BV-128: Projeto de realidade virtual que conta a história de Boa Vista atende mais de mil alunos.

Compartilhe nosso conteúdo!

Aprender a história de Boa Vista de forma divertida, com muita criatividade e utilizando a tecnologia faz parte da grade curricular dos estudantes das escolas municipais do município. Os alunos da escola de ensino fundamental Maria Teresa Maciel começaram a utilizar a BV128, plataforma digital que simula os períodos históricos de Boa Vista desde 1830 até os dias atuais. Com o retorno das aulas presenciais, o projeto foi adaptado para seguir os protocolos de segurança.

O projeto retornou suas atividades atendendo mais de mil alunos da rede municipal. Na plataforma digital, Boa Vista foi reconstruída em quatro fases, a partir de 1830 até os dias atuais. Durante a simulação, os alunos podem, por exemplo, fazer um passeio pelas fazendas São Marcos e Boa Vista, conhecer o Forte São Joaquim e interagir com personagens de cada época.

Para a professora Djenane Almeida, o uso das novas tecnologias é fundamental para o desenvolvimento dos alunos. “É um trabalho maravilho que só vem agregar ao nosso dia a dia na sala de aula. Os alunos podem vivenciar de forma virtual tudo que foi estudado de forma teórica nos livros e interagir com muita criatividade”, afirmou.

BV128 – O projeto está presente em 6 escolas, atualmente nas turmas de 3° ano fundamental, atendendo cerca de 1.100 alunos da rede municipal de ensino. O projeto, que nasceu em 2017 com o programa de talentos do Centro de Ciência, Tecnologia e Inovação (CCTI), foi desenvolvido quando Boa Vista completou 128 anos (por isso o nome escolhido para o app é BV-128). Seu principal objetivo é resgatar a história de Boa Vista e levar para a sala de aula tecnologias inovadoras que auxiliarão o professor.

“Estamos com um cronograma de atividades para atender as escolas municipais, com 4 aulas durante o ano letivo. Em cada aula é trabalhado um cenário diferente abordando um período histórico de Boa Vista”, explicou o desenvolvedor do projeto, Fabrício Sousa.

Em 2019, o BV128 foi executado de forma experimental em 2 escolas do município, com a utilização de óculos de realidade virtual. Devido a pandemia e para seguir todos os protocolos de segurança, foi adaptado para uso de tablets individuais da escola.

Após cumprirem todas as etapas virtuais, os alunos seguem com outras atividades desenvolvidas através das cartilhas do projeto, como a criação de maquetes de monumentos históricos. “Agora a gente pode aprender melhor todas as fases da história. É muito divertido”, destacou a aluna do 3° ano fundamental, Thália Cristine de 09 anos.

Conheça a fases do jogo (linha do Tempo):

Capítulo 1 (Prólogo) – Forte São Joaquim e Fazenda São Marcos (1830 – 1835)

O jogo se inicia em 1830 quando o Forte já existe, e capitão Inácio Magalhães fundou primeira fazenda particular de gado bovino denominada de Boa Vista. Fase também do casamento de Inácio Lopes com Liberata Batista Mardel (1831), celebrado por Frei José dos Inocentes.

Capítulo 2 – Fazenda Boa Vista (1890 – 1905)

A segunda fase começa com a criação da Fazenda Boa vista, passando pelo período em que foi elevada à Freguesia de Nossa Senhora do Carmo (1958), até a criação da Vila Boa Vista do Rio Branco.

Capítulo 3 – Município de Boa Vista do Rio Branco (1905 – 1930)

Esta foi a fase da criação do município de Boa Vista do Rio Branco, fundação da Prelazia do Rio Branco (1907), Jornal do Rio Branco (1920), Criação da Igreja de São Sebastião (1922), Instalação da escola da Prelazia dos padres beneditinos, hoje Escola São José (1924). Expedição Hamilton Rice (1925), reforma da Igreja Matriz (1929).

Capítulo 4 – Dias atuais

Nesta fase, as missões serão exploratórias pelas ruas de Boa Vista, permitindo conhecer as principais pontos turísticos e avenidas da cidade.

Programa de Talentos – Foi criado com o intuito de fomentar o surgimento de novas empresas de Tecnologia da Informação no município de Boa Vista, por meio da seleção de jovens profissionais talentosos, com o objetivo de conseguirem investimento para os seus negócios crescerem.

Desde 2013, a prefeitura vem introduzindo a tecnologia nas escolas como ferramenta de aprendizagem, como tablets, lousas digitais, inserção da Robótica Educacional, do projeto Desbravadores Digitais e a criação do projeto BV-128. Agora na pandemia, o Educa Digital vem oportunizando novas metodologias de ensino aos profissionais por meio dos recursos digitais.

Compartilhe nosso conteúdo!
By peronico

Expedito Perônico, jornalista e colunista de política. Este blog cobre os bastidores do poder em Roraima e em Brasília. Já atuei nos principais veículos de comunicação de Roraima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts