Força Nacional irá atuar em Roraima em ações com o Ibama contra desmatamento.

Compartilhe nosso conteúdo!

A Força Nacional de Segurança Pública irá atuar, junto com o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), nos territórios da Amazônia Legal. Uma portaria que libera o uso dos agentes foi publicada nesta 5ª feira (29.abr.2021) no Diário Oficial da União. Eis a íntegra.

O uso foi autorizado pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública por 260 dias, ou seja, até janeiro de 2022. Caso seja necessário, a autorização pode ser renovada.

O principal objetivo das Forças Armadas na Amazônia Legal será combater o desmatamento ilegal e outros crimes ambientais. Os agentes também vão auxiliar o Ibama em ações de fiscalização e combate a incêndios florestais e queimadas.

Amazônia Legal é uma região de mais de 5 milhões de quilômetros quadrados. Inclui todos os territórios dos Estados do Amazonas, Roraima, Rondônia, Pará, Amapá, Acre, Tocantins, Mato Grosso, além de parte do Maranhão.

Em nota, o ministro da Justiça e Segurança Pública Anderson Torres afirmou que a Força Nacional será muito importante para os trabalhos de campo na área. “O trabalho integrado garante mais assertividade no enfrentamento a qualquer tipo de atividade ilegal que atinja o meio ambiente”, disse.

A Força Nacional já é utilizada na Amazônia Legal, mas em apoio ao ICMBio (Instituto Chico Mendes de Biodiversidade). Em 13 de abril, a presença dos agentes foi prorrogada por 180 dias, depois que o prazo de 1 ano do uso das forças venceu.

De acordo com o Ministério da Justiça e Segurança Pública, os agentes atuam na proteção das unidades de conservação federais da Amazônia contra o desmatamento e a extração ilegal de minério e madeira na região. A operação visa ainda ao apoio logístico dos agentes de segurança ao ICMBio.

Os alertas de desmatamento na Amazônia Legal bateram recorde em março de 2021, apesar da atuação das Forças Armadas na região. Foi a maior área registrada na série histórica, iniciada em 2015, segundo dados do Inpe (Instituto de Pesquisas Espaciais).

Foram 367 km² desmatados no mês, segundo as medições do Deter (Sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real). Antes, o mês de março com maior devastação verificada pelos satélites tinha sido em 2018, com uma área de 356 km² desmatada.

Compartilhe nosso conteúdo!
By peronico

Expedito Perônico, jornalista e colunista de política. Este blog cobre os bastidores do poder em Roraima e em Brasília. Já atuei nos principais veículos de comunicação de Roraima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts

look at these guys tube
hardcore footfetish in black stockings. seeking porn
naked amateurs dancing.xxx-videos.monster