GREVE DE AUDITORES deixa centenas de caminhões retidos em Pacaraima, na fronteira com a Venezuela.

Compartilhe nosso conteúdo!

Cerca de 200 caminhões de transporte de carga estão parados na alfândega do município de Pacaraima, na fronteira entre Brasil e Venezuela.

O acúmulo de carga é resultado da greve dos auditores fiscais da Receita Federal, que determinaram a realização de operação-padrão (ou ‘operação tartaruga’) nos postos aduaneiros, retardando a entrada de produtos importados no Brasil.

Pacaraima não é o único município onde ocorre o represamento de caminhões. De acordo com o Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Sindifisco), ao menos 800 carretas encontram-se paradas em postos aduaneiros na região norte. Somente materiais hospitalares, carga viva e materiais perecíveis estão livres de passar por operação-padrão.

A greve dos auditores se dá em resposta à falta de reajustes salariais no Orçamento de 2022, em que foram contemplados apenas policiais federais. A deflagração ocorreu no último dia 27, mas permanecem sem resposta do Governo Federal.

“Situações como essa tendem a se espalhar pelo país e pelas fronteiras, caso o Governo permaneça em silêncio”, declarou George Alex de Sousa, presidente do Sindifisco da regional de Brasília.

Em 27 de dezembro, auditores fiscais federais agropecuários anunciaram uma operação padrão nas atividades por tempo indeterminado após cortes no orçamento da União e anúncio de aumento apenas para policiais federais.

Os auditores agropecuários são vinculados ao Ministério da Agricultura, e reclamam de déficit de ao menos 1.620 affas [a sigla do cargo] e de falta de reajuste salarial desde 2017. Além disso, no total, 800 carretas estão paradas em Manaus (AM) e Boa Vista (RR).

Fonte: Congresso em Foco

Compartilhe nosso conteúdo!
By peronico

Expedito Perônico, jornalista e colunista de política. Este blog cobre os bastidores do poder em Roraima e em Brasília. Já atuei nos principais veículos de comunicação de Roraima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts