Eleições: TSE fixa regras para exibição de propaganda eleitoral gratuita.

Compartilhe nosso conteúdo!

A partir do dia 30 de junho de 2022, por exemplo, é proibida a transmissão de programa apresentado ou comentado por pré-candidata ou pré-candidato.

Eleições: TSE fixa regras para exibição de propaganda eleitoral gratuita
TSE baixou novas regras para a propaganda eleitoral este ano.

O primeiro turno das eleições deste ano está marcado para 2 de outubro. O Tribunal Superior Eleitoral, por meio de resolução, apresentou regras sobre a veiculação de propaganda eleitoral gratuita nas emissoras de rádio e televisão.  Como mostramos, o TSE publicou no Diário da Justiça Eletrônico resolução que apresenta regras sobre eventuais condutas ilícitas.

As propagandas deverão ser exibidas por todas as emissoras indicadas nos 35 dias anteriores à antevéspera do primeiro turno da eleição, de acordo com o horário de Brasília. A propaganda no horário eleitoral gratuito será veiculada nas emissoras de rádio e de televisão. Deverão ser utilizados recursos de acessibilidade, como legendas em texto, janela com intérprete de Libras e áudiodescrição sob responsabilidade dos partidos, federações e coligações.

A distribuição do tempo de propaganda entre as candidaturas registradas é de competência das legendas, federações e coligações, que, nas eleições proporcionais, e devem respeitar aos percentuais destinados às candidaturas femininas (mínimo de 30%) e de pessoas negras. 

Segundo o TSE, a partir do dia 30 de junho de 2022, é proibida a transmissão de programa apresentado ou comentado por pré-candidata ou pré-candidato. A infração a essa regra pode resultar em multa de R$ 21.282 a R$ 106.410 (duplicada em caso de reincidência) à emissora e de cancelamento do registro de candidatura. 

As emissoras estão proibidas, a partir de 6 de agosto, de veicular propaganda política e transmitir imagens de realização de pesquisa ou qualquer outro tipo de consulta popular de natureza eleitoral em que seja possível identificar a pessoa entrevistada ou em que haja manipulação de dados. A proibição é válida, inclusive, nos conteúdos em forma de entrevista jornalística.

Também não é permitido dar tratamento privilegiado a determinada candidatura, legenda, federação ou coligação. 

Compartilhe nosso conteúdo!
By peronico

Expedito Perônico, jornalista e colunista de política. Este blog cobre os bastidores do poder em Roraima e em Brasília. Já atuei nos principais veículos de comunicação de Roraima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts