A organização da Segurança Pública em Roraima: conheça o trabalho feito por Romero Jucá.

Compartilhe nosso conteúdo!

Nesta sexta-feira (24), o país lembrou o Dia do Policial e do Bombeiro Militar. As duas forças cuidam da proteção à população. E foi a partir de 1969, que as polícias estaduais passaram a usar o termo militar. Apesar disso, a organização da segurança pública em Roraima só veio oito anos depois. 

Jucá: sempre envolvido com a evolução da Segurança em Roraima.

Isso porque, só em 1977, a Polícia Militar de Roraima foi de fato instalada. Mas, a ideia de uma polícia militar chegou bem antes ao país. Foi em 1808, quando a família real de Portugal trouxe a sua Guarda Real de Polícia. 

Assim, ao longo dos anos, a organização da segurança pública no país teve várias mudanças. Uma delas, por exemplo, foi na ditadura militar. No período, a PM ganhou uma hierarquia única e foi subordinada ao Exército Brasileiro. E isso está no artigo 144 da Constituição Federal. 

Segurança Pública em Roraima: os primeiros investimentos

Conforme o Anuário da Segurança, até 2020, o país tinha mais de 406 mil policiais militares. Já no Estado, eram 1.552 policiais. Mas, as primeiras melhorias na PMRR foram em 1989, quando Romero Jucá era o governador do Estado. Na época, ele comprou veículos, equipamentos e dobrou o quadro da PMRR. Em seguida, ele fez os concursos públicos para a Polícia Civil. Mas, a outra gestão não seguiu com o processo.

“Eu dobrei o quadro da PMRR. Mas, hoje, o número de policiais é quase o mesmo daquele tempo. Ou seja, o Estado cresceu, mas a PMRR não”. Portanto, na sua gestão, a PMRR passou de 750 para 1.500 policiais. Com isso, o quadro atendeu a capital e os municípios que haviam na época.

“Eu ajudei a organizar a segurança pública de Roraima. E isso foi muito importante para trazer mais tranquilidade para as pessoas. Além do Estado crescer com as condições de lutar contra o crime”. 

Mais conquistas

Da mesma forma, ele ajudou a melhorar o salário dos policiais e bombeiros militares, bem como dos policiais civis do Ex- Território. Assim, com o seu trabalho no Senado Federal, as categorias tiveram novos ganhos.  “A gente trabalhou muito até a União garantir o direito dos nossos policiais. Então, com ações como o enquadramento, o salário deles ficou melhor”. 

Desta forma, hoje os policiais civis do Ex- Territórios ganham o mesmo que os policiais federais. E, no caso da PM e dos bombeiros militares, o salário é igual aos dos policiais do Distrito Federal. 

Para o presidente da Associação dos Policiais e Bombeiros Militares do Ex- Território, o Tenente Coronel Oquimar Frazão, isso trouxe mais qualidade de vida para quem faz a segurança pública no Estado. 

“Em 2016, a gente não tinha um salário bom. E graças ao apoio do senador Romero Jucá, nós mudamos isso. Então, essa é uma conquista que melhora o atendimento à nossa população”.

Veja os números da Segurança Pública de Roraima:

Conforme dados do anuário da Segurança Pública, até 2020, o Estado tinha:

1.552 policiais militares

519 bombeiros militares

523 policiais civis

55 peritos técnicos

264 policiais penais

Clique aqui para saber mais sobre essa história.

Compartilhe nosso conteúdo!
By peronico

Expedito Perônico, jornalista e colunista de política. Este blog cobre os bastidores do poder em Roraima e em Brasília. Já atuei nos principais veículos de comunicação de Roraima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts