Sob pressão, ministro da Justiça anuncia envio da Força Nacional para Roraima. E Suely pede que levem líderes do PCC para bem longe daqui.

Compartilhe nosso conteúdo!
A Coluna de Hoje | Publicada 00h13
O Ministério da Justiça anunciou o deslocamento de 100 homens para Roraima. Mas eles não atuarão como força repressora dentro dos presídios.
O Ministério da Justiça anunciou o deslocamento de 100 homens para Roraima. Mas eles não atuarão dentro dos presídios.

Sob cobrança da governadora Suely Campos (PP), que ontem bem cedo enviou ofício ao presidente Michel Temer anunciando que seu governo não pode “garantir a integridade física” dos presidiários de “forma plena”, nem a segurança nos presídios arruinados de Roraima, o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, informou que autorizou o envio de membros da Força Nacional aqui para Boa Vista com o objetivo de ajudar a controlar a crise no sistema penitenciário a fim de evitar novas tragédias como a de sexta-feira onde 33 detentos foram assassinados.

Os homens não deverão substituir agentes penitenciários dentro das prisões, mas reforçarão a segurança do entorno, podendo dar apoio às barreiras, ajudar na recaptura de fugitivos, escolta e guarda de presos que eventualmente precisem se deslocar para algum tribunal, por exemplo. “A Força Nacional] não poderá realizar substituição do que seria a função de polícia penitenciária”, explicou. O transporte desses militares será feito por aviões da Força Aérea Brasileira.

Os integrantes da Força Nacional chegarão a Boa Vista na madrugada desta terça. Moraes disse que o governo federal autorizou Roraima a usar R$ 9,9 milhões de seu orçamento para ampliar em 660 vagas a cadeia pública de Boa Vista. O governo vai enviar ainda 38 armas e kits anti-tumulto, com capacetes, escudos e máscaras.

A governadora de Roraima, Suely Campos (PP), havia solicitado o reforço da Força Nacional, vinculada ao Ministério da Justiça. Em uma carta, ela reconheceu que o seu governo não pode “garantir a integridade física” dos presidiários de “forma plena”. Sob essa justificativa, solicita “em caráter de urgência” maior auxílio financeiro para financiar construções em duas penitenciárias do Estado. A ajuda envolve recursos, equipamentos e transferência de presos, entre outros.

Ainda dentro do planejamento necessário a assegurar a tranquilidade na PAMC e evitar motins, fugas e novas chacinas, Suely pediu também que o presidente Temer se encarregue de cuidar, através do Ministério da Justiça, da transferência para bem longe de Roraima de oito líder da facção criminosa do PCC para presídios federais, suspeitos de estarem envolvidos na carnificina da última sexta-feira. O Ministério da Justiça acatou o pedido e aguarda autorização judicial para transferir os presos para um presídio federal.

“Errei, mas não no mérito”, diz Moraes
Alexandre
Dessa vez Alexandre de Moraes não esperou nem um dia para atender o pedido de Roraima. 

O ministro foi questionado se houve um erro ao ter negado. no fim de 2016, o envio da Força Nacional a Roraima.

“Eu errei por um esquecimento e aí nós fizemos uma nota [de esclarecimento]. Na resposta, na divulgação, houve um erro de comunicação. Mas no mérito [do pedido] não. Porque a Força Nacional não pode ser polícia penitenciária”, disse. “Agora, foi solicitado [pelo governo de Roraima] o envio para segurança pública e foi deferido”, acrescentou, explicando que os integrantes da Força Nacional são policiais militares, e, portanto, não podem tratar dos presos. “Quem prende não deve cuidar [dos presos], isso é unânime.”

Em ofício enviado no dia 21 de novembro do ano passado, o governo de Roraima solicitou ajuda “em caráter de urgência”. A governadora solicitou apoio do governo federal para atuar no sistema prisional do Estado, incluindo reforço da Força Nacional de Segurança, mas o pedido foi negado. À época, em resposta ao pedido de socorro, o ministro informou, por meio de ofício, que “apesar do reconhecimento da importância do pedido de Vossa Excelência, infelizmente, por ora, não poderemos atender ao seu pleito”. [Com informações | Redes abertas na Internet].

Estado falido e herança maldita
O secretario Uziel de castro
O secretario Uziel de Castro detonou os governos anteriores: “nunca houve investimento em presídios”.

O secretário de Justiça, Uziel de Castro, classificou a situação prisional do Estado atualmente como “herança maldita” herdada dos governos anteriores. “O governo recebeu o Estado falido, com um R$ 1 bilhão em dívidas. O governo anterior nunca fez uma obra no sistema penitenciário”, afirmou o secretário.

Para Castro, o governo não está tapando o sol com a peneira e a situação de Roraima se repete na maioria dos Estados brasileiros.

“Vivemos uma tensão todos os dias. Ontem à noite teve tensão na cadeia pública e na Monte Cristo”, afirmou. “O problema central hoje é uma guerra de poder entre as facções”, completou.

Segundo o delegado Marcos Lázaro, foi instaurado um inquérito para apurar de onde partiu a ordem para as mortes e quem são as lideranças responsáveis pela execução do massacre. O inquérito tem um prazo de 30 dias.

 A causa das mortes
ll
Os presos foram mortos porque se recusaram a ingressar na facção criminosa PCC.

Ainda na entrevista de ontem Uziel de Castro revelou a suposta razão que levou ao massacre do último dia 6, com 33 detentos mortos.

Segundo ele o serviço de inteligência da Polícia detectou que os detentos foram vingados por que se recusaram a assumir uma posição declarada de membros do Primeiro Comando da Capital (PCC), a facção criminosa que domina a PAMC.

“Não foi um acerto de contas, não foi uma vingança. O nosso serviço de inteligência está detectando possivelmente uma represália a presos que não queriam aderir à facção PCC. Nenhum suspeito de participar do massacre foi identificado”, disse Uziel..

Torrando o nosso dinheirinho
ll
Hiran Gonçalves foi quem mais gastou entre todos os deputados roraimenses: o 2° de todo o país.

Encerrado o exercício financeiro no Congresso Nacional, os números mostram que a Câmara dos Deputados parece alheia à crise financeira no País, que já deixou mais de 12 milhões de desempregados.

Em 2016 nossos representantes federais torraram de janeiro a dezembro simplesmente R$ 4.035.187,05 – ou seja, mais de quatro milhões de reais com a “divulgação (publicidade) da atividade parlamentar”. Tudo ressarcido por meio da Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar, o “cotão”, uma espécie de saco sem fundo que custeia todo tipo de gasto: de panfletos a consultorias.

Dos nossos deputados o novato Hiran Gonçalves (PP) foi o campeão de gastos: torrou 544 mil. Hiran, aliás, é o 2º maior gastador entre todos os 513 deputados federais de todo o Brasil. Depois de Hiran vem Abel Galinha (DEM), com R$ 537 mil, Édio Lopes (PR) com R$ 535 mil, Carlos Andrade (PGS) com R$ 523 mil, Remídio PR) com R$ 500 mil, Maria Helena (PSB) com R$ 481 mil, Shéridan (PSDB) com R$ 465 e Jhonatan de Jesus (PRB) que foi o mais franciscano entre todos: usou apenas R$ 447 mil.

O valor milionário é custeado com dinheiro público. O parlamentar apresenta nota fiscal dos serviços e é ressarcido pelo Congresso. Os valores gastos para fazer propaganda não contemplam o salário mensal de R$ 33,7 mil dos deputados. Esse gasto é outro.

No Senado, Telmário Mota (PDT) foi o senador mais gastador de Roraima: comeu R$ 447 mil da verba indenizatória.

Relacionamento sem ranhuras
ll
Teresa deixou bem claro sua aliança com o pastor Manoel Neves.

A prefeita Teresa Surita (PMDB) cuidou de dar um banho de água fria nas insinuações. Com a eleição de Mauricélio Fernandes para a Câmara de vereadores, o pastor Manoel Neves PRB) foi malhado feito judas.

Havia indiretas sobretudo nas redes sociais creditando à Neves a derrota de Renato Queiroz (PSB), o prefeito da prefeita, que perdeu a peleja por apenas 1 voto.

A fofoca não contaminou o relacionamento de Teresa com o pastor. E ela fez questão de deixar isso bem intenso em seu perfil no Facebook.

Quero agradecer a parceria do vereador Pastor Manoel Neves, meu parceiro dentro da câmara dos vereadores. Confio no seu apoio Pastor, sei que contei e conto com sua parceria. Temos muito que trabalhar juntos por Boa Vista. Meu abraço! 

Sobre o esvaziamento do CPP 
jj
O CPP de onde os presos foram retirados por uma medida de segurança, segundo a Justiça.

A Justiça local esclareceu ontem, para que não prosperem as insinuações maldosas, que a decisão judicial referente a prisão domiciliar de 160 reeeducandos no período de 7 a 13 deste mês, ocorreu em virtude do pedido da própria direção do Centro de Progressão Penitenciaria (CPP), que disse temer pela vida dos internos, devido a ameaça de facções criminosas em invadir o local.

Além disso, foi constatado a morte de três presos quando retornavam para Centro de Progressão Penitenciaria nos dias 21, 22 e 28 de dezembro de 2016. Ao analisar a situação, o Poder Judiciário decidiu que todos os reeducandos em regime semiaberto que já estão em processo de ressocialização, com autorização para trabalho externo e permanência das 6h às 20h em sociedade, possam durante esse período pernoitar nas próprias residências.

Levou-se em consideração que se trata de presos que obtiveram o direito a saída temporário no final do ano e retornaram para o CPP na data estipulada e sem registro de nenhuma infração criminal ou ato ilícito.

Investimento em saúde pública 
ll
Jhonatan de Jesus vê como absoluta necessidade o investimento na Unidade de Oncologia no HGR.

O deputado federal Jhonatan de Jesus (PRB), que também é médico, anunciou investimentos de R$ 2,5 milhões na saúde pública do Estado com a implantação no Hospital Geral de Roraima (HGR) da primeira Unidade de Alta Complexidade em Oncologia (Unacom) até o final deste ano. Os recursos foram conseguidos por meio de emenda parlamentar.

Segundo Jhonatas os pacientes roraimenses ainda dependem do atendimento fora do domicílio para o tratamento do câncer. “Por isso me esforcei em consegui esse dinheiro por entender se tratar de uma necessidade urgente”, disse.

Jhonatan informou ainda que destinou mais de R$ 25 milhões para a área de saúde de Roraima, recursos que estão sendo investidos em reformas de hospitais, compra de equipamentos e construção de novas unidades de atendimento.

novapracadocauameNova Praça do Cauamé | Na noite desta terça-feira, 10, a partir das 18h, a Prefeitura de Boa Vista inaugura o mais novo espaço de lazer para o boa-vistense: a Praça do Cauamé, localizada na rua Bolívia. Essa é a primeira área de lazer construída na região. A praça tem: Wi-fi gratuito, estacionamento, quadra poliesportiva, playground moderno, duas lanchonetes com áreas de mesas, posto de vigilância da Guarda Civil Municipal, aparelhos de ginástica, iluminação conta com lâmpadas de LED, mais econômica e maior durabilidade, bancos para descanso, piso revestido com paver – antiderrapante com alta durabilidade – e lexeiras.

Maduro, o benevolente
ll
Maduro elevou o salário mínimo na Venezuela para 40 mil bolívares: corresponde a 60 dólares.

O presidente venezuelano Nicolás Maduro anunciou um aumento de 50% no salário mínimo venezuelano, que chegou a 40.638 bolívares.

Isso equivale a 60 dólares, segundo a taxa oficial, e 12 dólares, no câmbio negro, que é o que conta.

A inflação em 2016 foi de cerca de 475%.


CONTATOS DO AUTOR | www.peronico.com.br – e-mail: peronico.27@gmail.com – Facebook: Peronnico Expedito – Blog do Expedito Peronnico.
Compartilhe nosso conteúdo!
By peronico

Expedito Perônico, jornalista e colunista de política. Este blog cobre os bastidores do poder em Roraima e em Brasília. Já atuei nos principais veículos de comunicação de Roraima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts