Teresa abre o jogo e pela 1ª vez fala da possibilidade de disputar o Governo: ‘meu maior sonho é governar Roraima e arrumar o Estado’, escreveu no Twitter.

A Coluna de Hoje | Publicada 00h11m

Teresa declarou no Twitter que seu grande sonho é governar Roraima. Candidatura ao Governo está cada vez mais próxima.

Em situação confortável frente as pesquisas preliminares de intenção de voto, onde aparece como favorita em todos os cenários possíveis, inclusive com a projeção de ganhar já no primeiro turno, a prefeita Teresa Surita (MDB) resolveu ‘sair do casulo’ e pela primeira vez manifestou-se clara e abertamente sobre a possibilidade de disputar o Governo de Roraima nas eleições de outubro.

Até então agarrada ao silencio e prudente nas respostas sempre que questionada, para não precipitar interpelações temerárias ou equivocadas, Teresa resolveu abrir o jogo, saiu do casulo e em sua conta no Twitter escreveu o que pensa sobre a candidatura, diante de tantos questionamentos e manifestações de apoio que aparecem todos os dias, pessoalmente, nas redes sociais e em grupos fechados de Wats App.

Ela escreveu: “todos os dias muitas pessoas pedem minha opinião e perguntam se serei candidata a governadora. Quero dizer que meu maior sonho é governar Roraima e ter a chance de arrumar nosso Estado com mais desenvolvimento, responsabilidade, transformação, conhecimento, dedicação e amor. Um Estado justo para rodos”.

Teresa confessa que pensa nisso (trabalha pelo povo) todos os dias e garante que sempre fará o melhor para a maioria das pessoas. “Meu compromisso é e sempre foi trabalhar e cuidar das pessoas. Foi assim que transformamos Boa Vista. Se for para ir (candidatura), estou preparada, ou irei continuar trabalhando, como tenho feito, durante toda minha vida”, diz.

A prefeita, porém, cuidadosa em abordar o assunto, esclarece que a decisão é muito importante e não depende só dela. “Essa decisão passa pelo Partido, pelo grupo que me apoia, por pesquisas, enfim é preciso ter sabedoria para seguir em frente”.

A verdade é que o ambiente se desenha em duas conjecturas lógicas: um panorama com Teresa candidata e outro sem ela na disputa. A força de Teresa, seguramente a mais proeminente política de Roraima da atualidade, definirá o rumo das eleições em 2018. O certo é que apelos populares não lhe faltarão e se ela decidir entrar no jogo como protagonista do pleito, apoiamentos fartos, sinceros e robustos certamente terá.

Batendo o desespero

A governadora Suely não tem dinheiro para pagar o salário do servidor no mês de janeiro.

Hoje é dia 2 de fevereiro e o Governo de Suely não sinaliza se vai haver, nesses dias, pagamento de salários do mês de janeiro.

A falta de dinheiro no caixa do Governo é inegável, embora já tenha recebido tudo que tem direito do FPE do mês de janeiro.

A incerteza é tamanha que não há revisão e trabalha-se com possibilidades de que uma parte do servidor seja paga no próximo dia 10, quando entra a 1ª parcela do FPE de fevereiro.

Um triste drama para o servidor público que já não pode mais assumir compromissos financeiros. Porque sabe que não conseguirá pagar na data acertada. Essa falta de responsabilidade de Suely Campos com o Estado de Roraima está afetando a todos. A desgraça vem em cadeia.

ALE lança edital de concurso

O procurador geral da ALE, Andreive Ribeiro, anunciou que o editar do concurso sairá ainda este mês.

O lançamento do edital do concurso público da Assembleia Legislativa de Roraima acontecerá até o dia 23 deste mês. Estão sendo ofertadas 32 vagas, de nível médio e superior. A prova está prevista para o mês de maio.

A empresa Funrio é quem coordenará o concurso e a Assembleia Legislativa será a responsável em formar a Comissão Fiscalizadora do processo. “É um concurso muito esperado, até porque tem não só a vontade de as pessoas trabalharem no Poder Legislativo, também tem um nível salarial adequado no Estado”, disse o procurador geral do Poder Legislativo, Andreive Ribeiro.

O cargo de nível médio tem um salário inicial de R$3.218,50, podendo chegar no final da carreira em R$12.222,26; nível superior é R$6.079,31 e no final de carreira R$23.086,17, o cargo de Procurador, também de nível superior, o salário inicial é de R$7.903,10 e no final de carreira R$30.012,01. Isso fora os auxílios e benefícios que a Casa concede aos seus servidores, como alimentação e transporte, assim como progressão que é concedida a cada dois anos.

Outro ponto positivo para os novos servidores, após a aprovação e contratação, será a integração ao PCCR (Plano de Cargos, Carreiras e Remunerações), aprovado em dezembro de 2016 e regido pela Lei nº 1.160, de 29 de dezembro daquele mesmo ano.

Confira os cargos, vagas e vencimentos

Cargo Nível Superior Vagas Salário Inicial Salário Final
Procurador 2 R$ 7.903,10 R$ 30.012,01
Administrador 4 R$ 6.079,31 R$ 23.086,17
Analista de Sistemas 2 R$ 6.079,31 R$ 23.086,17
Assessor Técnico Legislativo 3 R$ 6.079,31 R$ 23.086,17
Contador 2 R$ 6.079,31 R$ 23.086,17
Economista 2 R$ 6.079,31 R$ 23.086,17
Enfermeiro 2 R$ 6.079,31 R$ 23.086,17
Psicólogo 2 R$ 6.079,31 R$ 23.086,17
Revisor 2 R$ 6.079,31 R$ 23.086,17
Tradutor (Inglês) 1 R$ 6.079,31 R$ 23.086,17
Cargo Nível Médio Vagas Salário Inicial Salário Final
Assistente Legislativo 7 R$ 3.218,50 R$ 12.222,26
Taquígrafo 3 R$ 3.218,50 R$ 12.222,26

Governo fará censo de migrantes venezuelanos

Venezuelanos que ficam perambulando pelas ruas de Boa Vista serão recenseados pelo Governo Federal.

O governo federal decidiu realizar um censo dos migrantes venezuelanos que entraram no Brasil em razão da crise política e econômica no país vizinho. Diante das informações do levantamento, o Palácio do Planalto analisará novas medidas a serem tomadas.

Com a deterioração da economia do país presidido por Nicolás Maduro, venezuelanos têm cruzado a fronteira e se estabelecido no Brasil, principalmente no estado de Roraima, nas cidades de Pacaraima e Boa Vista. O governo não informou quando será iniciado o censo.

O tema foi discutido em reunião interministerial realizada n última terça-feira, (30), coordenada pelo ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha. Participaram os ministros Torquato Jardim (Justiça), Raul Jungmann (Defesa), Ricardo Barros (Saúde), Osmar Terra (Desenvolvimento Social), Sérgio Etchegoyen (Gabinete de Segurança Institucional) e do secretário-geral do Ministério das Relações Exteriores, embaixador Marcos Galvão.

A situação tem sido monitorada pelo governo federal, que dá apoio técnico e financeiro ao estado de Roraima para atender a essa população. Durante a reunião ministerial, ficou decidido que serão intensificadas as ações na região.

‘A crise é responsabilidade do governo’, diz Teresa

Em Pacaraima (Delegacia da Polícia Federal): os venezuelanos continuam entrando em Roraima todos os dias.

Como tem feito com regular frequência, a prefeita Teresa Surita manifestou-se ontem em sua conta no Twitter para abordar a questão da crise migratória. Segundo ela a solução para o problema é de responsabilidade do Governo Federal, por ser uma crise internacional, que envolve questões diplomáticas.

A prefeitura, por exemplo, segundo ela, não tem como resolver. “É preciso ter controle na fronteira e dar condições para que as pessoas sigam seu caminho além de Boa Vista, para uma vida mais digna. 70% dos venezuelanos que estão em Boa Vista querem seguir viagem, mas não têm dinheiro pra isso”, disse.

Teresa afirmou que tem pedido ao Governo Federal que disponibilize a condição para que estas pessoas sigam seus caminhos. Ela defende que a fronteira precisa estar monitorada o tempo todo, colhendo dados reais da entrada das pessoas.

“Além disso, é necessário fortalecer a segurança, para que esteja equipada e preparada para conter problemas de desordem e violência. Até agora nada disso foi feito, por isso o caos está instalado em nossa cidade, que não tem estrutura para suportar essa situação”, postou.

A migração só aumenta | Desde o final de 2015, Roraima enfrenta o desafio de receber um crescente número de imigrantes venezuelanos que entram no Brasil pela fronteira do estado (foto acima). Eles fogem da fome, do desemprego e da falta de serviços de saúde no país governado por Nicolás Maduro. De janeiro a outubro de 2017, mais de 14 mil venezuelanos pediram refúgio em Roraima. De novembro de 2017 até o final deste mês de janeiro de 2018, praticamente o número de pedidos de permanência em território brasileiro, quase dobrou, o que significa que afora os 75 mil venezuelanos (estimativa) que já estão em Roraima, teremos uns cem mil até o meio deste ano.

Sucateada, CAER é motivo de chacota

A CAER atraiu a ira do boa-vistense pela falta de água que já dura dois dias em vários bairros da cidade.

Sucateada, como tudo no governo de Suely, a Companhia de Água e Esgotos de Roraima (CAER), antes uma empresa de excelência na prestação de serviços, está sob fogo cruzado da população pela falta de água em quase toda a cidade e tornou-se motivo de chacota.

O problema de desabastecimento foi ocasionado pela manutenção nas bombas de captação de água na capital, conforme uma nota da Companhia emitida ontem.

As redes sociais expuseram o problema, com muitas queixas, sentenças de reclamações e a situação agravou-se ontem com a falta de energia por pelo menos três vezes durante a tarde.

Ai não houve perdão e surgiu uma musiquinha maneira: “Roraima é o Estado que seduz, todo dia falta água, todo dia falta luz”. É, faz sentido…

Ai foi informado, em Nota Oficial, “que na tarde dessa quinta-feira, 1º, os técnicos da Companhia finalizaram os reparos nas bombas de captação de água. Os equipamentos serão instalados ainda hoje (ontem) na Estação de Captação de Água e nesta sexta-feira (02.02) o abastecimento será normalizado em toda a cidade”.

No pacote de obras da Prefeitura o asfaltamento de novas ruas está chegando a 20 bairros em toda a cidade.

Asfalto novo em 20 bairros | Asfalto novo e mais segurança para motoristas e pedestres. Moradores de vários bairros de Boa Vista estão vendo mudanças em suas ruas. É que as vias estão passando por recuperação e recebendo serviços como drenagem, pavimentação, sarjetas e meio-fio. Atualmente cerca de 50 ruas e avenidas de mais de 20 bairros estão em obras na capital. A Prefeitura de Boa Vista está executando vários pacotes de obras que incluem, além das ruas da área urbana, a pavimentação das vicinais I, III, IV e VII do Projeto de Assentamento Nova Amazônia, na zona rural de Boa Vista. De 2013 a 2017, foram concluídos 126 km de pavimentação, 61 km de recapeamento, 80 km de drenagem e 153 km de calçadas. As obras estão concentradas principalmente nos bairros da zona Oeste, a maior e mais populosa área de Boa Vista, mas também podem ser vistas em outros pontos da cidade.


CONTATOS DO AUTOR www.peronico.com.br – e-mail: peronico.27@gmail.com – Facebook: Peronnico Expedito – Blog do Expedito Peronnico.

Mais Noticias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: