TCU amplia investigação de garimpo ilegal em terras indígenas Yanomami, em Roraima.

Compartilhe nosso conteúdo!

O TCU (Tribunal de Contas da União) ampliou a investigação que está fazendo a respeito da exploração de mineração em terras indígenas Yanomami, no Estado de Roraima. Também vai fiscalizar a segurança alimentar dos povos e como órgãos federais estão atuando para manter a qualidade de vida dos indígenas.

A ampliação da investigação do TCU acontece depois de a imprensa noticiar a chegada de barcaças ilegais (embarcações próprias para o transporte de cargas) no rio Madeira (AM) para extração de ouro, e de a Funai proibir a Fiocruz de levar assistência médica aos povos Yanomami em meio a um surto de malária.

Segundo o autor do pedido de fiscalização, Vital do Rêgo, as últimas notícias sobre os indígenas estão provocando profunda preocupação em relação ao “aumento cada vez maior da vulnerabilidade dos povos indígenas” em relação aos direitos culturais, ambientais e a saúde “principalmente no contexto do avanço do garimpo”.

Há 2 dias, as embarcações chegam ao rio Madeira entre as cidades de Autazes e Nova Olinda do Norte. Os garimpeiros usam mangueiras para extrair tudo o que há no fundo do rio. O conteúdo é filtrado para selecionar as pepitas de ouro e, em seguida, os dejetos são devolvidos.

Para ampliar a investigação, o TCU também considerou a informação de que 8 em cada 10 crianças menores de 5 anos têm desnutrição crônica em terras Yanomami, principalmente em área localizadas em Roraima.


Compartilhe nosso conteúdo!
By peronico

Expedito Perônico, jornalista e colunista de política. Este blog cobre os bastidores do poder em Roraima e em Brasília. Já atuei nos principais veículos de comunicação de Roraima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts