Menino indígena Yanomami morre após brincar em garimpo. Outro está desaparecido.

Compartilhe nosso conteúdo!

Um menino indígena de 5 anos foi encontrado morto em Roraima após ser levado pela correnteza enquanto brincava nas margens do rio Parima. O garoto e um primo, de 7 anos, estavam próximos da comunidade indígena Yanomami onde moravam.

Um garimpo funciona na área do incidente e, segundo o Conselho de Saúde Indígena Yanomami e Ye’kwana (Condisi-YY), as duas crianças foram surpreendidas pelo funcionamento de um maquinário conhecido como “draga”, uma embarcação que remove solo, rochas e lodo do fundo de rios ou portos. O impulso causado pelo equipamento na água fez com que as vítimas, que estavam na parte rasa, acabassem puxadas pela correnteza.

O menino mais velho ainda está desaparecido. Já o corpo do mais novo foi encontrado após uma operação de resgate feita pelos próprios indígenas ao longo do rio. As informações foram repassadas pela comunidade ao presidente do Considi-YY, Júnior Hekurari Yanomami, ainda na manhã de ontem, horas depois do desaparecimento.

O Corpo de Bombeiros Militar de Roraima informa que enviou, na tarde de quarta-feira, dia 13, por volta das 16h30, uma equipe de 4 Bombeiros Militares para realizar as buscas pelas duas crianças indígenas vítimas de afogamento na região do Parima, município de Alto Alegre.

Segundo o Conselho Indígena de Saúde Yanomami e Ye’kuana, as crianças brincavam em um rio da região quando foram levadas pela correnteza. Assim que recebeu a solicitação, nas primeiras horas de quarta-feira, a Corporação Bombeiros Militar de Roraima preparou a equipe com 4 mergulhadores para deslocar até o local.

Devido a distância e a dificuldade de acesso, o CBMRR ficou aguardando a disponibilização de uma aeronave pela autoridade indígena solicitante, o que só ocorreu no final da tarde. Os mergulhadores estão no local realizando as buscas desde as primeiras horas desta quinta-feira, dia 14.

“A situação exposta é gravíssima e deixa explícito a negligência do governo com os Povos Yanomami que vivem à mercê dos invasores”, declarou o Condisi-YY em nota.

Procurada, a Funai (Fundação Nacional do Índio) confirmou ter recebido o pedido de posicionamento, mas ainda não comentou o caso. Se houver retorno, a matéria será atualizada.

Compartilhe nosso conteúdo!
By peronico

Expedito Perônico, jornalista e colunista de política. Este blog cobre os bastidores do poder em Roraima e em Brasília. Já atuei nos principais veículos de comunicação de Roraima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts