STJ nega liberdade a coronel da PM envolvido com o sequestro de Romano dos Anjos.

Compartilhe nosso conteúdo!

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou, pela segunda vez, soltar o coronel Natanael Felipe de Oliveira Júnior, preso na segunda fase da Operação Pulitzer. Ele é investigado pelo sequestro e tortura do jornalista Romano do Anjos.

O deputado Jalser Renier, bem como os nove militares, incluindo Natanael, e um ex-servidor da Assembleia Legislativa (ALE-RR), foram presos nas duas fases da operação e denunciados pelo Ministério Público de Roraima (MP).

A defesa do PM voltou a dizer que não há provas da participação dele no crime. Além disso, pediu a liberdade do coronel sem a imposição de medidas cautelares.

Da mesma forma, a defesa afirma que a Justiça “criou” argumento falso de que os suspeitos fazem parte de milícia para decretar a prisão deles.

Decisão do STJ

A decisão do ministro Jesuíno Rissato relembrou que o coronel Natanael agia na organização como a maior autoridade entre os policiais. Por isso, há necessidade da prisão dele. Destacou ainda que a prisão é pela garantia da ordem. Isso porque o coronel tem treinamento em força-tática.

“No caso, observa-se que a segregação cautelar do paciente está devidamente fundamentada em dados concretos extraídos dos autos, que evidenciam de maneira inconteste a necessidade da prisão para garantia da ordem pública, notadamente em razão de, coronel, possuidor de conhecimento de Força Tática e ex-Chefe da Casa Militar da ALE/RR”, diz.

Informações compartilhadas: Roraima em Tempo

Compartilhe nosso conteúdo!
By peronico

Expedito Perônico, jornalista e colunista de política. Este blog cobre os bastidores do poder em Roraima e em Brasília. Já atuei nos principais veículos de comunicação de Roraima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts