Vereadores aprovam orçamento de R$ 1,4 bilhão para Boa Vista com cortes. Arthur vai recorrer.

 Vereadores aprovam orçamento de R$ 1,4 bilhão para Boa Vista com cortes. Arthur vai recorrer.

Manifestantes protestaram contra cortes no orçamento de Boa Vista. Foto: Reprodução TV Roraima

Compartilhe este artigo

Vereadores aprovaram orçamento de R$ 1,4 bilhão para Boa Vista em 2021 em uma sessão marcada por protestos nesta segunda-feira (18). Foram cortados recursos para o lazer, esporte, turismo, cultura e comunicação com o total de seis modificações – emendas – ao projeto de Lei Orçamentária Anual enviada pela prefeitura.

Depois de protesto, tumulto, discussão entre vereadores e mais de 4 horas de sessão, a lei foi aprovada. Agora, segue para sanção ou veto do prefeito Arthur Henrique (MDB). Ele disse ao que aquilo que for inconstitucional no texto ele irá recorrer. 

“O que for constitucional iremos seguir, mas o que for abusivo a prefeitura vai recorrer. As decisões não são políticas e sim técnicas baseadas na legalidade, moralidade, analisadas com procuradores que têm conhecimento”, disse.

Vereadores se reuniram depois de a LOA não ter sido aprovada no ano passado, e também por forte pressão popular de diversas instituições. Pela manhã, dezenas de pessoas protestaram em frente à Casa, mas foram impedidas de entrar.

IMPACTOS

Com as emendas apresentadas, a prefeitura alerta que serviços essenciais podem ser prejudicados. Além disso, eventos culturais devem sofrer cortes e não serem realizados neste ano, como, por exemplo, Boa Vista Junina, Natal da Paz, Corrida 9 de Julho, e fechamento do Teatro Municipal e Instituto Boa Vista de Música.

Na sessão, o vereador Nilson Bispo (PSC) chamou a imprensa de mentirosa e disse que os veículos queriam colocar a população contra o vereadores. Mesmo assim, ele justificou os votos favoráveis, pois acredita que “Boa Vista precisa de uma Câmara com autonomia, e a população precisa de esclarecimentos”.

Sandro Baré (Republicanos) chegou a sair da sessão por não conseguir usar a tribuna da Casa. Ele disse que Parlamento deveria ser lugar de respeito em meio às divergências, e votou contra as emendas. O político, juntamente com outros sete vereadores, tentaram barrar as alterações, mas foram vencidos.

“Votei contra as emendas, porque são ilegais. Não teria como votar a favor de um orçamento que está cheio de emendas ilegais, intempestivas [apresentadas fora do prazo legal], causando prejuízo financeiro às secretarias da prefeitura”, declarou o parlamentar, ao acrescentar que o orçamento será judicializado.

Uma das emendas também diminuiu de 20% para 3% a possibilidade de a prefeitura remanejar recursos. De acordo com Arthur Henrique, isso vai engessar a gestão, que precisará de aprovação dos vereadores até para receber recursos federais ou construção de obras.

Votaram a favor dos cortes

  • Alburquerque (Rede)
  • Dr. Ilderson ( PTB)
  • Gabriel Mota (Republicanos)
  • Gildean Gari (PP)
  • Juliana Garcia (PSD)
  • Kléber Siqueira (SD)
  • Leonel Oliveira (SD)
  • Nilson Bispo (PSC)
  • Ruan Kenobby (PV)
  • Thiago Fogaça (PTC)
  • Vavá do Thianguá (PSD)

Votaram contra os cortes

  • Adnan Lima (PMB)
  • Guarda Jullyerre Pablo (PSL)
  • Júlio Medeiros (DC)
  • Manoel Neves (Republicanos)
  • Melquisedeck (PSL)
  • Regiane Matos (MDB)
  • Sandro Baré (Republicanos)
  • Ítalo Otavio (Republicanos)

Com informações: Roraima em tempo

peronico

http://peronico.com.br

Expedito Perônico, jornalista e colunista de política. Este blog cobre os bastidores do poder em Roraima e em Brasília. Já atuei nos principais veículos de comunicação de Roraima.

Posts Relacionados

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: