Prola sai da caverna: Suely põe no comando da PM o coronel que comandava a ‘tropa de choque’ de Zé Anchieta.

Compartilhe nosso conteúdo!
*** A Coluna de Hoje ||| Publicada 00h13 ***
Prola recebe os cumprimentos de Suely após assinatura do decreto de sua nomeação para comandar novamente a Polícia Militar.

A governadora Suely Campos (PP) decidiu recrutar para seu time o homem que liderava a ‘tropa de choque’ de José Anchieta, um antigo desafeto político: ela nomeou para comandar a Polícia Militar de Roraima o coronel da reserva Edison Prola em substituição ao coronel Dagoberto Gonçalves. O anúncio foi feito por Suely em sua página no Facebook e o decreto de nomeação [já publicado no Diário Oficial do Estado] foi assinado ontem mesmo, no escritório da residência da governadora.

Os motivos da permuta obviamente não serão expostos, mas o arregimento de um oficial experimentado mesmo que tenha servido em gestões anteriores, deve ter um significado estratégico nos planos políticos de Suely. Prola, todos sabem, além do domínio sobre a tropa, tem uma visão mais estratégica de comando e seu regresso causa certo impacto no meio em função de sua bagagem adquirida ao longo do tempo em que foi o ‘braço de ferro’ do velho brigadeiro Ottomar, posteriormente nos governos de Zé Anchieta e Chico Rodrigues.

Mas por que Prola e não um outro oficial superior mais jovem da atual safra da PM ou alguém da ativa? Exatamente porque na visão de quem indicou Prola à governadora, esteja precisando de ‘sangue novo’, embora essa metáfora tenha que ser extraída de um oficial da caserna, além é claro, de outros elementos políticos incultos que foram levados em conta na escolha. Tudo leva a crer que o governo quer uma reação mais arrojada da corporação às ações das facções criminosas que atemorizam a populução. Nesse esquisito específico, terá.

A verdade é que o retorno e Prola à ativa de certa forma aviva o ambiente no quartel e pelas manifestações testemunhadas ontem nas redes sociais [que serve de termômetro para qualquer ressonância, uma espécie de praça pública virtual] a reintrodução do velho coronel (embora ele tenha apenas 51 anos) no comando da PM não gerou resistência pelo menos fora do QCG.

E a afinação entre o coronel e a governadora se deu nessa mesma atmosfera de troca de mensagens na Internet. Em suas respectivas páginas no Facebook: Suely agradeceu os serviços prestados pelo coronel Dagoberto Gonçalves, ao mesmo tempo, deu às boas-vindas ao coronel Prola que em retribuição agradeceu ‘com bastante humildade’ o convite e já cuidou de mandar seu recado aos companheiros de tropa. “Aos meus companheiros da briosa Polícia Militar de Roraima, homens e mulheres que dedicam suas vidas em prol da sociedade roraimense saibam que estamos juntos nessa jornada!”.

Coronel Nelson rejeita Prola. E se demite
O coronel Nelson chefiava a Casa Militar e ontem anunciou sua exoneração em protesto à nomeação de Prola.

A troca de Gonçalves por Prola, no entanto, não agradou outro antigo coronel da PM, aliás, o mais próximo da governadora Suely Campos e do ex-governador Neudo Campos: Nelson de Deus Silva. Logo que soube da escolha de Prola, o coronel Nelson, chefe da Casa Militar, um cargo de destaque na estrutura oficial,  anunciou sua exoneração. Uma grande baixa, sem dúvida.

Nelson arguiu para a atitude, estranha por sinal, que estava saindo “em solidariedade do amigo Gonçalves”.  E anunciou que estava de volta ao quartel, mas antes de anunciar a partida, deixou um ‘parabéns’ ao novo comandante que soa mais como um ‘abraço de tamanduá’.

A postura de Nelson não deixa de ser uma resistência ao escolhido, demonstrada claramente que no quadro do oficialato há alguém com igual capacidade e de posição conciliadora. Deixa evidente que Prola não marchará de forma unida na cúpula superior da Briosa. E ontem alguns oficiais de alto coturno iniciaram um movimento anti-Prola.

Antigos desafetos. Agora aliados?
Haroldo tem uma trajetória antiga na Secretaria de Planejamento. Vem desde o tempo de Getúlio Cruz.

A pergunta é: por que a governadora Suely Campos resolveu agora arrebanhar ex-auxiliares de José Anchieta, seu antigo desafeto, para compor seu time? Zé Anchieta foi sabidamente o maior inimigo do gruo da governadora, inclusive açoitado por Neudo Campos durante os quase quatro anos do segundo mandato.

Anchieta polarizou com a família de Suely durante anos o domínio da política local e derrotou Neudo na campanha 2010, com uma pequena vantagem mas foi acusado de ter comprado votos e usado demasiadamente a máquina do governo em seu favor, o que lhe rendeu um bocado de processo na Justiça por crime eleitoral. Os anos seguintes de Anchieta foram de tormentas: governou amparado por efeito de liminares até o último dia do mandato.

Na esteira das repatriações, Suely já agregou o experiente economista Haroldo Eurico Amoras dos Santos para o Planejamento e o não menos experimentado jornalista Gustavo Abreu para a Comunicação. E agora o coronel.

E a visão política do grupo, com olhos na campanha do ano que vem, conjectura novos cortejos de gente que serviu ao Zé Anchieta no primeiro escalão. A conferir.

Vereadores atrapalham Teresa
Se o plenário da Câmara retardar a aprovação do reajuste quem sai perdendo são os servidores municipais.

Quando anunciou o reajuste de 5% sobre o salário de todos os servidores do município, a prefeita Teresa Surita (PMDB) foi absolutamente clara: ‘o reajuste é fruto de um rigoroso planejamento o que possibilita agregar agora esse percentual sobre os vencimentos. Estamos fazendo o que é possível’.

Teresa tem agido sempre ancorada na prudência e nunca dá o pulo além do tamanho das pernas. Por isso sua administração tem sido enxuta e produtiva. O reajuste será melhorado, ela disse isso, conforme o resultado financeiro do exercício.

Mas o esforço de Teresa, que vem driblando a crise a sempre mantendo as contas em dia, será inútil se não houver a resposta positiva no parlamento. O aumento anunciado na semana passada e que já deveria ter sido votado na Câmara de Boa Vista, simplesmente travou porque alguns vereadores insanos acham que o percentual deveria ser maior.

Tem algum entendido, que sequer tem noção do que venha ser receita e despesa, alvitrando 20% de reajuste. Isso está fora de cogitação, absolutamente irreal para o momento financeiro do município. Teresa quer incorporar o aumento a partir de 1º de junho. Se não conseguir, a culpa é dos vereadores. De alguns, claro…

Um ‘carguito’ para o ‘Ivo Sorrisão’
Ivo e seu indefectível sorriso aparece aqui em evento do Governo, quando era secretário de Comunicação.

O primeiro secretário de Comunicação de Suely, Ivo José Wanderley Gallindo Filho [que era mais conhecido como ‘Ivo Sorrisão’, porque estava sempre com a arcada dentária à mostra], demitido por absoluta incapacidade e falta de malícia no relacionamento com a imprensa e colegas de profissão, ganhou nova sinecura no Governo.

O moço foi admitido para ser diretor de Programação da Rádio e Televisão Difusora de Roraima. O salário é corresponde ao esplendor da função. Mas, desde quando Ivo entende de programação de rádio?

Para alojar Ivo na folha do Governo Suely dispensou o experimentado radialista Eduardo Carvalho, que além da função que ocupava na rádio estatal, comanda o Cidade em Ação, programa campeão de audiência na FM Monte Roraima, 107.9.

‘Reformas têm que continuar’, diz Jucá
O senador Romero Jucá tem certeza que as reformas não serão paralisadas em função da crise.

O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB), afirmou ontem que as votações não serão paralisadas pela crise que está acontecendo nos últimos dias. “Os partidos da base defendem a apuração dos fatos, a investigação é necessária, mas isso não significa que vamos paralisar votações importantes para o Brasil”, disse.

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE) e o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), se comprometeram em continuar as votações que são importantes para a economia brasileira, como projetos de lei e Medidas Provisórias que já estão tramitando nas duas Casa.

Além disso o líder confirmou a continuidade do calendário de votação da modernização da legislação trabalhista, cujo relatório será apresentado na Comissão de Assuntos Econômicos pelo senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES).

Direito assegurados 
A inciativa de Jorge Everton serve como proteção aos servidores e aposentados em caso de problemas financeiros.

Durante a sessão de ontem, na Assembleia Legislativa, os deputados aprovaram em primeiro turno a Proposta de Emenda à Constituição, de autoria do deputado Jorge Everton (PMDB), que funciona como uma proteção aos servidores públicos e aos aposentados em caso de cortes financeiros que possam ser realizados pelo poder público estadual.

Ele explica ainda que a Proposta, além de proteger, também aponta caminhos para driblar a crise sem penalizar a classe trabalhadora e os aposentados. “Em caso de necessidade de demissões, que seja obedecida uma regra, e qual seria ela? A extinção de secretarias extraordinárias que muitas vezes servem apenas para cabide de empregos e até priorizar a demissão de servidores que estão ocupando representação fora do Estado e que não estão aqui [Roraima] trabalhando”, sugeriu o deputado.

Como existe em alguns governos essa intenção para cumprir o limite dos gastos públicos, segundo regulamenta o artigo 169 da Constituição Federal, eu me antecipei e já criei uma regra de proteção aos nossos servidores estaduais”, afirmou ao explicar que em algumas situações, quando se fala em crise, “querem logo cortar o salário dos servidores, demitir, cortar direitos previdenciários”. “Isso nos preocupa, pois a culpa da crise, não pode ser do servidor”, reforça Everton.

Socorro aos índios desabrigados
Coronel Chagas chamou a atenção para o fato de que os índios vem sofrendo desses traumas todos os anos. 

A situação crítica das comunidades indígenas no município de Uiramutã, ao Norte de Roraima, chamou a atenção do deputado Coronel Chagas (PRTB), vice-presidente da Assembleia Legislativa. Ontem ele fez pronunciamento para pedir apoio e mobilização do Poder Legislativo para ajudar as dezenas de famílias desabrigadas por causa da cheia dos rios Uailã e Maú.

Informações apresentadas pelo parlamentar durante o discurso, mostraram que enchentes dessa proporção aconteceram há 20 anos na região e destacou os trabalhos da Defesa Civil, Corpo de Bombeiros Militar de Roraima, sociedade civil e Exército Brasileiro na retirada das famílias dos locais atingidos pela água e na entrega de donativos. Mesmo com alerta de intensas chuvas emitidos em fevereiro, para Coronel Chagas é impossível prever a força da natureza.

Para o parlamentar, além de roupas, alimentos e utensílios, é importante a colaboração com materiais de construção. “Temos que nos preocupar também com material de construção para aquelas famílias, são dezenas de famílias desabrigadas porque suas casas foram destruídas”, lamentou. Ele pediu para que a Assembleia realizasse uma mobilização com os deputados e servidores para arrecadar itens, principalmente para o levantamento das casas.

Suely veta dois projetos na ALE
Lenir disse que vai ‘arregaçar’ as mangas e trabalhar para derrubar os vetos governamentais em Plenário.

A governadora Suely Campos (PP) vetou dois projetos aprovados por deputados, sob alegação de vícios e inconstitucionalidade. O primeiro prorrogava por mais 60 dias, do prazo de licença remunerada, por motivo de doença em pessoa da família, aos servidores públicos civis que comprovem que os rendimentos do cargo constituem o único meio de subsistência do núcleo familiar no qual o doente está inserido.

O Governo alega que a proposta apresentada pelos deputados Lenir Rodrigues (PPS), Masamy Eda (PMDB) e Chico Mozart (PRP) é de competência privativa do Executivo. O veto será discutido e votado em turno único, no prazo de 30 dias. A deputada Lenir Rodrigues adiantou que vai trabalhar para derrubar o veto no Plenário da Casa.

O outro veto foi ao projeto, de autoria do deputado Masamy Eda (PMDB), que torna obrigatória a inserção do tipo sanguíneo e RH na carteira de identidade. Outra garantia do projeto é de que pessoas portadoras de diabetes possam requerer, mediante apresentação de laudo médico, a inclusão de informações da tipagem da doença na cédula de identificação.

Panfleto que será distribuído hoje nas ruas de Boa Vista contra as reformas propostas pelo Governo.

‘Ocupa Roraima’ toma as ruas hoje | A Frente Sindical e Popular de Luta contra a PEC 287 vai realizar, nesta quarta-feira (24), o “Ocupa Roraima”. Trata-se de mais uma manifestação pública, no centro de Boa Vista, contra as Reformas da Previdência e Trabalhista, proposta pelo Governo Temer, atualmente sob suspeita de envolvimento com diversos crimes contra a nação brasileira. Segundo o presidente do Sindsep Roraima, José Carlos de Oliveira Gibim, a manifestação desta quarta vai ocorrer em três etapas: panfletagem no terminal de ônibus das 6h30 até às 8 horas; panfletagem na avenida Jaime Brasil das 8 às 9 horas; e ato público na Praça do Centro Cívico, em frente à Assembleia Legislativa, das 9 às 11h30. Gibim adiantou que o “Ocupa Roraima”, assim como o “Ocupa Brasília”, é a preparação para a greve geral de dois dias, articulada pelas centrais sindicais em nível nacional, que deve ocorrer no mês de junho.


CONTATOS DO AUTOR | www.peronico.com.br – e-mail: peronico.27@gmail.com – Facebook: Peronnico Expedito – Blog do Expedito Peronnico.
Compartilhe nosso conteúdo!
By peronico

Expedito Perônico, jornalista e colunista de política. Este blog cobre os bastidores do poder em Roraima e em Brasília. Já atuei nos principais veículos de comunicação de Roraima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts