Partidos políticos receberam R$ 1,3 bilhão para financiar campanha eleitoral deste ano.

Compartilhe nosso conteúdo!
A Coluna de Hoje | Publicada 00h10
Os partidos políticos gastaram uma montanha de dinheiro para financiar as campanhas deste ano.

Do total de R$ 1,7 bilhão do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC), o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mandou pagar cerca de R$ 1,3 bilhão para 22 dos 35 partidos políticos que têm direito aos recursos, para o financiamento das campanhas políticas deste ano.

Segundo o tribunal, DEM, Avante, PRB, Pros, PSC, PT, PTC, MDB, Patriotas, PHS, PMN, Pode, PPS, PR, PRP, PRTB, PSD, PSDB, PSL, PSOL, PV e SD receberam a verba para financiar a campanha eleitoral.

Mais 12 legendas – PSTU, PDT, PMB, PP, PTB, Rede, PCB, PCdoB, DC, PCO, PPL e PSB – tiveram o processo aprovado, e o TSE deve emitir as ordens de pagamento nos próximos dias. O partido Novo ainda não indicou ao TSE os critérios de distribuição do fundo para receber sua quota.

Para receber os recursos do fundo, os partidos têm de formalizar o pedido no TSE e mandar a ata da reunião do diretório nacional que definiu os parâmetros de distribuição da verba. Entre os critérios, obrigatoriamente está a destinação de 30% do total para o custeio das campanhas das candidatas de cada partido.

Entre os 5 maiores partidos o MDB terá a maior fatia do bolo: R$ 230.974.290,08, seguido de PT (R$ 212.244.045,51), PSDB (R$ 185.868.511,77), PP (R$ 131.026.927,86), PSB (R$ 118.783.048,51) e PR (R$ 113.165.144,99). Entre os nanicos o Partido Novo terá R$ 980.691,10 para gastar nas eleições deste ano.

O Fundo foi criado no ano passado, como parte da reforma política aprovada pelo Congresso Nacional. Os recursos estão previstos no Orçamento Geral da União e são a principal fonte de custeio das campanhas eleitorais, após a proibição das doações de empresas. Fonte | Agencia Brasil

Jungman vem a Roraima
Jungmam virá hoje a Roraima realizar um raio-x sobre a questão migratória. Ele vai a Pacaraima.

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, deve desembarcar hoje (23) de manhã em Pacaraima, para verificar a prestação de serviços emergenciais aos venezuelanos que chegam ao Brasil em busca de refúgio e oportunidades. Ele irá observar ainda a atuação dos órgãos federais de segurança pública na região.

A visita de Jungmann ocorre cinco dias depois que moradores de Pacaraima se revoltaram contra a presença de imigrantes e atearam fogo em barracas e pertences. A situação levou muitos venezuelanos a deixar o Brasil, retornando para seu país. Parte dos imigrantes buscou apoio em outros municípios brasileiros.

De acordo com a assessoria do Ministério da Segurança Pública, Jungmann irá, por volta do meio-dia, visitar as instalações do Posto de Triagem da Operação Acolhida. Ele quer observar em detalhes os protocolos de refúgio, confecção de CPF e outros tipos de atendimento, como o controle migratório e a vacinação de imigrantes.

Suely quer mais dinheiro
Suely encaminhou ao presidente Michel Temer um pedido de ressarcimento: R$ 184 milhões.

Ontem, 22, o Governo de Roraima protocolou no Palácio do Planalto, em Brasília, um ofício (480/2018 – anexo) em que a governadora Suely Campos reitera medidas anteriormente solicitadas ao Governo Federal. Suely insiste no pedido de mais dinheiro ao Governo Federal, porém, não tem tido sucesso.

São nove pedidos endereçados ao presidente Michel Temer. O primeiro, é que seja efetuado o imediato ressarcimento dos R$ 184milhões que o Governo do Estado já gastou com os imigrantes nas áreas de saúde, educação e segurança.

O documento cita que o maior impacto registrado até agora é na área de saúde. Os atendimentos em consultas, cirurgias e internações realizados no primeiro semestre deste ano superam o que foi registrado em 2017. Até agora já foram feitos 45,1 mil atendimentos nos hospitais estaduais.

Confira os pedidos constantes do Ofício 480/2018:

1 – Ressarcimento imediato de R$ 184 milhões referente a gastos extraordinários do governo de Roraima com os imigrantes nas áreas de saúde, educação e segurança.

2- Instalação imediata de um hospital de campanha em Boa Vista.

3 – Doação imediata de cinco ambulâncias ao Corpo de Bombeiros de Roraima.

4 – Envio imediato de um carro com scâner capaz de fiscalizar a entrada de drogas e armas no posto de fronteira, em Pacaraima.

5- Doação de 50 viaturas para a Polícia Militar de Roraima.

6 – Doação imediata de 20 viaturas para Polícia Civil.

7 – Reforço imediato da atuação da Força Nacional de Segurança, com 120 homens para o patrulhamento de Boa Vista

8 – Agilidade na expedição de autorização pelo Departamento Penitenciário – DEPEN para a reforma da Penitenciária Agrícola de Monte Cristo – PAMC e envio da Força Tarefa de Intervenção Penitenciária – FTIP para garantir agilidade na execução da obra no referido estabelecimento prisional.

9 – Edição de Medida Provisória objetivando a exigência de passaporte de estrangeiros oriundos de países que não compõem o Mercosul.

Mais dinheiro, nem pensar!
Sergio Etchegoyen; “não há por quê mandar mais dinheiro para o Governo de Roraima”.

Sobre o pedido do governo de Roraima para arcar com as despesas de quase R$ 200 milhões que o estado já teve com a chegada em massa dos venezuelanos na região de Pacaraima, o ministro Sérgio Etchegouen disse que “não há por quê” colocar mais dinheiro agora porque o governo federal já enviou recursos à região.

“Tem dinheiro disponível para o governo de Roraima, muito recurso tem sido posto lá em atendimento aos venezuelanos. O governo investiu em Roraima e nos municípios – só na área de saúde, mais de R$ 185 milhões. Desses, 70 mi ainda estão disponíveis”, disse.

“Nós temos na frente dois problemas para resolver: a monumental crise humanitária criada pelas decisões do governo venezuelano e a necessidade prioritária de garantir o bem-estar e a segurança dos brasileiros em Roraima ou em qualquer lugar”, afirmou.

Governo acelera interiorização
Temer reunido com equipe que veio a Roraima: Governo vai acelerar a interiorização de imigrantes.

Após o retorno da equipe interministerial que veio a Roraima investigar a migração, o governo federal prometeu acelerar o processo de interiorização de venezuelanos para outros estados.

Até a semana que vem, cerca de 250 imigrantes deixarão a fronteira brasileira para buscar oportunidades de trabalho em grandes centros urbanos do país. Até o fim do mês que vem, a meta é retirar voluntariamente 1.000 venezuelanos de Roraima, que se somarão aos 830 cujo processo de interiorização já foi concluído.

O presidente Michel Temer reuniu-se com a equipe que viajou a Roraima e com ministros de diversas áreas para discutir o assunto. A subchefe substituta de Articulação e Monitoramento da Casa Civil, Viviane Esse, que  veio a Boa Vista e foi a Pacaraima, disse que o processo de interiorização é feito tendo como prioridade os venezuelanos que querem permanecer no Brasil e não conseguem se deslocar para outros estados por conta própria. Fonte | Agência Brasil

Alunos pedem socorro
Alunos foram pedir socorro aos deputados para a falta de transporte escolar em todo o Estado.

Há 49 dias sem aulas por falta de transporte escolar, pais, professores e alunos da Escola Estadual Albino Tavares pediram ajuda ao Poder Legislativo durante a audiência pública realizada na manhã de ontem, 22, para resolver a situação. Todos temem perder o ano letivo e alegam estar cansados da inoperância do Governo do Estado.

Durante a audiência, a aluna Adria Ricarte denunciou que uma das empresas responsáveis pelo transporte escolar, quando estava ativa, transportava em uma caminhoneta L-200, em única viagem, até 12 alunos, colocando em risco a vida dos passageiros.

Indignados e, ao mesmo tempo, emocionados, pais, professores e alunos relataram que, além do transporte escolar, os alunos padecem com a péssima estrutura da escola com pouca iluminação, ventilação, banheiros quebrados e a descontinuidade da merenda escolar.

Durante a audiência, professores e pais afirmaram que o transporte escolar não está prestando serviço por falta de pagamento às empresas. Segundo a agricultora Valdina Teixeira, mãe de aluna, antes do recesso, após uma manifestação da comunidade que fechou a BR-174 por três dias consecutivos, foi feito um acordo com as empresas.

A Setrabes no escuro
A Setrabes é administrada pela filha de Suely, Emília Campos: escuridão por falta de pagamento.

Uma cena patética e hilária adornou a avenida Mário Homem de Melo, ali nas proximidades do cruzamento com a Venezuela.

É onde fica o prédio da Secretaria do Trabalho e Bem-Estar Social (Setrabes), habitado pela toda-poderosa Emília Campos, filha da não menos poderosa Suely Campos, governadora do pobre Estado de Roraima.

É que a Setrabes ficou às escuras, porque não pagou a conta de mais de R$ 120 mil à Eletrobrás. Daí muita gente ficou pelas calçadas do prédio e pelos corredores, por conta da escuridão e pelo calor infernal nas salas.  Que vergonha.

Ah, pelo mesmo motivo, foi cortado o fornecimento de energia na Feira do Produtor. O local funcionou a base de um gerador velho e barulhento alugado as pressas. A dívida chega a R$ 50 mil.

Gazeteando geral
Apenas seis deputados registraram presença ontem no painel eletrônico da Assembleia.

O período é eleitoral e como convém tá todo mundo envolvido no processo, sobretudo os deputados estaduais que almejam mais um mandato.

Ai às sessões na Assembleia, ultimamente, não têm rendido nada, absolutamente nada de relevante.

E o esvaziamento deu-se quase totalmente ontem, quando tentou-se realizar uma Audiência Pública sobre a crise no transporte escola.

Havia apenas 6 deputados com o nome no Painel de frequência. E zero no Plenário.

Shiská de volta à Sefaz
Shiská voltou para a Sefaz como secreta´rio adjunto, função que já ocupou na Secretaria.

E segue o rito de mudanças no governo de Suely Campos, com troca de nomes em secretárias. É um entra e sai que não acaba mais

É que houve mudanças de novo nas secretarias de Fazenda e Educação. O ex-secretário Shiská Palamitschece Pereira Pires, que ocupava o cargo de secretário adjunto da Educação, voltou o posto inicial de sua carreira na gestão Suely, para adjunto da Sefaz.

Adilma Rosa de Casto Lucena, então adjunta da Sefaz, deu lugar ao Shiská e foi nomeada na mesma Sefaz para chefe de Departamento de receita.

E não fiquem admirado. Estamos no final de agosto e parece que as mudanças de funções de destaque no Governo de Suely só cessarão no dia 31 de dezembro, quando encerra o mandato dela.


CONTATOS DO AUTOR www.peronico.com.br – e-mail: peronico.27@gmail.com – Facebook: Peronnico Expedito – Blog do Expedito Peronnico.

Compartilhe nosso conteúdo!
By peronico

Expedito Perônico, jornalista e colunista de política. Este blog cobre os bastidores do poder em Roraima e em Brasília. Já atuei nos principais veículos de comunicação de Roraima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts