Garimpeiros ameaçam processar líder Yanomami popr acusações.

Compartilhe nosso conteúdo!

Após o presidente da Condisi (Conselho Distrital de Saúde Indígena Yanomami e Ye’kuana), Junior Hekurari, fazer denúncias de violência contra o povo yanomami em Roraima, agora garimpeiros ameaçam entrar na Justiça e processá-lo por calúnia. No final de abril, Hekurari, uma das principais lideranças indígenas da região, acusou garimpeiros de terem estuprado e matado uma jovem yanomami da aldeia de Aracaçá.

A Polícia Federal investiga o caso e, até agora, diz não ter encontrado evidências do crime. Após as acusações, uma comitiva com representantes de entidades indígenas, PF, MPF (Ministério Público Federal), Funai (Fundação Nacional do Índio) e Sesai (Secretaria Especial de Saúde Indígena) visitou o local e o encontrou vazio e parcialmente queimado.

Dias depois, Hekurari afirmou que yanomamis da Aracaçá foram cooptados pelos garimpeiros. Ele disse que lideranças viram os indígenas com integrantes do garimpo, e imagens publicadas nas redes sociais indicam a mesma coisa.

Agora, os garimpeiros, por meio do Movimento Garimpo É Legal, não só negam todas as acusações, mas também dizem que irão processá-lo tão logo a apuração na PF seja concluída.

“A terra Yanomami é demarcada. Esses garimpeiros ameaçam me processar? Quem deveria processar sou eu, porque eles colocam as vidas do meu povo em risco. As mesmas pessoas que querem me processar alimentam os grandes garimpos”, respondeu Hekurari.

Compartilhe nosso conteúdo!
By peronico

Expedito Perônico, jornalista e colunista de política. Este blog cobre os bastidores do poder em Roraima e em Brasília. Já atuei nos principais veículos de comunicação de Roraima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts