Ministério Publico escancara investigação que estava sob segredo de justiça.

Compartilhe nosso conteúdo!

A Coluna de Hoje | Publicada 00h06

A Assembleia é alvo de denuncias do Ministério Público.

O Ministério Público do Estado de Roraima surpreendeu a comunidade jurídica local ao expor uma investigação até então mantida sob o manto do Sigilo de Justiça. Em Nota Técnica, o MP divulgou em seu site, no final da noite de quarta-feira (24), o resumo de uma investigação sobre suposto desvio de dinheiro na Assembleia Legislativa.

O MP cita que a apuração é uma extensão das operações “Cartas Marcadas” e “Royal Flush”, deflagradas em junho de 2016 e janeiro deste ano onde R$ 23.679.166,74 milhões teriam sido desviados.

Segundo o MP dois deputados estaduais (Jalner Renier, presidente da Assembleia e Marcelo Cabral) além do ex-deputado Naldo da Loteria estariam envolvidos no “esquema de desvio. Cita ainda servidões da Assembleia, político e empresários – 17 ao todo.

O Ministério Público destaca na Denúncia que os delitos apurados na Operação “Cartas Marcadas” e em seu desdobramento, a Operação “Royal Flush”, são de gravidade e extensão ímpares, o que impossibilita a reunião de todos os crimes e seus respectivos autores em uma mesma ação penal.

Ao todo foram denunciadas 17 pessoas: Anny Karolynny Craveiro da Silva, Carlos Olímpio Melo da Silva, Cleber Borralho de Brito, Cristhiano Pontes Thomé, Cinthya Lara Gadelha Padilha, Gerson da Silva de Melo, Jalser Renier Padilha, Marcelo Mota Macedo (Marcelo Cabral), Maria Jaime Laranjeira Menezes, Marliane Rodrigues da Silva Brito, Niura Cardoso de Souza, Rafael Miranda de Albuquerque, Rafael Sampaio Rocha Lima, Rogério Cabral do Nascimento Júnior, Rosinaldo Adolfo Bezerra da Silva (Naldo da Loteria), Vanina Vanderlei Gadelha Thomé e Verona Sampaio Rocha Lima.

Jalser se manifesta: “perplexidade”

Jalser repudiou a decisão do MP que ‘vazou’ investigação.

Logo que tomou conhecimento da divulgação das informações do MP, o deputado Lalser Renier se pronunciou através de nota pessoal de esclarecimento. Disse que ficou perplexo com a informação de que a procuradora geral de Justiça do Estado de Roraima em conjunto com promotores de Justiça, e em claro desvio de suas funções institucionais, tenham dedicado tempo de trabalho remunerado pelos cofres públicos para praticar ato de aparente ilegalidade materializado por meio de documento intitulado “nota técnica”, oferecido e fornecido pelo próprio Ministério Público a diversos órgãos de imprensa com a suposta intenção de esclarecimento ao público.

“Essa postura do órgão do Ministério Público de Roraima merece a devida apuração, já que se trata de um processo sigiloso, de acesso restrito as partes que atuam no mesmo”, diz.

Segundo Jalser as corregedorias e os órgãos de controle (CNJ e CNMP), bem assim a legislação, sempre recomendaram juízes e promotores de Justiça que não emitam opinião ou concedam entrevista ou informações à imprensa sobre processos penais em que atuam, especialmente os sigilosos.

“Neste caso, as circunstâncias da divulgação são ainda mais graves, não se cuida de vazamento de dados sigilosos de processo em que não se sabe quem foi o autor da ilegalidade. O próprio Ministério Público procurou a imprensa e vazou informações sigilosas. Afora isso, importante anotar que a divulgação se torna ainda mais danosa porque o conteúdo das acusações é totalmente inverídico, sem respaldo de prova algum”.

Jalser Renier disse que confia no Poder Judiciário e nos órgãos de controle do Ministério Público e, bem por isso, serão adotadas providências para apurar falta funcional e abuso de poder.

Saúde estadual sob investigação

Policiais civis recolhem material apreendido no Hospital Geral.

E o dia de foi carregado de notícias policiais no âmbito da administração púbica. Logo cedo a Polícia Civil cumpriu mandado de busca e apreensão no Hospital Geral de Roraima (HGR) e recolheu documentos e computadores na maioria das instalações da unidade de saúde.

Os documentos são referentes às frequências de servidores da unidade, bem como da Cooperativa Brasileira de Serviços Múltiplos de Saúde (Coopebras), investigação que é decorrência da denúncia do ex-secretário Ailton Wanderlei, que detonou a saúde quando deixou o cargo.

Após cumprir procedimentos judiciais, a Polícia Civil relatou, em entrevista, relatou o conteúdo da operação Hipócritas que está investigando um esquema de corrupção envolvendo servidores do Hospital Geral de Roraima e a Cooperbras.

A ação de ontem teve o foco em médicos efetivos que cumprem jornadas simultâneas e os que sequer compareciam ao local de trabalho. O nome da operação faz referência ao médico grego que é considerado “o pai da medicina”.

As investigações tiveram início em abril, após depois que Ailton Wanderley jogou sujeira no ventilador.

MPF denuncia desvio: na saúde

A Sesau de novo envolvida em denúncias de desmandos.

E o Ministério Público Federal também ingressou com ação civil pública por ato de improbidade administrativa contra o ex-secretário de Saúde do Estado de Roraima e uma servidora, além de uma empresa de produtos hospitalares e seu sócio. Eles são acusados de desviar mais de R$ 430 mil do Fundo Nacional de Saúde (FNS).

Relatórios da Controladoria-Geral da União (CGU) apontaram que as fraudes foram cometidas entre 2015 e 2016, e envolveram o fornecimento de equipamentos superfaturados e o favorecimento indevido, por dispensa de licitação, da empresa Medsell Produtos Hospitalares.

A aquisição emergencial de equipamentos foi liberada para combater o avanço das doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, em especial dengue, zika e chikungunya.

A Medsell foi a única empresa convidada a participar dos procedimentos de contratação, colocando preços superiores ao de mercado, sem justificativa. Na ação, o MPF argumenta que o secretário e a servidora também foram responsáveis pelas fraudes, já que tinham conhecimento sobre os atos praticados pela empresa e não tomaram as medidas cautelares na contratação.

Diante dos fatos, o MPF pede a condenação dos acusados por ato de improbidade administrativa, com ressarcimento do dano estimado em mais de R$ 500 mil, mais aplicação de multa e perda da função pública.

Agrofest2019: campos experimentais

Experimentos de sucesso no PA Nova Amazônia.

Uma das novidades desta edição da Festa da Agricultura Familiar (AgrofestBV) é a exposição dos Campos Experimentais, trazendo uma variedade de culturas de milho, soja e sorgo biomassa.

O Campo é inédito no Brasil por trazer cultivares ainda não lançadas a nível nacional. Como uma das atrações do evento, está localizado na própria Associação Elifas Levi Veloso Filho, polo I do Assentamento Nova Amazônia, local da festa.

A ideia do Campo é fazer os experimentos e as análises de resistência ao clima, ao solo e às doenças a fim de obter um banco de dados para embasar os agricultores não só do município como do estado.

Para a implantação do Campo através da secretaria e dos agricultores locais, os materiais foram fornecidos por grandes empresas do segmento, multinacionais entre elas a Basf, Pioneer, For Seed, Morgan, Stein, uma empresa americana estreando no Brasil e a LG que já está há um tempo no mercado.

Quem veio a Boa Vista especialmente para participar do evento foi Daniel Gobbi, representante da Basf, uma empresa alemã com mais de 150 anos de atuação em sementes e proteção de cultivos.

Diversificação da produção

A Agrofest2019 exibe diversos experimentos no campo.

O primeiro dia da 2ª AgrofestBV (ontem, 25), a Festa da Agricultura Familiar, começou com muito aprendizado no Assentamento Nova Amazônia.

Durante toda a manhã foram disponibilizadas palestras e oficinas de instituições parceiras como o Sebrae, Embrapa e Senar, para que os agricultores aumentassem o conhecimento sobre como produzir com qualidade.  

As capacitações, rodadas de negócios e minicursos tem como finalidade agregar valor à produção e proporcionar melhor rentabilidade no campo e vão acontecer durante todos os três dias do evento.

De acordo com o secretário municipal de Agricultura, Marlon Buss, essa é uma iniciativa que coloca a Prefeitura de Boa Vista como inovadora na criação de um ciclo de desenvolvimento.

Também na manhã e tarde desta ontem aconteceram outras sete palestras abordando a segurança da semente e inserção das plantas alimentícias não convencionais, sobre melhoramentos genéticos na bovinocultura e uma oficina sobre os derivados do milho, além de outros temas.

Aprendendo logística | O setor de logística é um dos principais responsáveis para o bom andamento das empresas. Pensando em capacitar profissionais para atuarem no ramo, a Escola do Legislativo – Cursos Preparatórios, Unidade Silvio Botelho, iniciou o curso de Auxiliar de Logística. Durante as aulas, que ocorrem todas as quartas e sextas-feiras, os alunos aprenderão algumas técnicas como recebimento e entrega de materiais e inspeção de produtos. Além do curso de Auxiliar de Logística, a Escola do Legislativo – Cursos Preparatórios deu início também ao curso de Francês. Esta é a segunda vez que a Unidade oferta o idioma à população. As aulas são ministradas pela professora Alclezia Nóbrega e são realizadas às terças e quartas-feiras. O curso tem a carga horária de 30h.

CONTATOS DO AUTOR

www.peronico.com.br – emails: peronico.27@gmail.com / blogdoperonico@gmail.com / expeditoperonico@gmail.com Facebook: Peronnico Expedito – Blog do Expedito Peronnico.

Compartilhe nosso conteúdo!
By peronico

Expedito Perônico, jornalista e colunista de política. Este blog cobre os bastidores do poder em Roraima e em Brasília. Já atuei nos principais veículos de comunicação de Roraima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts