‘Parece que tem fetiche pelo meu bigode’, ironiza Romero Jucá sobre investidas de Rodrigo de Janot.

**** A Coluna de Hoje /// Publicada 00h13 ***

Romero Jucá ironizou as investidas de Rodrigo Janot. “Eu diria que pelo menos é uma fixação”, disse o senador.

O senador Romero Jucá (PMDB), líder do Governo no Senado, reagiu a Rodrigo Janot, e disse que talvez o procurador-geral da República tenha um “fetiche” com seu bigode. Em entrevista ontem em Brasília o senador roraimense foi questionado se considera ser alvo de perseguição pelo procurador. “Eu diria que pelo menos é uma fixação. Ele até deu declaração sobre o meu bigode, não sei se é um fetiche, não sei se é alguma coisa”, disse.

Jucá negou as acusações do procurador e disse que “não tem nada a dever”. “Eu confio na Justiça. Quem parece que não confia na Justiça é o senhor Rodrigo Janot”, afirmou. “Não dá para querer se transformar em justiceiro, passar por cima da Justiça e tentar fazer uma ação deliberadamente contra a política brasileira”, completou Jucá.

Jucá se defendeu das três denúncias apresentadas pela PGR (Procuradoria-Geral da República), disse que não há nada que o comprometa e disse confiar na Justiça. Jucá disse que é “lamentável” a postura do procurador-geral.

O doutor Rodrigo Janot começou bem, mas está tendo uma despedida melancólica, lamentável, triste. Acho que não dá para querer se transformar em justiceiro, passar por cima da Justiça e tentar fazer uma ação deliberadamente contra a política brasileira. Acho lamentável, mas respeito a posição dele. Estranhamente, a investigação ainda não foi concluída. O processo está na Polícia Federal, então açodadamente e intempestivamente o doutor Rodrigo Janot apresenta uma denúncia sem receber os autos da investigação. Vou aguardar o trâmite judicial e vamos responder com tranquilidade”, disse Jucá.

A volta de Jalser: deputado prega harmonia

Jalser retomou seu posto de presidente ontem de manhã. “Nunca perdi a fé na justiça”, disse.

O deputado Jalser Renier (SD) voltou a presidir as sessões da Assembleia Legislativa do Estado de Roraima na manhã de ontem. Ele foi à tribuna e fez uma breve retrospectiva da sua vida política e da recente vitória que obteve junto ao Supremo Tribunal Federal (STF), que por unanimidade anulou o processo ao qual respondia. As galerias e o plenário da Casa ficaram lotados de amigos, familiares e políticos que vieram prestigiar o discurso.

“Esse é um momento especial para mim e para todas as pessoas que acreditaram na minha inocência. É um passo de muitos outros passos para melhorar ainda mais este Estado, que precisa de oportunidade e condição, de união para melhorar a qualidade de vida das pessoas. Por ser pequeno, com união de todos poderemos melhorar a vida de todo mundo”, disse, ao ressaltar o apoio dos amigos como o senador Romero Jucá (PMDB) e os parlamentares que integram o G14.

Ele falou dos “altos e baixos” que experimentou na vida política e salientou que tudo serviu de aprendizado e fortaleceu sua vida pública. Segundo Jalser, as quedas foram necessárias para reorganizar os pensamentos e reestruturar sua vida. “A decisão do Supremo foi uma alegria imensa, porque durante 16 anos passamos por momentos extremamente difíceis, e agora, de uma hora para outra, resolver tudo subitamente, é uma alegria. Nunca perdi a fé na Justiça brasileira”, complementou.

Ao discursar na tribuna, Jalser ressaltou que por acreditar numa decisão favorável, resistiu às intemperes e preferiu mostrar um trabalho diferenciado, para que as pessoas entendessem o direito que lhe fora dado por meio do voto direto, o mandato, como quinto deputado estadual mais votado na atual legislatura. Fonte | SupCom ALE.

Ausência por respeito à Justiça

As galerias da Assembleia superlotadas ontem de manhã durante o discurso do deputado Jalser Renier.

Jalser revelou que afastou-se da presidência por respeito à Justiça e que muito aprendeu ao assumir o papel espectador. “Quando saí do alvo, observei ao meu redor o quanto precisamos aprender e entender as dificuldades que vivemos e jamais se abater, sofrer, porque nada está perdido.

Quando você se queixa da vida, se sente desprotegido, imagine que, naquele momento, tem sempre pessoas vivendo situações piores. Por isso não poderia me render, porque meu abalo era sentimental, mas não era na minha saúde”, afirmou.

Jalser Renier também falou sobre os novos desafios que precisam ser enfrentados de frente para que o Estado volte a respirar, crescer e se desenvolver economicamente.

Precisamos agora nos unir em uma causa própria. Temos desafios grandes como a causa energética que precisa ser encarada de frente, a migração venezuelana, investir em projetos que melhorem a qualidade de vida das pessoas. Isso será feito com a união de todos, da Assembleia, das prefeituras, inclusive a da Capital. Precisamos estar compactados para que o Estado não padeça de sofrimento por instituições que não representam a sociedade roraimense”, afirmou Jalser.

Não pode ser sério

Faradilson foi recebido no gabinete principal do Palácio do Governo por Suely Campos e secretários.

Um governo que se dispõe a receber Faradilson Sampaio na mesa principal do gabinete de despachos, não pode ser levado a sério. Faradilson não passa de um invasor e incitador a invasão de terras públicas e privadas.

Alguém que se alto-proclama líder de uma organização clandestina cuja função principal é planejar e invadir terrenos públicos e privados, deveria ser conservado à lonjura. Suely tem que observar a liturgia do cargo. Gabinete é para despachos relevantes e recepcionar pessoas de vulto.

Mas não, levada a esse vexame sabe-se lá por quem, a governadora Suely Campos além sentar-se à mesa com o ‘lider’ Faradilson em seu gabinete ainda põe seus auxiliares do alto escalão como testemunha.

Vestido com roupas do Exército – ele deveria ser proibido de usar esse tipo de indumentária, o dono da Famer, a entidade que serve para arregimentar invasores, Faradilson quer o apoio de Suely para criar nas cercanias de Boa Vista um bairro que levaria o nome de seu pai, Antônio Torres. Só pode ser brincadeira.

Ah, que se cuidem os seguidores de Faradilson: ele vai cobrar R$ 250 de cada família para a regularização dos lote que, segundo ele, será comprado com recursos próprios pema bendita Famer.

Agora são 6 que podem pular o muro

O Palácio do Governo deve ‘engordar’ com novos aliados se o acerto na ALE se confirmar.

Pelo falatório da ‘rádio corredor’ – aquela que se encarregada de noticiar os bastidores da política nos corredores da Assembleia – não são 5 mas 6 os deputados do G16 que estariam dispostos a cruzar a praça e se alinhar ao Palácio senador Hélio Campos.

O acerto envolveria as secretarias de Educação, Administração, além da Femarh e da decadente e improdutiva Codesaima. E outras ‘cositas más’ visando as eleições do ano que vem.

A ser verdade a transação criará um reboliço na composição dos grupos políticos dominantes na Assembleia, com ampla vantagem para Suely.

Aluguel solidário: Teresa esclarece tudo, de novo

Diante da critica contundente e distorcida sobre a ação da Prefeitura visando ampara os venezuelanos que se encontram nas ruas da cidade, a prefeita Teresa Surita (PMDB) foi novamente a Brasília em busca de acertar as iniciativas para o processo. Assim que saiu do Palácio do Planalto, Teresa postou o resultado do encontro em sua página no Facebook.

Acabei de ter mais uma reunião em Brasília no Palácio do Planalto e estou pensando como devo dizer como foi a reunião, para que fique claro e não sejam distorcidas minhas palavras, ou que o título de qualquer matéria, possa causar má interpretação ou o caos como ocorreu. Foi completamente mal interpretada a palavra “aluguel solidário”. Uma revolta imensa tomou conta de algumas pessoas e o aproveitamento político de outras. Saí de mais uma reunião para avançarmos no planejamento de trabalho, buscando a proteção de Boa Vista, para tentarmos minimizar a crise sem precedentes em relação a Venezuela, que se agiganta todos os dias. Eu não posso e não vou, como Prefeita da cidade que amo, ficar ausente desta situação.  O primeiro esclarecimento que quero fazer, é que fique bem claro, que nem a prefeitura e nem o governo federal vão pagar aluguel de casas individuais para venezuelanos e nem para ninguém. As pessoas interpretaram que seriam alugadas casas individuais para os venezuelanos e não é essa a proposta que estamos construindo. Isso nunca existiu. Isso foi uma mentira inventada com propósitos políticos. Estamos trabalhando na possibilidade de locar abrigos para 50 pessoas, somente para mulheres e crianças (mães e filhos), em situação de extrema vulnerabilidade. E cada caso será analisado com muito critério, pois Boa Vista não tem condições de abrigar muitas pessoas. Não serão atendidos homens solteiros e ninguém em casas individuais como tentaram passar, em hipótese nenhuma. Portanto, não adianta chegar em Boa Vista com esta expectativa, pois isso não acontecerá. Minha preocupação é proteger Boa Vista que não tem condições de atravessar esta crise sem tomarmos atitudes de controle e tentativa de organização. A situação é triste, dói o coração ver o que está acontecendo, faremos o possível para aliviar todo sofrimento, mas dentro das condições que conseguirmos construir com parceiros, pois nossa situação econômica brasileira é difícil pela crise e problemas que vivemos. Fica aqui este esclarecimento”. Teresa Surita | Prefeita de Boa Vista.

Lava-Jato: STF inicia julgamento de Pizollati 

O julgamento de Pizzollati começou ontem no STF. Sessão será retomada na próxima terça-feira.

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) iniciou, ontem (29), o julgamento do Inquérito (INQ) 3980, em que o Ministério Público Federal (MPF) denuncia políticos do Partido Progressista (PP) – João Pizzolatti (secretário extraordinário do Governo de Suely), Mário Negromonte, Negromonte Júnior, Luiz Fernando Faria, José Otávio Germano, Roberto de Britto e Arthur Lira – por corrupção passiva e lavagem de dinheiro por supostos recebimentos de vantagem indevida decorrente da cobrança percentuais sobre os valores dos contratos firmados pela Diretoria de Abastecimento da Petrobras, entre os anos de 2006 a 2014.

Na sessão de ontem, o relator do inquérito, ministro Edson Fachin, leu seu relatório, e foram feitas sustentações orais pelo órgão acusador (o MPF) e pelos advogados dos sete acusados. O julgamento será retomado na próxima terça-feira (5), com o voto do ministro Fachin.

De acordo com a denúncia, o núcleo político do PP – inicialmente encabeçado por José Janene e, com sua morte, por João Pizzolatti e Mário Negromonte, e outros deputados influentes como José Otávio Germano, Luiz Fernando Faria, Roberto de Britto e Arthur Lira –, sustentavam politicamente Paulo Roberto Costa na Diretoria de Abastecimento da Petrobras, para que este garantisse que apenas empresas dispostas a pagar percentual (1%) dos contratos celebrados fossem contratadas.

Aponta-se o montante estimado de R$ 357.945.680,52 que teria sido desviado em vantagens ilícitas. Do percentual de 1% desviado do valor total dos contratos fraudulentos, 60% teriam sido destinados a parlamentares do PP.

João Bosco Baraúnas assassinado: muito estranho!

João Bosco foi morto ontem em casa, de forma bárbara e cruel.

Assassinado ontem em casa de forma fria, bárbara e cruel com 19 facadas, o caso do economista João Bosco Baraúnas entra para a estatística atroz da violência em Boa Vista, que recrudesce, apavora e assombra. A morte de João tem indícios de latrocínio (matar para roubar), mas todas as hipóteses têm que ser consideradas.

Escritor brilhante, excelente profissional, era um crítico contumaz do atual governo,embora funcionário público estadual. João tinha talento para escrever e era um mestre na arte de conhecer os meandros da política roraimense.

Os registros do noticiário policial revelam a intensidade do crime em todas as regiões da capital, com roubos, assaltos, invasões de residências, pessoas esfaqueadas e baleadas, estupros e tudo que nos causam pânico e aversão.

Não há, no entanto, uma resposta do Governo de dona Suely para estes problemas, porque não existe um projeto de segurança. Ao contrário, o pensamento está voltado para ações puramente assistencialistas e politiqueiras. São as caravanas da vida e os tais programas sociais que só geram despesas.

Aquelas ações que geram algum volume de pessoas em sua volta, para que a foto do Facebook ou para sites bancados pelo Governo tenham um aspecto mais abundante, ou seja, que pareça vultosa.

Adesão em peso de famílias do Beiral 

As casas no Beiral vão sendo demolidas a medida que os proprietários fazem acerto com a Prefeitura.

O projeto de reestruturação da área de interesse social Caetano Filho, também conhecido como Beiral, chegou ao total de 166 casas negociadas. Das 241 residências, 68,8% já foram demolidas. Das famílias que já fecharam acordo com o município, 15 foram inscritas no programa ‘Minha Casa Minha Vida’ e estão sendo beneficiadas com o Aluguel Social até a entrega das unidades, e as outras optaram pela indenização.

O monitoramento das demolições, assim como a identificação e o levantamento dos casos vem sendo acompanhado pela equipe do Braços Abertos no Centro de Referência e Assistência Social. O cadastro feito até o momento, já soma 257 famílias atendidas, pois há casos em que uma residência abrigava mais de uma família.

A Procuradoria Geral do Município está analisando todos os processos para que os moradores possam ser amparados pela legislação e garantam tanto a eles como ao município uma negociação correta e transparente.

Do velho ao novo: a grande transformação | A descaracterização da área é o começo de uma grande transformação em que o conhecido Beiral passará a partir de janeiro de 2018 (foto acima). Com a obra a ser edificada no local, serão minimizados todos os tipos de problemas encontrados na região, principalmente com relação às cheias do rio Branco no inverno. A intenção é valorizar a área e dar dignidade às famílias que a cada inverno passam por muitos transtornos e que vivem em áreas impróprias para habitação. As famílias que optaram pela inclusão no Programa Minha Casa Minha Vida ou mesmo aquelas que viviam em casas alugadas na região, serão realocadas para o bairro Laura Moreira, na Zona Oeste de Boa Vista. O local terá o padrão do conjunto Pérola e contará com asfaltamento, drenagem, calçadas, iluminação e toda infraestrutura necessária para uma moradia digna. Por enquanto, estas 15 famílias cadastradas no programa serão beneficiárias do Aluguel Social. O projeto Parque do Rio Branco elaborado pelo arquiteto Claudio Nina, o mesmo que projetou a Ponta Negra, em Manaus, contempla a elevação da avenida Sebastião Diniz, a canalização do córrego Caxangá, obra de macrodrenagem, ajuste do nível para prevenção de enchentes, instalação de equipamentos públicos que promovam a atração turística no local. Terá marina flutuante, cortinas d’água, calçadão e espaço para construção de prédios administrativos.


CONTATOS DO AUTOR | www.peronico.com.br – e-mail: peronico.27@gmail.com – Facebook: Peronnico Expedito – Blog do Expedito Peronnico.

Mais Noticias

Deixe uma resposta