissão focará principalmente as políticas públicas de controle migratório e causas e efeitos de fluxos de migrantes internacionais para o Brasil.

Lideres políticos locais debatem a MP 901.

Transferência de terras | A Assembleia Legislativa sediou ontem reunião para discutir a Medida Provisório 901/19, que facilita a transferência de terras da União para os estados de Roraima e Amapá.

A MP simplifica os trâmites para regularização de terras já declaradas, transferidas pela Lei 10.304/01, mas que devido à falta de documentação de terrenos, o processo ainda não foi instalado.

A Mesa Redonda reuniu senadores, deputados federais e estaduais, além de representantes de autarquias, fundações e órgãos públicos, estaduais e federais, sob a coordenação do relator, o deputado federal Édio Lopes (PL).

“A Medida Provisória que estamos relatando é, quem sabe, a última grande oportunidade que nós dos estados de Roraima e Amapá em homologar as transferências de terras da União para os estados”, disse Édio. A Comissão Especial Mista da MP 901/19 tem prazo de 120 dias de funcionamento. Para o parlamentar, este tempo é curto e o grupo precisa correr contra o tempo para concluir os trabalhos.

Para isso, foram estabelecidas audiências públicas, a primeira realizada nesta quinta-feira em Roraima, na segunda-feira (2) no Amapá e em Brasília, na próxima terça-feira (3). “O principal objetivo é ouvir, pegar subsídios que venham contribuir para elaboração do nosso relatório”.

CONTATOS DO AUTOR

www.peronico.com.br – emails: peronico.27@gmail.com / blogdoperonico@gmail.com / expeditoperonico@gmail.com Facebook: Peronnico Expedito – Blog do Expedito Peronnico.



Mais Noticias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: